A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Leucemias Mielóides

Pré-visualização | Página 1 de 3

Leucemias Mielóides 
• REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Bogliolo. Patologia. 9a 
edição. Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro - RJ, 
2016. Cap 25. 
• REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Fundamentos em 
Hematologia - Cap: 5 e 6. 
• PROCESSO DE FORMAÇÃO DAS CÉLULAS 
SANGUÍNEAS: 
↪ ocorre na medula-óssea após o nascimento. 
↪ hematopoese extramedular: em casos que a MO não 
consegue fazer a hematopoese, temos o recrutamento 
do fígado e do baço. 
↪ LEUCEMIAS: disfunções nas células progenitoras - de 
origem mielóide ou de origem linfóide. 
↪ LINHAGEM MIELÓIDE: da célula indiferenciada 
mielóide teremos a diferenciação em megacariblasto 
(progenitora de megacfariócitos e plaquetas), 
eritroblastos (dão origem aos eritrócitos) MAS O 
PRINCIPAL BRAÇO ENVOLVIDO COM AS LEUCEMAS 
L I N FÓ I D ES S E RÁ R ELAC I ONADA COM O 
MIELOBLASTO (é um progenitor comum para os 
grânulócitos - basófilo, neutrófilo e eosinófilo) e também 
haverão células progenitoras (monoblastos) que dão 
origem aos monócitos. 
↪ GRANULÓCITOS: grânulos no citoplasma indicam 
leucemia de origem mielóide (mieloblastos). 
↪ leucemias que surgem de células sem granulócitos - 
ou será uma célula progenitora de monócitos 
(monoblasto) ou deriva do mieloblasto que ainda não 
tem grânulos. 
↪ ex: célula indiferenciada mielóide sofre uma mutação 
por conta de um fármaco (ex: etoposídeo - tratamento 
de CA de pulmão de pequenas células) - mutação nessa 
célula pode levar alterações nos: megacarioblastos, 
próeritroblasto, mieloblasto (promielócito, monoblasto) e 
etc… 
↪ CLASSIFICAÇÃO DE FAB: 
* células M0: possuem características de células tronco/
indiferenciadas - não vemos grânulos (mieloblastos). 
* M1: ainda é indiferenciada. 
* M2: começamos a ver grânulos: promielócitos. 
* M3: características de promielócitos n. 
* M7: deriva de megacarioblasto - RARO! 
* M6: deriva de proeritroblasto - RARO! 
↪ LEUCEMIA LINFÓIDE: alteração no percursor linfóide 
- LT, LB e células NK. 
• LEUCOCITOSE: ↑ de leucócitos no sangue periférico 
- podem ser monócitos, eosinófilos, basófilos, 
neutrófilos ou linfócitos. 
↪ sempre avaliar os nºs absolutos no hemograma. 
↪ DESVIO À ESQUERDA: 
 * desvio a esquerda: começam a aparecer células 
imaturas na diferenciação dos neutrófilos no hemograma 
(neutrófilos indiferenciados). 
* quando vemos um mieloblasto no sangue, podemos 
ver todas as etapas que são subsequentes, se eu ver 
a partir de mielócito, veremos todo o restante pra 
frente, até neutrófilos segmentados… (será sempre 
assim)! 
* bastonetes > 400 // qualquer célula alterada a partir 
dos metamielócitos - já temos desvio à esquerda. 
• NEOPLASIAS LINFÓIDES: leucemias l infóides, 
linfomas… 
• NEOPLASIAS MIELÓIDES: leucemias mieloides, 
sindromas mielodisplásicas (hematopoiese ineficaz) e 
distúrbios mieloâproliferativos. 
• LEUCEMIAS: é uma neoplasia de leucócitos maligna 
que se originam na medula óssea - caracterizadas por 
proliferação clonal de célula tronco cujas células-filhas 
substituem progressivamente a medula óssea normal 
e são liberadas no sangue periférico. 
↪ teremos a proliferação clonal das células tronco (seja 
ela linfóide ou mielóide) e, consequentemente, as células 
proliferadas dessa célula mutada irão substituir as células 
da MO e do sangue periférico. 
↪ NAS LEUCEMIAS SEMPRE TEREMOS O 
COMPROMETIMENTO DA MEDULA ÓSSEA. 
↪ a transformação leucêmica pode ocorrer em 
precursor pluripotente (menos comum - mesmo assim 
só alterará um braço: o linfóide ou o mielóide) ou em 
precursores mieloides ou linfoides (mais comum). 
• LEUCEMIAS - CARACTERÍSTICAS GERAIS: 
↪ CÉLULAS IMATURAS/LEUCÊMICAS: recebem o 
nome de blastos e é comum encontrarmos esses 
blastos na MO - indica perda da capacidade de 
maturação normal. 
↪ quando temos as mutações para que os blastos 
aparecem, geralmente ocorrem alterações em genes 
que codif icam fatores de transcrição para a 
d i f e r enc i a ção ce l u l a r - IMPED IMENTO DA 
DIFERENCIAÇÃO CELULAR. 
↪ essas células sofrem imortalização num estágio de 
diferenciação e teremos o bloqueio da apoptose e 
ativação da proliferação. 
↪ ↑ do tamanho da célula. 
↪ imaturidade nuclear: muitos nucléolos, lobulação, 
cromatina frouxa, núcleo irregular. 
↪ célula com contornos irregulares. 
↪ basofilia notória no citoplasma. 
• É muito difícil de ser feita. 
• IMUNOFENOTIPAGEM: quando nossas células 
amadurecem, elas necessariamente vão apresentando 
glicoproteínas específicas - a imunofenotipagem 
identifica os marcadores presentes naquela célula para 
que possam identificar a linhagem da célula. 
• Apenas com a morfologia é difícil identificar a 
linhagem, precisamos da imunofenotipagem. 
• Density plot: uso em experimentos de citometria de 
fluxo - células são colocadas em um tubo e calibramos 
o aparelho pra ler 10k de células em suspensão de 
tampão. 
↪ colocamos anticorpos para a glicoproteína que 
queremos encontrar (antígeno). 
↪ na hora da leitura, é montado um gráfico (eixo X e 
Y) - traça-se uma linha e o aparelho é calibrado para 
dizer que toda vez que a leitura ultrapassar essa linha, a 
célula é positiva para aquele determinado marcador. 
* as células imaturas são CD34 (+) - glicoproteína 
presente nessas células. 
B: CD34 (+) e CD64 (-) 
C: CD33 (+) e CD15 (-). 
• CLASSIFICAÇÃO QUANTO À LINHAGEM: podem ser 
linfóides ou mielóides. 
• QUANTO AO GRAU DE INFILTRAÇÃO DA MO E Nº 
DE BLASTOS: 
↪ nº > 20% blastos na MO ou sangue periférico → 
LEUCEMIA AGUDA. 
↪ nº < 20% de blastos na MO ou no sangue periférico 
→ LEUCEMIA CRÔNICA - aqui também teremos a 
existência de um grande nº de células com 
caracter ís t i cas d i ferenc iadas (PRESENÇA DE 
LEUCOCITOSE NAS LEUCEMIAS CRÔNICAS - 
LEUCOCITOSE). 
• Os blastos não devem aparecer no sangue periférico - 
quando isso ocorrer, sempre suspeitar de leucemia. 
• LMA: teremos um acúmulo de células indiferenciadas 
(blastos) [nº de blastos > 20%] - isso ocorre devido à 
mutação em genes que inibem a diferenciação. 
↪ o percursos comum tem uma mutação na célula 
progenitora, nesse caso da linhagem mieloide e, devido 
essa alteração, essa célula não conseguir completar sua 
diferenciação - temos o mesmo mecanismo na LLA, 
mas a mutação é no percursor linfóide. 
• LMC: teremos um acúmulo de células diferenciadas - 
nesse caso não temos alterações nos genes que 
inibem a diferenciação; há uma mutação no gene 
percursor mieloide mas nesse caso não temos 
alteração de diferenciação, apenas em quantidade 
(leucocitose) e os leucócitos possuem característica 
MUTIO DIFERENCIADA - NEOPLÁSICA. 
↪ na linhagem mieloide: leucocitose de células de 
origem mieloide. 
↪ na linhagem linfoide: leucocitose de células de origem 
linfoide - ex LLC: muitos linfócitos neoplásicos. 
• Geralmente ocorrem em pacientes com idade > 60 
anos. 
➱ Etiopatogênese: 
• Doença agressiva, onde temos a transformação 
maligna ocorrendo em células-tronco da hematopoese 
ou em progenitores primitivos. 
• DANOS GENÉTICOS ENVOLVEM: 
↪ ↑ da velocidade de produção das células. 
↪ ↓ da apoptose. 
↪ bloqueio na diferenciação celular. 
* os dois primeiros são característicos de qualquer 
câncer e o 3º caracteriza a neoplasia aguda. 
* Teremos um ↑ de células hematopoéticas primitivas, 
chamadas de células blásticas, ou apenas blastos. 
• Os blastos podem ter características de diferentes 
percursores - causam heterogeneidade nas LMAs. 
• Essas leucemias podem se originar sem nenhuma 
causa específica ou a partir de uma outra neoplasia. 
• Não sabe-se muito bem as causas das leucemias em 
geral (fala-se em alquilantes, eritoposideo, radiação 
ionizante…). 
• COMO CLASSIFICAR A LEUCEMIA? morfologia, 
citoquímica, molecularmente e imunofenotipagem - 4 
pilares para o diagnóstico de qual a característica da 
LMA. 
➱ Características: 
• Anemia e hemorragias são comuns porque as células 
alteradas vão tomando espaço e preenchendo a MO, 
o espaço de outras células - o diagnóstico de LMA 
inclui história de anemia e hemorragias