A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
História da Educação Inclusiva

Pré-visualização | Página 1 de 1

Na Educação Inclusiva deve haver um 
encontro entre a pedagogia e a psicologia para a 
construção de uma escola ideal para crianças com e 
sem deficiência. 
 
 
• Vivemos em um mundo que não está preparado para atender as 
necessidades das pessoas com deficiência 
 
A convivência com essas pessoas pode nos ensinar muita coisa, como por exemplo que 
todas as crianças têm o direito de poderem brincar, se divertir, fazer amigos e 
aprender em um ambiente que promova o acolhimento e a aceitação de cada um. 
 
 
História da Educação Inclusiva 
 
 
“Vivemos atualmente um momento cada vez mais intenso de luta pelos 
direitos dos grupos minoritários, até então excluídos e marginalizados de 
nossa sociedade. Esse movimento é denominado inclusão social e está 
relacionado à garantia de equiparação de oportunidade para todos os 
indivíduos, em todas as áreas de nossas vidas. No que diz respeito à 
educação, esse movimento se traduz em inclusão escolar, cujo objetivo 
principal é a construção de uma escola democrática, na qual as 
necessidades educacionais específicas de todos os alunos, sem exceção, 
sejam atendidas e na qual a diversidade seja uma característica intrínseca e, 
como tal, seja aceita, respeitada e valorizada”. (Silva, 2012, p. 6) 
 
• Na Antiguidade, crianças nascidas com deficiência, como má 
formação ou alguma doença, eram abandonadas a própria sorte. 
As condições de vida eram ruins, e a humanidade lutava pela 
própria existência. Abandonar um integrante do grupo que não 
pudesse lutar contra um inimigo ou que atrasasse os demais 
numa fuga era algo natural e importante; 
• Na Idade Média, as pessoas com deficiências eram 
consideradas impuras e suas doenças eram consideradas 
castigos divinos. Muitos viviam enclausurados em jaulas e 
eram tratados como animais; 
• Na Fase Moderna, com as descobertas da ciência, passou-se a 
entender melhor o funcionamento da mente humana e surgiram 
então estratégias para educar os portadores de deficiências. 
 
 
Maria Montessori foi a primeira a criar materiais didáticos para deficientes. 
 
Acredita-se que as unidades da Santa Casa de Misericórdia foram as 
primeiras a acolher as crianças com deficiências, já que prestavam 
assistência aos pobres e doentes. Na roda dos expostos as crianças rejeitadas 
podiam ser deixadas aos cuidados da igreja de forma anônima. 
 
• Duas vertentes pedagógicas na história da educação especial no 
Brasil: 
 
• Vertente médico pedagógica: as decisões sobre o diagnóstico e as 
práticas escolares são subordinadas ao médico. 
• Vertente psicopedagógica: há maior ênfase nos princípios 
psicológicos, mas o papel do médico ainda é importante.