A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
Resumo de anatomia do sistema digestório

Pré-visualização | Página 7 de 7

fazem sinapse no gânglio celíaco -> fibras pós-ganglionares que saem dele 
acompanham os vasos hepáticos (a. hepática comum, a. hepática própria, a. hepática direita e esquerda) em direção à víscera 
 
Parassimpática: nervos vagos d/e dos troncos vagais anterior e posterior, que saem do bulbo/tronco encefálico -> alcançam a região 
periarterial (vasos hepáticos) -> fibras pré-ganglionares parassimpáticas vão fazer sinapse nos gânglios terminais, situados dentro ou 
próximo da víscera -> fibras pós-ganglionares vão p/ fígado; 
Drenagem linfática 
- Fígado tem 2 tipos de vasos linfáticos - superficiais (faces diafragmática e visceral -> drenam p/ linfonodos frênicos -> linfonodos 
mediastinais -> ductos linfáticos direito e ducto torácico) e profundos (associados à tríade portal -> drenam p/ linfonodos hepáticos, 
celíacos e cisterna do quilo -> ducto torácico -> ângulo venoso esq. ) 
➢ Vesícula biliar – bolsa piriforme na fossa cística da face visceral do fígado que armazena bile 
- Estrutura: 
- Fundo - distal; 
- Corpo – associado c/ face visceral do fígado; 
- Colo - contínuo c/ ducto cístico; 
- Infundíbulo (bolsa de Hartmann) - superior. 
- Armazena cerca de 50ml de bile -> contração na vesíc biliar p/ bile emulsificar gordura 
➢ Vias biliares 
* Colelitíase - cálculo na vesíc biliar 
 
Canalículos biliares > Ductos biliares interlobulares > Ductos biliares coletores D/E> Ducto hepático D/E -> ducto hepático 
comum se une c/ ducto cístico (prega espiral ajuda a manter aberto) -> ducto colédoco + ducto pancreático = ampola hepato-
pancreático (contração da musculatura esfícteriana não permite que a bile se projete p/ a parte descendente, indo ser armazenada p/ 
vesícula biliar) 
* Colecistocinina: durante a alimentação, relaxa o músculo esfíncter de Oddi -> contração da vesíc biliar 
➢ Músculo esfíncter do ducto pancreático; 
➢ Músculo esfíncter do ducto colédoco; 
➢ Músculo esfíncter da ampola pancreática (de Oddi). 
Variações - vesícula e vias biliares 
 
Irrigação: a. hepática comum origina a. hepática própria -> origina a. hepática direita -> origina a. cística, que supre vesíc biliar 
* a. pancreaticoduodenal superior posterior (ramo da a. gastroduodenal) supre a parte distal da árvore biliar 
Drenagem: veias císticas drenam p/ v. porta ou fígado 
Inervação: 
Simpática: de níveis torácicos inferiores, fibras pré-gangl simpáticas chegam ao gânglio paravertebral -> fibras simpáticas 
acompanham nervos esplâncnicos maiores, fazem sinapse no gânglio celíaco e dps fibras pós-ganglionares simpáticas partem p/ os 
ductos biliares e vesícula; 
Parassimpática: nervos vagos se direciona às vísceras 
Fibras aferentes somáticas do nervo frênico (dor somática) -> inflamação da vesícula pode levar à irritação do peritônio parietal -> 
aferência somática vai acompanhar nervo frênico até os dermátomos de C3-C5 e o pcte refere dor na região do ombro 
Aferentes viscerais: viscerorreceptores -> dor QSD e epigástrio (vesíc inflamada) -> acompanha ascendendo fibras simpáticas - 
nervo esplâncnico maior - até alcançar níveis medulares (T5-T9) – pcte refere dor visceral 
Baço 
- 12 cm de comprimento e 7 cm de largura -> 
- massa oval situada no QSE inferior ao diafragma, lateral ao estômago c/ íntima relação c/ rim esquerdo e costelas (IX-X); 
* pode haver ruptura do baço associado à trauma na região mais lateral esquerda -> costelas podem perfurar o baço, levando à 
hemorragia = hemoperitôneo -> pcte pode ter dor no QSE e irradiar p/ ombro esquerdo (caso haja irritação do peritônio parietal) + 
choque hipovolêmico -> morte - 
Funções: 
- Participa do sistema de defesa do corpo como local de proliferação de linfócitos (leucócitos), de vigilância e resposta imune; 
- Após o nascimento: identificação, remoção e destruição de hemácias antigas e de plaquetas fragmentadas e da reciclagem de ferro e 
globina; 
- Filtração do sangue; 
- No período pré-natal, há grande contribuição hematopoiética. 
Aspectos anatômicos - face diafragmática lisa convexa + face visceral c/ impressões (gástrica, cólica - flexura esquerda do colo -, 
renal) + revest por cápsula fibrosa esplênica + há peritônio visceral na parte superior + ligamento gastro-esplênico (prega peritoneal) 
+ lig esplenorrenal/lienorrenal (ligs garantem mobilidade) + polo superior e polo inferior/ anterior? (associado c/ face cólica) + 
abertura denominada hilo esplênica (onde passam aa./vv. esplênicas, vasos linfáticos eferentes e nervos) 
* fígado é revest por cápsula fibrosa que o envolve (cápsula de Glisson), c/ peritôneo visceral superiormente 
Irrigação: saindo da aorta, há o tronco celíaco -> a. esplênica (maior ramo) -> emite ramos que suprem polos superior e inferior do 
baço 
Drenagem: v. esplênica -> esplenomegalia por refluxo da v. porta 
Drenagem linfática: linfonodos esplênicos situados ao redor dos vasos esplênicos -> drenam em direção aos linfonodos pancreáticos 
esplênicos -> linfonodos celíacos -> cisterna do quilo -> ducto torácico 
Inervação: a partir dos nervos esplâncnicos torácicos, fibras simpáticas alcançam gânglio celíaco -> fibras fornecem inervação 
simpática ao baço.