A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Babesiose Bovina Slide

Pré-visualização | Página 1 de 1

BABESIOSE BOVINA
Doenças Infecciosas e 
Parasitárias em Animais de 
Produção
COMPONENTES
• Sarah Herwerlly Alves da Silva
• Stella Mires da Silva Dias
• Vitor Mazonne Dias Vieira
• Wesley da Silva Mesquita
• William Carvalho Santos
• Wallison Mateus Mesquita de Sá
• Andreza Santana de Souza
• Caio Vinnicius Belém Barbosa Silva
• Darilla Ramos Freitas
• Herika Lizandra Guedes Ferreira
• Karen Alexandra A. de Araújo
• Kássila Ellen dos Santos
• Lourran de Avelar Rodrigues
• Lígia Oliveira da Silva
SUMÁRIO
1. Importância
2. Agente etiológico
3. Cadeia epidemiológica
4. Patogenia
5. Sinais clínicos
6. Diagnóstico
7. Tratamento
8. Controle e Profilaxia
IMPORTÂNCIA
•Limitante para a bovinocultura
•Endêmica
•Zoonose
•Prejuízos econômicos
•Alta morbidade
•Alta mortalidade
AGENTE ETIOLÓGICO
• A babesiose é causada pelos
protozoários Babesia bovis
e Babesia bigemina, família Babesiidae.
• Seu principal vetor é o
carrapato Rhipicephalus Boophilus microplus,
único vetor presente da babesiose no Brasil.
• O R. (Boophilus) microplus é um
ectoparasito hematófago de origem asiática,
cujo principal hospedeiro é o bovino
CADEIA EPIDEMIOLÓGICA
Fonte de 
infecção
Via de 
eliminação
Meio de 
transmissão
Porta de 
entrada
Fatores 
predisponent
es
Carrapato 
infectado
Sangue 
infectado do 
bovino
Forma 
transovariana
Via sanguínea Períodos de 
calor intenso
Glândulas 
salivares do 
carrapato
Ambientes 
sem 
higienização
PATOGENIA
A patogenia nos bovinos está ligada diretamente 
à fatores como:
•Espécie
•Cepa
•Taxa de inoculação
•Idade
•Estresse
•Raça
ESPOROZOÍTOS
MORTE
HEMOGLOBINÚRIAANEMIA ICTERÍCIA
HEMÓLISE
PICO DE 
MULTIPLICAÇÃO
ROMPIMENTO DA 
CÉLULA PARASITADA
MULTIPLICAÇÃOMEROZOÍTOSTROFOZOÍTOS
SINAIS CLÍNICOS
•Anemia
•Hipertermia
•Icterícia
•Inapetência
•Caquexia
•Desidratação
•Taquicardia
DIAGNÓSTICO
•Clínica do animal
- icterícia
- hemoglobinúria
- febre
•Diagnóstico laboratorial
- RIFI
- ELISA
TRATAMENTO
No tratamento da babesiose bovina o
objetivo é destruir os protozoários no animal.
Para isso, o médico veterinário deve fazer o
diagnóstico e receitar os medicamentos. Os
principais são antibióticos, complexos e
suplementos vitamínicos também são indicados
para agilizar a recuperação.
CONTROLE E PROFILAXIA
•Vacinação
•Controle do carrapato no ambiente
•Controle do carrapato no hospedeiro
•Construção de pedilúvio
REFERÊNCIAS
MARTINS, J. R. De olho na babesiose. Revista Cultivar Bovinos, n.3, dez. 2004.
MANOELA M. K. Tristeza Parasitária Bovina (Babesiose x Anaplasmose). Faculdades Metropolitanas Unidas – FMU, 2009.
Disponível em < https://arquivo.fmu.br/prodisc/medvet/mmk.pdf> Acesso em: 28 maio de 2021.
MARTINS, J. R.; CORRÊA, B. L. Babesiose e Anaplasmose bovina: aspectos destas enfermidades. Pesquisa Agropecuária
Gaúcha, v. 1, n. 1, p. 51-58, 30 jun. 1995. Disponível em
<http://revistapag.agricultura.rs.gov.br/ojs/index.php/revistapag/article/view/583/535> Acesso em: 28 maio de
2021.
PINTO, Roberta Linck. Babesiose canina: relato de caso. Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Porto Alegre: 2009.
Disponível em: &lt;https://www.equalisveterinaria.com.br/wp-content/uploads/2018/12/Babesiose-Canina-Relato-de-
Caso.pdf &gt; Acesso em: 31 maio de 2021.
SANTOS, Jessica Lúcia dos. Babesiose canina: relato de caso. Universidade Federal Do Recôncavo da Bahia, Cruz
das Almas: 2019. Disponível em:
&lt;http://www.repositoriodigital.ufrb.edu.br/bitstream/123456789/1798/1/TCC%20Jessica%20Vers%C3%A3o%20f
inal%20para%20cd%20%282%29.pdf&gt; Acesso em: 31 maio de 2021.
TRINDADE, Hébelys Ibiapina; ALMEIDA, Katyane de Sousa; FREITAS, Fagner Luiz da Costa.
OBRIGADO!