resumo da rafa completo (com ilustração)
49 pág.

resumo da rafa completo (com ilustração)

Disciplina:Anatomia II720 materiais26.044 seguidores
Pré-visualização11 páginas
medial.

Área Pré-Frontal:- comportamento emocional.

Viscerais:

Aferentes:- o núcleo do trato solitário (recebe informações pelo nervo facial, glossofaríngeo e vago) se comunica com o hipotálamo pelo feixe solitário-hipotalamico.

Eferentes:- age sobre os neurônios pré-ganglionares simpáticos e parassimpáticos.

Hipófise:- conexões eferentes

Trato hipotálamo-hipofisário dos núcleos supra-óptico e paraventricular vão a neuro-hipófise (neurossecreção).

Trato túbero-infundibular, fibras neurossecretoras.

Sensoriais:- por vias indiretas recebem informações eretogênicas.

Monoaminérgicas:- noradrenérgicos e serotoninérgicos.

FUNÇÕES

Regulação da Temperatura: centro da perda de calor (hipotálamo anterior) quando lesado leva a hipertermia incontrolável e centro de conservação de calor.

Controle do Sistema Nervoso Autônomo: o hipotálamo anterior controla o parassimpático fazendo o aumento do peristaltismo, contração da bexiga, bradicardia e miose. O hipotálamo posterior controla o simpático com reação contrária.

Controle das emoções

Regulação do Sono e Vigília: o hipotálamo posterior relaciona-se com a vigília

Regulação da Fome: o hipotálamo lateral é o centro da fome e o núcleo ventro-medial é o centro da saciedade.

Regulação da Sede: sensibilidade à pressão osmótica. Certas áreas são responsáveis pelo excesso de sede e outras pela falta desta.

Regulação da Diurese: o núcleo supra-óptico e paraventricular sintetizam o hormônio antidiurético (aumenta a absorção de água nos túbulos renais).

RELAÇÃO HIPOTÁLAMO E HIPÓFISE

Relação com a Neuro-hipófise: o núcleo Supra-óptico e Paraventricular produzem o hormônio antidiurético e ocitocina que são armazenados e liberados na neuro-hipófise

Relação com a Adeno-hipófise: através do sistema porta-hipofisário, os fatores de liberação são levados a adeno-hipófise, que serve como elo entre o hipotálamo e as demais glândulas endócrinas.

TÁLAMO

 São duas massas volumosas de substância cinzenta, ovóide, látero-dorsais do diencéfalo.

Anteriormente apresenta uma eminência, tubérculo anterior do tálamo, que delimita forame de Monro e posteriormente uma grande eminência, pulvinar, que se projeta sobre os corpos geniculados lateral (óptico) e medial (auditivo), também chamados de metatálamo.

A porção superior faz parte do assoalho do ventrículo lateral, revestido de epitélio ependimário.

A porção medial, com o teto do III ventrículo, forma a fissura transversa do cérebro (fundo de saco) que tem superiormente o fórnix e corpo caloso, e é revestida pela pia-mater que entra na constituição da tela coróide.

A porção lateral do tálamo é separada do telencéfalo pela cápsula interna (formação importante por onde passam a maioria das fibras que entram ou saem do córtex).

A porção inferior se liga ao hipotálamo e subtálamo.

Revestido externamente por uma fina camada de substância branca chamada de lamina medular externa e que penetra no tálamo formando um septo chamado de lamina medular interna.

FUNÇÕES DO TÁLAMO

 Sensitiva: todos os impulsos sensitivos passam pelo tálamo, com exceção do olfatório, onde integra-os, modifica-os e retransmite-os ao córtex, porém não é discriminativo (estereognosia, isto é, reconhecer, com os olhos fechados o tamanho e forma dos objetos).

Emoções: através do sistema límbico e de conexões com a área pré-frontal.

Motricidade: exerce o controle da motricidade, coordenação da musculatura agonista e antagonista, em circuitos pálido-corticais e cerebelo-corticais.

Ativação Cortical: através das conexões com o sistema ativador ascendente, SARA, mantém o indivíduo em vigília.

NÚCLEOS DO TÁLAMO

 Podem ser divididos em cinco grupos:

IMPORTANTE: Saber com o que os núcleos do tálamo estão relacionados. Portanto:

Núcleo anterior: relacionado ao sistema límbico;

Núcleo posterior: relacionado com a visão (corpo geniculado lateral) e com a audição (corpo geniculado medial);
Núcleo Mediano: relacionado a funções viscerais;

Núcleo lateral: relacionado com motricidade e sensibilidade;

Núcleo medial: relacionado com emoções, iniciativa, atenção e com a vigília.

Anterior: está situado no tubérculo anterior, limitado pelo Y da lamina medular interna, recebe fibras do corpo mamilar (fascículo mamilo-talâmico) e projeta fibras para o giro do Cíngulo, integrando o Circuito de Papez, importante conexão do Sistema Límbico (comportamento emocional).

Obs: O sistema límbico é formado pelo giro do cíngulo, giro para-hipocampal e hipocampo (lobo límbico), envolvendo o hipotálamo e tálamo (Circuito de Papez).

Posterior: está situado na região posterior, compreende o pulvinar e corpos geniculados.

Pulvinar tem conexões com a área de associação têmporo-parietal nos giros angular e supramarginal, com funções pouco conhecidas.

Corpo Geniculado Medial pelo braço do colículo inferior recebe fibras do lemnisco lateral e projeta fibras para o córtex auditivo (relê das vias auditivas).

Corpo Geniculado Lateral recebe fibras pelo trato óptico, colículo superior, fibras da retina e projeta fibras pelo trato geniculado-calcarino para área visual do córtex (sulco calcarino – vias ópticas).Fibras vindas do córtex fazem conexão com o núcleo do nervo oculomotor e regulam os movimentos verticais dos olhos.

Lateral: são os mais importantes.

Núcleo ventral anterior: recebe fibras do córtex, que passam pelo globo pálido, vem ao tálamo e projeta-se para áreas motoras do córtex ligado a motricidade somática (sistema extrapiramidal).

Núcleo ventral lateral: recebe fibras do cerebelo, núcleo rubro, vem ao tálamo e projeta-se para áreas motoras do córtex, giro pré-central (via cerebelo-rubro-tálamo-cortical).

	

Núcleo ventral póstero-lateral: é um relê das vias sensitivas, recebe fibras do lemnisco medial (tato epicrítico e própriocepção consciente) e espinhal (temperatura, dor, pressão e tato protopático), projeta fibras para o córtex somestésico no giro pós-central.

Núcleo ventral póstero-medial: relê das vias sensitivas, recebe fibras do lemnisco trigeminal, sensibilidade somática da cabeça e fibras gustativas (trato solitário), projeta fibras para área somestésica e gustativa no giro pós-central.

Mediano: localizados na aderência intertalâmica conectam-se com o hipotálamo, e tem

funções viscerais.

Medial:

Núcleo dorso-medial: recebe fibras do hipotálamo, corpo amigdalóide e córtex pré-frontal, e emite fibras a este último, relacionando-se com as emoções, atenção e iniciativa.

Núcleos intramedulares recebem fibras da formação reticular e projetam-se ao córtex, importante papel ativador cerebral relacionado com a vigília.

 Radiações Talâmicas

São fibras tálamo-corticais e cortico-talâmicas que conectam um núcleo talâmico a uma determinada área cortical, geralmente sensitiva. Constitui uma grande parte da cápsula interna.

ANATOMIA MACROSCÓPICA DO TELENCÉFALO

O telencéfalo compreende a maior parte do encéfalo, sendo formado pelos dois hemisférios (direito e esquerdo) cerebrais, separados incompletamente pela fissura longitudinal do cérebro e uma pequena parte mediana situada na porção anterior do III ventrículo. Essa fissura contém dobras de dura-máter que invagina-se por entre os hemisférios até o corpo caloso (estrutura que conecta os dois hemisférios), sendo denominadas foice cerebral.

Os hemisférios cerebrais possuem cavidades chamadas ventrículos laterais direito e esquerdo que se comunicam o terceiro ventrículo pelos forames interventriculares ou de Monro.

Cada hemisfério possui três pólos: frontal, occipital e temporal; e três faces: face súpero-lateral, convexa; face medial , plana e face inferior ou base do cérebro, muito irregular, repousando anteriormente nos andares anterior e médio da base do crânio e posteriormente na tenda do cerebelo.

SULCOS E GIROS – DIVISÃO EM LOBOS

Os sulcos são estruturas que delimitam os giros ou circunvoluções cerebrais. A função dos sulcos é aumentar a superfície sem ter grande aumento do volume cerebral, sendo que cerca de dois