A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
aula_compressibilidade

Pré-visualização | Página 2 de 2

a equação diferencial 
tem-se:
T = fator tempo (adimensional)
6.2. Distância de drenagem
Hd
Hd
Hd
6.3. Grau ou porcentagem de 
adensamento (na profundidade z)
:Importante! A porcentagem de adensamento independe do valor 
do carregamento, ou seja da manitude da tensão total ou poro-
pressão a ser dissipada. O tempo necessário para dissipação 
depende principalmente de cv e H.
Uz = 1 – u(t)
uo
IMPERMEÁVEL
Poro pressões x recalques
• Admitindo-se variação linear entre tensões 
effetivas e índice de vazios é possível passar 
de “análise em termos de poro pressões”
para “análise em termos de recalques”.
02
'
1'
'
201


u
uu vv 
fo
o
e
e
AD
AB
DE
BC
u
uu


Semelhança de triângulos
Livro Carlos Pinto – item 10.2
Grau de Adensamento
01 e
e
H
H

ef
e


fH
H


U = Recalque para tempo t
Recalque total
6.4. Grau de adensamento médio (U ou U) 
U(%) T
1 0,0001
10 0,0078
20 0,0314
30 0,0707
40 0,126
50 0,197
60 0,287
70 0,403
80 0,567
90 0,848
100 ∞
2
4
UTv

Para U de 0 a 60%
)100log(933,0781,1 UTv 
Para U acima de 60%
Resumo de Compressibilidade e 
adensamento primário: cálculos
1. magnitude do recalque por adensamento 
primário, se possível dividindo a camada H em 
sub-camadas; parâmetros necessários: eo, Cc, Cs, ´vm, hat;
2. variação de recalques com o tempo; parâmetros 
necessários: t, Hd, cv
7. Adensamento (compressão) secundário
Definição: deformações que ocorrem 
principalmente ao fim do adensamento primário e 
que não podem ser atribuídas à dissipação dos 
excessos de poro-pressão (pequenos), ainda 
remanescentes no corpo de prova, dá-se o nome 
de adensamento secundário.
Adensamentos primário e secundário
1650,0
1700,0
1750,0
1800,0
1850,0
1900,0
1950,0
2000,0
0,1 1,0 10,0 100,0 1000,0 10000,0
tempo (min)
l
e
i
t
u
r
a
 
d
o
 
e
x
t
e
n
s
ô
m
e
t
r
o
 
(
1
0
-
2
 
m
m
)
Compressão
secundária
Argila do Sarapuí
Prof. 3,0 - 3,5m
 : 25 → 50 kN/m2
t50 = 18,5 min
Hd=0,935cm
cv=1,55.10
-4cm2/s
experimental
teoria de Terzaghi
Construção da curva recalque x tempo (de campo)
C – coeficiente de adensamento secundário
pp sTtstt U ).()(;
___







*
0
0*
**
log
1
)(;
)(;
p
pp
ppp
t
t
e
HCststt
ststt

8. Aceleração dos recalques com drenos verticais
Instalação dos drenos 
atravessando a camada 
compressível  redução do 
comprimento de drenagem
Importante
Os drenos não reduzem 
a magnitude dos 
recalques, há apenas 
aceleração dos recalques
sem 
drenos
com drenos
Tempo
R
e
c
a
l
q
u
e
s