resumo do aratti
9 pág.

resumo do aratti

Disciplina:Anatomia II416 materiais21.860 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Polígono de Willis

É formado pelas aa. cerebrais anterior, média e posterior, pela a. comunicante anterior e pelas aa. comunicantes posteriores direita e esquerda.
A a. comunicante anterior é pequena e anastomosa as duas aa. cerebrais anteriores frontalmente ao quiasma óptico.

As aa. comunicantes posteriores unem de cada lado as aa. cerebral posterior e carótida interna.

			
			

	As aa. cerebrais anterior, média e posterior dão ramos corticais, que se destinam a vascularização do córtex e da substância branca subjacente, e ramos centrais, que penetram perpendicularmente na base no crânio e vascularizam o diencéfalo, os núcleos da base e a cápsula interna.

Território cortical das três artérias cerebrais
Artéria cerebral anterior:

Dirige-se para adiante e pra cima, ganha a fissura longitudinal do cérebro, curva-se no joelho do corpo caloso e ramifica-se na face medial de cada hemisfério desde o lobo frontal até o sulco parieto-occipital. A sua obstrução causa, dentre outros sintomas, paralisia e diminuição da sensibilidade no membro inferior do lado oposto, decorrente da lesão de partes de áreas corticais, motora e sensitiva, que correspondem à perna e que se localizam na porção alta dos giros pré e pós-centrais (lóbulo paracentral).

				
Artéria cerebral média

Ramo principal da a. carótida interna essa artéria percorre o sulco lateral distribuindo ramos que vascularizam a maior parte da face súpero-lateral do hemisfério cerebral. Este território compreende áreas corticais importantes, como a área motora, a área somestésica, o centro da palavra falada e outras. As obstruções dessa artéria, quando não são fatais determinam paralisia e diminuição da sensibilidade do lado oposto do corpo (exceto no membro inferior), podendo haver, ainda, graves distúrbios de linguagem. Caso se atinja os ramos profundos da a. cerebral média, que são chamados de aa. estriadas, há dano quanto à vascularização dos núcleos da base e a cápsula interna.
				
Artéria cerebral posterior

É um ramo de bifurcação da a. basilar, dirigem-se para trás, contornando o pedúnculo cerebral, e percorrendo a face inferior do lobo temporal ganha o lobo occipital. Irriga a área visual situada no lobo occipital, e sua obstrução causa cegueira em uma parte do campo visual.