Sarcopenia
47 pág.

Sarcopenia


DisciplinaFisioterapia11.698 materiais43.394 seguidores
Pré-visualização2 páginas
VII Fórum da Câmara Técnica de Medicina Desportiva - CREMERJ
Exercício na 
Sarcopenia
Alfredo Villardi
Sarcopenia
Redução da massa
muscular e da força, 
imposta pela idade
Causa potencial, importante e reversível de 
morbidade e mortalidade de pacientes
idosos
Janssen et al: J Am Geriatr Soc. 2002 May;50(5):889-96
Sarcopenia
Sarcopenia
Condição multifatorial que
determina mudanças nos
músculos com a idade, 
levando a perda involuntária
de massa muscular, força e 
função
Etiologia multifatorial
\u2022 Imobilidade
\u2022 Alterações no metabolismo muscular
\u2022 Alterações endócrinas
\u2022 Alterações mitocondriais
\u2022 Alterações da junção neuromuscular
\u2022 Fatores nutricionais
\u2022 Fatores genéticos
\u2022 Citocinas pró-inflamatórias
\u2022 Aumento de produção de radicais livres
Etiologia
Embora existam muitos potenciais
mecanismos para explicar a sarcopenia, a 
contribuição específica de cada um continua 
desconhecida
Roth et al:J Nutr Health Aging. 2000;4(3):143-55 
Teorias
\u2022 Processo inflamatório de baixo grau
\u2022 Alterações de IL-6 e TNF-\u3b1 (fator de necrose tumoral)
\u2022 Hsp (heat-shock protein) - Proteção celular
\u2022 Exercício: Restabelece a Hsp e citocinas circulantes
Bautmans et al: Gerontology. 2005 Jul-Aug;51(4):253-65
Teorias
\u2022 Redução da ação do IGF-1 no músculo (Insulin-like growth factor)
\u2022 IGF-1 promove proliferação mioblástica
\u2022 Diferenciação celular
\u2022 Através de múltiplos mecanismos sinalizadores
\u2022 Exercícios e lesões produzem:
Aumento da IGF-1
Aumento dos receptores de IGF-1
Aumento IGF-1-ativada- função sinalizadora
Adamo&Farrar: Ageing Res Rev. 2006 Aug;5(3):310-31
\u2022 Diretos e indiretos
\u2022 U$18.5 bilhões - ano de 2000
Janssen et al : J Am Geriatr Soc. 2004 Jan;52(1):80-5
Custos
Perda muscular
\u2022 A perda de massa muscular é comum com a idade
\u2022 Perda do tamanho e número de fibras musculares
\u2022 A partir dos 50 anos: aceleração significativa
\u2022 30 - 80 anos: Perda de 50% da força muscular
\u2022 O declínio é mais pronunciado nas fibras do tipo II
\u2022 Diretamente relacionado ao decréscimo da força
Sarcopenia
Efeitos do envelhecimento muscular :
\u2022 Mudanças nas unidades motoras 
\u2022 Denervação das fibras
\u2022 Redução dos fatores de crescimento 
\u2022 Alterações proteicas do músculo 
Modificações morfológicas
\u2022 Tomografia computadorizada
\u2022 Após os 30 anos de idade
\u2022 Redução na área de secção transversa 
\u2022 Diminuição da densidade muscular 
\u2022 Aumento na gordura intramuscular
Envelhecimento
Perda da independência
Inatividade física Inatividade física
DescondicionamentoAnsiedade e depressão
Fragilidade músculo-esqueléticaQueda da motivação e auto-estima
Riscos associados
\u2022 Estado de fragilidade
\u2022 Estágio anterior a incapacidade
\u2022 Papel predominante na etiologia da fragilidade
\u2022 Alto valor preditivo de eventos adversos
\u2022 Incapacidade, hospitalização e mortalidade
Riscos associados
Risco duas vezes maior de contrair infecção
durante internação hospitalar.
Cosqueric et al:Br J Nutr. 2006 Nov;96(5):895-901 
Interações
\u2022 Sarcopenia
\u2022 Alterações de marcha
\u2022 Desequilíbrio
\u2022 Perda da propriocepção
\u2022 Tendência cifosante
\u2022 Alterações cognitivas 
\u2022 Queda
\u2022 Osso osteoporótico
\u2022 Fraturas
Reversão dos efeitos
Exercício
Assegurar a melhor relação risco-benefício
\u2022 Planejamento individualizado
\u2022 Considerar as comorbidades
\u2022 Regular
\u2022 Modalidade
\u2022 Duração
\u2022 Freqüência
\u2022 Modo de progressão
Prescrição de exercícios
Diversos componentes da aptidão física
\u2022 Força muscular
\u2022 Condicionamento cardiorrespiratório
\u2022 Endurance
\u2022 Flexibilidade
\u2022 Composição corporal
\u2022 Socialização
Efeitos do treinamento de força
\u2022 O condicionamento de força resulta em um incremento no tamanho muscular, que reflete o aumento do conteúdo de proteína contrátil
\u2022 Estímulo adequado de treinamento proporciona nas pessoas idosas ganhos reais de força
\u2022 A força pode aumentar de duas a três vezes em um período de tempo relativamente curto (3 a 4 meses)
Efeitos do treinamento de força
\u2022 Intenso efeito anabólico nos idosos
\u2022 Melhora a retenção de nitrogênio - retenção dos 
estoques de proteína corporal
\u2022 Aumenta a massa e a força muscular, o equilíbrio 
dinâmico e o estoque ósseo
\u2022 As terapias tradicionais para osteoporose têm a 
capacidade de manter ou reduzir a perda óssea, mas 
não melhoram o equilíbrio, força e massa muscular
Duração das atividades
\u2022 Média: 30 a 90 minutos
\u2022 Inversamente proporcional a intensidade
\u2022 Idosos frágeis
\u2022 Sessões de curta duração \u2013 5 a 10 minutos
\u2022 Forma fracionada \u2013 2 períodos
A musculatura dos idosos preserva a capacidade
plástica em resposta ao aumento de carga,já que
hipertrofia e reversão das alterações da arquitetura
muscular são observadas com treinamento de força
Narici et al: J Musculoskelet Neuronal Interact. 2004 Jun
Literatura
Fortalecimento dos músculos da extremidade 
inferior reduz o índice de quedas no idoso
Sinaki M: Curr Osteoporos Rep. 2004 Dec
Literatura
Treinamento de força melhora a função muscular e 
pode minimizar ou até mesmo reverter a sarcopenia
em muito idosos ou frágeis
A principal diferença na prescrição dos exercícios é a 
intensidade
Avila-Funes et al: Gac Med Mex. 2004 Jul-Aug;140(4):431-6.
Literatura
\u2022 Treinamento de força continua a ser a mais efetiva
intervenção para o aumento de massa e força
muscular na população de idosos
\u2022 Baixa ingesta pode interferir nos resultados
Borst: Age Ageing. 2004 Nov;33(6):548-55.
Literatura
Programas específicos de treinamento podem
aumentar dramaticamente a força e habilidades
funcionais dos idosos
Macaluso & De Vito : Eur J Appl Physiol. 2004 Apr
Literatura
Várias modalidades de tratamento para sarcopenia já
foram propostas mas, apenas os treinamentos de 
força demonstraram ser sigificativamente benéficos
Mishra: Acta Myol. 2003 Sep;22(2):43-7.
Literatura
O treinamento com exercícios progressivos de força é
uma terapia efetiva, não farmacológica, que se 
opõe ao enfraquecimento muscular tanto em 
indivíduos de meia idade quanto nos mais
fragilizados.
Yarasheski : J Nutr Health Aging. 2002;6(5):349-56 
Literatura
O treinamento de força promove aumento da
síntese proteica, determinando hipertrofia
muscular em pacientes idosos
Porter: Can J Appl Physiol. 2001
Literatura
Devido ao baixo status funcional e a alta incidência de 
doenças crônicas, nenhum segmento da população
pode se beneficiar tanto com o treinamento
do que os idosos.
Evans:J Nutr. 1997 May;127(5 Suppl):998S-1003S
Literatura
Treinamento de força progressiva é capaz de produzir
aumento substancial na força e no volume muscular 
dos mais idosos.
Para a maioria destes,os exercícios representam as 
mais seguras e menos dispendiosas medidas para
manter a independência
Evans: Geriatrics. 1996 May;51(5):46-7, 51-3 
Literatura
Maiores Benefícios
\u2022 Melhora da capacidade funcional 
\u2022 Recuperação da autonomia
\u2022 Redução do risco de quedas
\u2022 Redução do risco de fraturas
\u2022 Re-integração ao meio 
\u2022 Melhor qualidade de vida
\u2022 Maior longevidade
Cuidados \u2013 Treinamento de força
\u2022 Avaliação pré-participação
\u2022 Avaliação de comorbidades
\u2022 Osteoporose \u2013 Avulsões
\u2022 Problemas da coluna vertebral \u2013 Colapso
\u2022 Hipertensão : Valsalva e Isometria
Atuação estratégica
\u2022 AF é fundamental para promoção de saúde no idoso 
\u2022 AF regular melhora a qualidade e expectativa de vida
\u2022 Preservar ou aumentar a massa muscular
\u2022 Aumento da força muscular
\u2022 Alta prevalência na população idosa
Obrigado
Sarcopenia
\u2022 Perda das fibras tipo I e II
\u2022 Redução da secção transversa das fibras tipo II
\u2022 Efeitos atenuados por carga mecânica no músculo
\u2022 Aumento da área transversa das remanescentes