A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
97 pág.
MANUAL DE REPRESENTAÇÃO TEMÁTICA 2014 1

Pré-visualização | Página 7 de 12

traduzindo, assim, em linguagem 
codificada, o assunto dos documentos, e indicando sua localização nas 
estantes, nos catálogos e nas tabelas de classificação (PIEDADE, 1977). 
 
3.1.1 Caracteres 
 
Uma notação é constituída de caracteres que podem ser números (decimais 
ou aritméticos), letras (maiúsculas e minúsculas) e sinais gráficos (parênteses, 
ponto, vírgula, etc.). 
 
Com relação aos caracteres empregados, a notação poderá ser: 
 
1. Pura – quando apresenta caracteres de um só tipo (números ou letras); 
 
Exemplo: 
 
CDD – emprega apenas algarismos arábicos, apesar de termos o ponto, ele é 
usado unicamente para facilitar a leitura do número. 
 
726.7710222 – Desenhos arquitetônicos de abadias beneditinas. 
 
 
 
 
 
 36 
Técnico em Biblioteca 
 Competência 03 
2. Mista – quando emprega caracteres de mais de uma qualidade. 
 
Exemplo: 
 
CDU – emprega algarismos decimais, sinais gráficos, letras e palavras. 
336.2(816.12Campinas) “1970”(042.3) – Conferência sobre impostos do 
município de Campinas, em 1970. 
 
Assim, também, podemos distinguir as classificações entre aquelas que usam 
apenas números, de numéricas, as com apenas letras, de alfabéticas e as que 
empregam ambos os caracteres de alfanuméricas. 
 
Além de localizar os assuntos em uma coleção, a notação oferece, ainda, um 
meio para remeter do índice às tabelas de classificação ou das fichas do 
catálogo aos documentos. Vamos ver como isso funciona, na prática: 
 
Então caro aluno, quando alguém que solicita um documento sobre “partidos 
políticos do Brasil no século XX”, podemos saber que “Partidos políticos” é 
tema de “Política” que está incluída entre as “Ciências Sociais”, que os 
“Partidos Políticos” estão subdivididos por país e, depois, por período, mas 
pode não saber, exatamente, onde está este assunto na coleção; porém, se 
tivermos um símbolo que indique que o devido assunto fica em 329.8106 ou 
em 329(81)”19”, podemos ir diretamente onde ele se encontra (PIEDADE, 
1977). 
 
As notações apresentam, também, um símbolo que, combinado com outros, 
indica os assuntos considerados complexos ou compostos. A esta combinação 
é dado o nome de síntese. A maioria das classificações é dotada de notação 
de síntese. 
 
Exemplo: 
 
O símbolo 329.81 na CDD é uma síntese entre 329 = Partidos Políticos + 81 
 
 
 
 
 
 
 
 
37 
Representação Temática 
 Competência 03 
notação referente à área do Brasil. 
 
3.1.2 Finalidades 
 
Podemos dizer, então, que as finalidades de uma notação são: 
 
1. Traduzir em símbolos o assunto dos documentos; 
2. Localizar o assunto na coleção; 
3. Indicar, pelo índice ou pelas fichas do catálogo, onde se encontra 
determinado o assunto; 
4. Permitir a síntese; 
5. Mostrar a hierarquia ou a estrutura da classificação. 
 
3.1.3 Qualidades 
 
Entre as qualidades que uma notação deve possuir estão: 
 
1. Indicar a ordem dos assuntos de modo claro e automático, a fim de permitir 
a localização da informação procurada; 
2. Permitir revelar integralmente o assunto do documento; 
3. Ser hospitaleira, isto é, permitir o número de subdivisões necessárias a cada 
assunto; 
4. Ser flexível ou expansiva, isto é, permitir a inclusão de novos assuntos nas 
posições mais convenientes; 
5. Ser fácil de lembrar, falar e escrever; 
6. Ser breve e simples; 
7. Revelar a estrutura da classificação, a sua hierarquia, isto é, mostrar as 
classes relacionadas e as classes subordinadas; 
8. Ser mnemônica. 
 
3.1.4 Ordem 
 
Tanto as notações puras como as mistas devem seguir uma ordem dentro do 
 
 
Mnemônico: 
conjunto de 
técnicas utilizadas 
para auxiliar o 
processo de 
memorização. 
Consistem na 
elaboração de 
suportes como 
esquemas, gráficos, 
símbolos, palavras 
ou frases 
relacionadas como 
o assunto que se 
pretende 
memorizar. 
 
 
 
 38 
Técnico em Biblioteca 
 Competência 03 
sistema. Quando são usados apenas números e letras, a sua compreensão é 
mais fácil, ao contrário daquelas onde são usados números, letras e sinais 
gráficos. Vale ressaltar que as notações com uso de sinais gráficos, como a 
CDU, devem ter estabelecidas as regras para proceder em relação à ordem, já 
que esses não são naturais como os números e as letras. 
 
3.1.5 Expressividade 
 
De acordo com essa característica, ela pode ser hierárquica ou estrutural e, 
ainda, ordinária ou não hierárquica ou não estrutural. 
 
Exemplo: 
 
Hierárquica mostrando a sequencia das divisões. 
 
5 Ciências Puras 
51 Matemática 
511 Aritmética 
511.2 Teoria dos números 
 
Ordinária: não há uma sequência das divisões. 
 
C Ciências Puras 
 
E Matemática 
 
F Aritmética 
 
3.1.6 Especificidade 
 
A notação deve permitir a especificidade desejada para a classificação, 
possibilitando a formação de símbolos para representar os conceitos mais 
simples, assim como os mais complexos, ficando a decisão de acordo com a 
 
 
 
 
 
 
 
 
39 
Representação Temática 
 Competência 03 
característica da unidade informacional. 
 
3.1.7 Hospitalidade e Flexibilidade 
 
A hospitalidade da notação pode ser compreendida de duas formas: 
 
1. Hospitalidade em Cadeia – quanto à subdivisão é do mais geral para o mais 
específico. Exemplo: 
 
5 Ciências Puras 
51 Matemática 
511 Aritmética 
511.2 Teoria dos números 
 
2. Hospitalidade em Fileira – quando permite a representação dos vários 
assuntos correlatos, resultantes da subdivisão de um assunto mais geral ou de 
várias espécies de um mesmo gênero. Exemplo: 
 
 
 
 
 
A notação decimal é bem hospitaleira em cadeia, mas pouco em fileira, pois 
só conta com nove subdivisões. Para alargar a hospitalidade em fileira, 
quando a notação é decimal, Ranganathan propôs o “principio da oitava”, isto 
é, a utilização, na divisão, dos algarismos de 1 a 8 e a transformação do 9 em 
91 até 98 e do 99 em 991 e assim sucessivamente (PIEDADE, 1977). 
 
Utilizando o princípio da oitava na divisão da Filologia em relação à língua 
teríamos: 
 
4 Filologia 
 
 
 
 40 
Técnico em Biblioteca 
 Competência 03 
41 Língua portuguesa 491 Língua finlandesa 
42 Língua francesa 492 Língua rética 
43 Língua alemã 493 Língua norueguesa 
44 Língua espanhola 494 Língua irlandesa 
45 Língua romena 495 Língua flamenga 
46 Língua polaca 496 Língua africaander 
47 Língua búlgara 497 Língua provençal 
48 Língua armênia 498 Língua sânscrita 
 4991 Língua tupi 
 
Outra saída para aumentar a hospitalidade em fileira é subdividir um número 
pela centena e não pela dezena, como é comum. 
 
Exemplo: na CDU o assunto 329 é subdividido da seguinte forma: 
 
329.11 
329.12 
329.13 
329.14 
........... 
329. 21 
329.22 
329.23 
329.14 
Etc. 
 
Em relação à flexibilidade de uma notação para inclusão de novos assuntos, 
pode exigir a inclusão no início, no fim ou no meio de uma sequência. No caso 
dos dois primeiros, é feita uma extrapolação e no terceiro uma interpolação. 
Normalmente é realizada de duas formas: 
 
1. Deixando-se símbolos vagos, que apresentam o problema de não ser 
possível antecipar os locais onde haverá inserção de um novo conhecimento 
 
 
 
 
 
 
 
 
41 
Representação Temática 
 Competência 03 
ou assunto. 
2. Utilizando caracteres de novo tipo, letras ou números decimais. Podem 
ocorrer problemas ligados à diminuição da expressividade da notação, pois há

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.