A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Membro superior

Pré-visualização | Página 3 de 3

artéria braquial profunda, entre as cabeças lateral e 
medial do músculo tríceps braquial. 
- Inerva todos os músculos dos compartimentos posteriores do braço e antebraço. 
• N. Axilar: 
- Ramo terminal do fascículo posterior. 
- Se espirala ao redor do colo cirúrgico do úmero profundamente ao músculo deltoide. 
- Inervação da articulação do ombro; músculos redondo menor e deltoide. 
OBS: * N. Cutâneo medial do braço: 
 - Ramo lateral do fascículo medial. 
 - Pele da face medial do braço. 
Fabiana A. Getulino – ATM2023 
 * N. Cutâneo medial do antebraço: 
- Ramo lateral do fascículo medial. 
- Inicialmente segue com o nervo ulnar, mas perfura a fáscia muscular com a veia basílica e entra na 
tela subcutânea, dividindo – se em ramos anterior e posterior. 
→ LESÕES NERVOSAS: 
• Lesão do Nervo Musculocutâneo: 
- Resulta na paralisia dos músculos coracobraquial, bíceps braquial e braquial. 
• Lesão do Nervo Radial: 
- Ocorre perda de extensão na mão. 
- Sinal clínico característico da lesão do nervo radial é a “Queda do punho” / “Mão em Gota” – A mão fica 
caída/fletida. 
• Lesão do Nervo Mediano: 
- Pode haver dificuldades de fazer flexão (três primeiros dedos, principalmente o polegar). 
- Lembra a posição da mão de um padre ao fazer o sinal da Benção (“Mão em Benção”). Também pode ser 
chamada de “Mão simiesca”. 
# SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO: é causada por uma compressão do Nervo mediano no túnel do carpo. 
• Lesão do Nervo Ulnar: 
- Leva à perda de sensibilidade da sua área de inervação (Ex: porção hipotenar da mão e músculos lumbricais 
– terceiro e metade do quarto). 
- Provoca uma deformidade da mão chamada “Mão em Garra”. 
• Lesão do Nervo Axilar: 
- Atrofia do Músculo deltoide e diminuição da capacidade de abdução do membro. 
 
❖ Vascularização: 
→ ARTÉRIA AXILAR: 
• Começa na margem lateral da primeira costela como a continuação da artéria subclávia e termina na 
margem inferior do músculo redondo maior. 
• Torna - se artéria braquial quando passa na margem inferior do músculo redondo maior, quando 
geralmente chegou ao úmero. 
- OBS: A artéria subescapular é o maior ramo da artéria axilar. São também ramos da artéria axilar as artérias 
circunflexas anterior e posterior do úmero. 
* As artérias circunflexas do úmero circundam o colo cirúrgico do úmero, anastomosando - se entre si 
lateralmente. 
→ ARTÉRIA BRAQUIAL: 
- A artéria braquial é responsável pelo suprimento arterial principal do braço e é a continuação da artéria 
axilar. 
Fabiana A. Getulino – ATM2023 
• Começa na margem inferior do músculo redondo maior e termina na fossa cubital, diante do colo do 
rádio, onde divide – se nas artérias radial e ulnar. 
• No trajeto inferolateral, a artéria braquial acompanha o nervo mediano, que cruza anteriormente a 
artéria. 
(Na Fossa Cubital, a artéria braquial fica entre o nervo mediano (medialmente á artéria) e o tendão do 
músculo bíceps braquial) 
- Os principais ramos da artéria braquial são a artéria braquial profunda e as artérias colaterais (que ajudam a 
formar anastomoses arteriais periarticulares na região do cotovelo). 
- A artéria braquial profunda acompanha o nervo radial ao longo do sulco radial, enquanto segue 
posteriormente ao redor do corpo do úmero. 
✓ Artérias do Antebraço: 
- As principais artérias do antebraço são as artérias ulnar e radial. 
→ ARTÉRIA ULNAR: 
• Desce em sentido inferolateral e depois diretamente inferior; segue superficial ao retináculo dos 
músculos flexores no punho no túnel ulnar (Loja de Guyon)* até entrar na mão. 
* Canal de Guyon = Nervo + Artéria Ulnar. 
• A artéria ulnar entra na região medial do punho e anastomosando – se com o ramo superficial da 
artéria radial forma o arco palmar superficial. 
→ ARTÉRIA RADIAL: 
• O trajeto da artéria radial no antebraço é representado por uma linha que une o ponto médio da fossa 
cubital até um ponto logo medial ao processo estiloide do rádio. A artéria radial deixa o antebraço 
espiralando – se ao redor da face lateral do punho e cruza o assoalho da tabaqueira anatômica. 
• Após atravessar o assoalho da tabaqueira anatômica, a artéria radial entra na palma da mão, passando 
entre as cabeças do primeiro músculo interósseo dorsal e depois gira medialmente, passando entre as 
cabeças do músculo adutor do polegar. 
• A artéria radial termina anastomosando - se com o ramo profundo da artéria ulnar para dar origem ao 
arco palmar profundo, formado principalmente pela artéria radial. 
 
❖ Drenagem venosa – veias superficiais do Membro Superior: 
- Existem dois grupos de veias do braço, superficiais e profundas. 
- As principais veias superficiais do membro superior, as veias cefálica e basílica, originam – se na tela 
subcutânea do dorso da mão a partir da rede venosa dorsal. 
→ VEIA CEFÁLICA: ascende a partir da rede venosa dorsal lateralmente. 
- Anteriormente ao cotovelo, a veia cefálica comunica – se com a veia intermédia do cotovelo na fossa cubital 
e se une à veia basílica. 
→ VEIA BASÍLICA: Ascende da rede venosa dorsal ao longo da face medial do antebraço. 
- OBS: A veia basílica ajuda a forma a veia axilar. 
- OBS: As veias profundas pareadas, que coletivamente foram a veia braquial, acompanham a artéria braquial. 
- OBS: A veia intermédia do cotovelo é selecionada como padrão comum para punção venosa na fossa cubital.