A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Psicomotricidade

Pré-visualização | Página 1 de 3

Psicomotricidade: 
✓ Integração das funções motrizes e 
mentais sob efeito da educação e do 
desenvolvimento do SN. 
✓ Integração organizada do que é motor, 
sensitivo, psíquico e das experiencias 
individuais, que busca, através do 
corpo e de sua interação. 
✓ Seu objeto de estudo é o homem 
através de seu corpo em movimento e 
em relação ao seu mundo interno e 
externo. 
✓ Está relacionado ao processo de 
maturação, onde o corpo é a origem 
das aquisições cognitivas, afetivas e 
orgânicas. 
Maturação do SN é caudal-cefalico, já a 
maturação motora é o contrário. 
3 Pilares da Psicomotricidade: 
− O querer fazer (emocional); 
− O poder fazer (motor); 
− Saber fazer (cognitivo). 
Formas de atuação: 
− Educacional; 
− Hospitalar; 
− Empresarial; 
− Clínico. 
O papel do fisioterapeuta na 
psicomotricidade é definir e relacionar as 
diversas áreas ou fatores psicomotores (ex 
equilibro); realizar diagnostico 
Classificação Convencional: 
Idade cronológica – É expressa pelo 
número de anos transcorridos desde o 
nascimento da pessoa até o momento 
atual. Idade real, para crianças é dias, 
meses e anos. 
 
Pré-natal: Concepção ao nascimento 
✓ Zigoto: Concepção até 1ª semana 
✓ Embrionário: 2ª-8ª semana 
✓ Fetal: 8ª semana ao nascimento 
✓ O pré-natal é extremamente importante 
para o desenvolvimento da criança. 
Primeira infância – Nascimento aos 2 anos 
✓ Neonatal: Nascimento ao 1° mês; 
✓ Início da infância: 1° ao 12° mês; 
✓ Infância posterior: 12° a 24° mês. 
Infância – 2 aos 10 anos 
 
Adolescência – 10 aos 20 anos 
✓ Puberdade: F: 10 aos 12; M: 11 aos 13 
✓ Pós-Puberdade: F: 12 aos 18; M: 14 a 20. 
Introdução a Fisioterapia Pediátrica: 
− Crescimento: Tamanho, peso do corpo. 
Avaliamos através dos dados 
antropométricos, balança, dobras 
cutâneas, perímetros e diâmetros 
− Perímetro torácico deve passar o 
cefálico até o 5° mês de vida, antes é ao 
contrário. Se isso não ocorrer, pode ser 
macrocefalia. 
− Podemos medir o comprimento quando 
a criança não fica em pé. 
− Por volta dos vinte anos o crescimento 
para, já o desenvolvimento não. 
 
Desenvolvimento: 
Instrumento usados na pratica clinica 
− Desenvolvimento Psicomotor: 
• EDM; BPM; IPO; ALBERTA. 
− Equilibrio: 
• Berg pediátrica 
− Especifica: 
• CARS, entre outras 
Função motora: 
• FMS, MACS, GMFM, GMFCS 
− Luria, um neuropsicológo soviético 
especialista em psicologia do 
desenvolvimento que agrupou os 
fatores psicomotores de acordo com 
três unidades funcionais da atividade 
mental. 
 
 
Tonicidade: 
− Tônus Muscular: É o estado de tensão do 
músculo 
− Tonicidade é a capacidade de regular 
o estado de tensão intramuscular. 
− Fonseca (1995) afirma que a tonicidade 
garante, por consequência, as atitudes, 
as posturas, as mímicas, as emoções, 
etc., de onde emergem todas as 
atitudes, as atividades motoras 
humanas. 
− A capacidade de manter posturas 
demonstra a capacidade do tônus do 
pcte. Mas visual apenas achamos, 
devemos palpar, de proximal para 
distal. 
 
Equilíbrio: 
− Capacidade de sustentar-se em uma 
posição, pode ser estático ou dinâmico 
 
Estático – Contração Isometrica 
Dinamica – Contrações mais isotonicas. 
 
− O equilíbrio é o alicerce de toda a ação 
diferenciada dos segmentos corporais. 
− Em todo o movimento efetuado existe 
uma luta constante mesmo que 
inconsciente contra o desequilíbrio, 
quanto mais difícil for esse movimento 
maior será o consumo de energia para 
a execução do mesmo. 
− (ROSA NETO, 2007) 
 
Lateralidade: 
− O corpo humano é composto por duas 
partes anatômicas, sendo eles, pares e 
globalmente simétricas. 
− A lateralidade é a opção da utilização 
de uma das partes simétricas do corpo: 
mão, olho, ouvido, perna. 
− Tem tendências genéticas, mas por 
volta de 6 anos se define qual lado tem 
melhor performance. 
− Lateralidade cruzada. Ex: usa mão 
esquerda e pé direito. 
− Lateralidade indefinida: Não se sabe 
qual parte usar para a função. 
Esquema Corporal: 
 
− Saber como é o corpo no espaço. 
− O esquema corporal é a organização 
das sensações relativas ao seu próprio 
corpo em conjunto das atividades do 
mundo exterior. 
− Ela está ligada com a capacidade doas 
crianças identificar entre direita e 
esquerda. 
 
Fases do Esquema Corporal: 
Auto-Referencial: 
− Capacidade de entendimento do seu 
corpo; 
 
Projeção: 
− A criança é capaz de projetar seu corpo 
ao corpo do outro (nos pais, etc). Nesta 
fase descobre que as pessoas têm olhos, 
nariz, boca, etc; 
 
Constância De Percepção: 
− Capacidade de transferir o esquema 
corporal para outros seres. Ex: associar a 
tromba de um elefante a nariz. Ainda 
não perceberem as diferenças de um 
nariz com a tromba; 
 
Dimorfismo Sexual: 
• Primário: Órgãos genitais masculinos e 
femininos são diferentes; 
• Secundário: Envolve características 
como barba, seio, pêlos, forma do 
corpo, entre outros; 
• Cultural: Envolvimento dos hábitos de 
cada sexo, como: mulher com saia e 
cabelos compridos, homem com barba 
e cabelos curtos. 
 
Nota: O esquema corporal promove a 
imagem corporal 
 
Esquema Corporal + Lateralidade = Porta 
de entrada para aquisição de 
 
Organização Espaço-Temporal. 
 
− A organização espacial está ligada a 
noção de espaço, ela pode ser 
concreta e ao mesmo tempo abstrata, 
finita e infinita, envolvendo diversas 
modalidades sensoriais que participam 
em certa medida na percepção 
espacial: a visão, a audição, o tato, a 
propriocepção e o olfato. 
− A orientação espacial indica a nossa 
habilidade de avaliar a relação física 
entre o nosso corpo e o ambiente com 
precisão. 
Noções Espaciais: 
• Dentro - fora 
• Embaixo - em cima 
• Perto - longe 
• Frente - costas 
• Ao lado 
• Direções: 
• subir, descer, ir, vir, para frente, para 
trás 
• Maior, menor 
 
 
Organização Temporal: 
− A organização temporal é o 
conhecimento das relações com o meio 
no que diz respeito à área de 
comunicação e representação 
(temporais). 
− É o conhecimento sobre o tempo e 
todas as suas peculiaridades. A 
dimensão temporal influi diretamente no 
resultado da ação motora. 
 
Noções Temporais: 
• 1 a 3 anos: noção de dia e noite; 
• 3 a 5 anos: sequência das AVDs, 
aquisição do antes e depois; 
• 6 anos: hoje - amanhã – ontem; 
• 7 anos: dias da semana (nomes e 
sequência); 
• 8 anos: horas; 
• 9 anos: meses do ano. 
− Ritmo: Lento, moderado e rápido 
Coordenação motora: 
• Fina – Coordenação motora fina: 
 
− É a capacidade de usar de forma 
eficiente e precisa os pequenos 
músculos, produzindo assim movimentos 
delicados e específicos. Este tipo de 
coordenação permite dominar o 
ambiente, propiciando manuseio dos 
objetos. 
− Ex: Recortar, lançar em um alvo, 
costurar, escrever, digitar, etc. 
 
• Grossa – Coordenação motora global: 
− Está ligada com capacidade da 
criança ou do adulto dominar os 
movimentos mais amplos dos grandes 
grupos musculares. 
− Ex: Andar, pular, rastejar, etc 
 
• Visomotora: Ex: Pontilhado 
 
− O objetivo deste estudo foi explorar a 
relação entre o TDAH e o desempenho 
motor fino 
− O grupo com TDAH apresentou 
desempenho menor em relação ao 
grupo controle em todas as tarefas de 
coordenação motora fina. Os autores 
recomendam incluir treinamento e 
aprimoramento de habilidades motoras 
finas para um tratamento mais 
abrangente do TDAH. 
Comportamento motor: 
− Ciência do movimento humano que 
pode ser analisado de acordo com três 
sub-áreas: 
• Desenvolvimento motor; 
• Aprendizagem motora; 
• Controle motor. 
 
Desenvolvimento Motor: 
− É o processo natural relacionado à 
idade cronológica, pelo qual o ser 
humano adquire uma enorme 
quantidade de habilidades motoras, as 
quais progridem de movimentos simples 
e desorganizados para a execução de 
habilidades motoras altamente 
organizadas