A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Farmacologia do sistema nervoso autônomo

Pré-visualização | Página 2 de 2

usar várias 
vezes ao dia para diminuir a pressão ocular; 
 Toxicidade dos organofosforados; 
 Sudorese, salivação excessiva, diarréia, náuseas, 
hipotensão, dores abdominais, tremores, confusão e 
convulsão (SNC), parada cardiorrespiratória; 
 Inseticida – paration e malation; 
 Intoxicação colinérgica – agonista muscarínico (atropina). 
Agentes parassimpatolíticos: 
Ação direta – antagonistasm muscarínicos: 
 Atropina, escopolamina, ipratrópio; 
 Cólicas abdominais – inibição da motilidade TGI, 
relaxamento muscular (Buscopan); 
 Asma – broncodilatação, redução de secreções; 
 Colírio midriático – midríase (exames oftalmológicos); 
 Tratamento de intoxicação por organofosforados; 
 Pode causar taquicardia, ruborização facial, hipertermia. 
 
Ação indireta: 
Interferindo na síntese de ADh: 
 Hemicolínio. 
Interferindo no armazenamento de ACh: 
 Vesamicol. 
 Interferindo na liberação da ACh: 
 Toxina butolínica; 
 Degrada proteínas de interação da vesícula. 
Transmissão colinérgica ganglionar: 
 Receptores nicotínicos; 
 Existem gânglios em todo o SNA; 
 Se o fármaco não for seletivo para gânglios neuronais, 
ele atinge placa motora; 
 Ao usar um agonista nicotínico, ativa tanto simpático, 
quanto parassimpático – interessante somente em 
procedimentos cirúrgicos; 
 Nicotina – droga recreativa; 
Agentes ganglionares: 
 Trimetafana, hexametônio; 
 Simpático – redução de PA e sangramentos; 
 Parassimpático – redução de secreções, paralisia do TGI 
e micção.