A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
322 pág.
Ebook-Antropologia-Teologica

Pré-visualização | Página 1 de 50

ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA:
Pensar o Humano na Universidade
ANTONIO WARDISON C. SILVA
LUÍS FABIANO S. BARBOSA
RONALDO ZACHARIAS
(organizadores)
ANTROPOLOGIA TEOLÓGICA:
Pensar o Humano na Universidade
Direção Editorial: 
Marlos Aurélio
Conselho Editorial:
Fábio E. R. Silva
Márcio Fabri dos Anjos
Mauro Vilela
Copidesque e Revisão: 
Luiz Filipe Armani
Pedro Paulo Rolim Assunção 
Diagramação:
Tatiana A. Crivellari
Capa:
Leandro Cardial Dias
Todos os direitos em língua portuguesa, para o Brasil, 
reservados à Editora Ideias & Letras, 2017. 
1ª impressão
Rua Barão de Itapetininga, 274 
República - São Paulo/SP
01042-000 (11) 3862-4831
Televendas: 0800 777 6004
vendas@ideiaseletras.com.br
www.ideiaseletras.com.br
Largo Coração de Jesus, 154
Campos Elíseos
01215-020 - São Paulo - SP
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Antropologia Teológica: pensar o humano na universidade. Antonio Wardison C. 
Silva, Luís Fabiano S. Barbosa, Ronaldo Zacharias. (Organizadores).
São Paulo: Ideias & Letras, 2017.
Vários autores.
Bibliografia.
ISBN 978-85-5580-034-4
1. Homem (Teologia cristã) 
I. Silva, Antonio Wardison. II. Barbosa, Luís Fabiano S. 
III. Zacharias, Ronaldo. 
17-10679 CDD-233
Índice para catálogo sistemático:
1. Antropologia teológica: Teologia dogmática cristã 233
SUMÁRIO
APRESENTAÇÃO – 9
 Ronaldo Zacharias
I – O SER HUMANO NO 
DISCURSO TEOLÓGICO 
1. A teologia tem algo a dizer sobre o ser humano? – 15
Antonio Wardison C. Silva
2. Como falar de Deus hoje? – 25
Fernando Altemeyer Júnior
3. O ser humano, quem é ele? – 39
Eduardo Dalabeneta
4. Qual o significado de a pessoa humana ser “imagem de 
Deus”? – 51
Donizete José Xavier
II – O SENTIDO DA BUSCA HUMANA 
5. O que é e de quem é a verdade? – 65
Anderson de Alencar Menezes
6. Há sentido para a vida? – 75
Antonio Wardison C. Silva
7. O ser humano, um ser religioso? – 89
Antonio Boeing
8. A fé confere sentido para a vida? – 107
Luís Fabiano dos Santos Barbosa
III – A EXISTÊNCIA HUMANA DESAFIADA
9. Por que o mal existe? – 121
Valter Luiz Lara
10. Existe sentido no sofrimento humano? – 139
Alexandre Andrade Martins
11. Existe algo para além da morte? – 157
Renold J. Blank
12. Por que a injustiça compromete a realização humana? – 173
Cézar Teixeira
IV – O RELACIONAMENTO HUMANO
13. Qual o valor da alteridade? – 187
Nilo Ribeiro Junior
14. O perdão reconstrói as relações humanas? – 203
Domingos Zamagna
15. O amor como projeto de vida? – 213
Ronaldo Zacharias
16. Por que cuidar da criação? – 239
Lino Rampazzo
V – O HUMANISMO CRISTÃO 
17. Qual a relação entre cristianismo e promoção do 
humano? – 263
Luiz Augusto de Mattos
18. Em que consiste o compromisso social cristão? – 277
 Rosana Manzini
19. Existe uma Ética Cristã? – 291
 José Antonio Trasferetti
20. O que significa ser um profissional cristão? – 309
 Fernando Altemeyer Júnior
Apresentação
São diversas as perspectivas de aproximação do humano 
na tentativa de compreender o significado mais profundo da sua 
origem, da sua existência e do seu destino. Esta obra procura 
perscrutar o humano à luz da ciência teológica, em diálogo com 
a filosofia e as demais ciências modernas.
Os temas abordados pelos diversos autores deixam claro 
que, criado por amor e para amar, o ser humano é alguém que 
se realiza apenas por meio do esforço de discernir as exigências 
que derivam do amor no dia a dia, certo de que um dia se en-
contrará face a face com o Amor que esteve na origem de tudo 
e deu sentido a tudo.
É este o fio condutor dos temas que serão abordados. O 
mistério do ser humano só encontra seu mais profundo signi-
ficado em Deus, que é Amor. Do fato de ser filho de Deus e, 
portanto, vocacionado-ao-amor, deriva tanto a consciência 
da inviolabilidade da dignidade humana quanto da responsa-
bilidade de lutar contra tudo o que ameaça e/ou compromete 
essa dignidade.
É impossível professar a fé num Deus que é Amor e não se 
sentir impelido a fazer da própria vida uma resposta de amor ao 
Deus que não quer outra coisa senão a vida em abundância dos 
seus filhos e filhas. Concretamente, isso significa que é no mis-
tério de Deus que encontramos situado o humano. É a riqueza 
10 Antropologia Teológica: pensar o humano na universidade
e a profundidade de tal mistério que abrem as portas para um 
estudo da perene novidade que caracteriza o ser humano.
Novidade que é ação do Espírito de Deus no processo de 
conformação da própria vida aos sentimentos e à prática do 
Filho, Verbo feito carne, que habitou entre nós. O Espírito, 
Amor do Pai e do Filho, é quem nos faz compreender que 
o amor de Deus se faz, necessariamente, comunhão de amor 
com os outros.
O amor, sentido mais profundo da existência, torna-se, as-
sim, um imperativo para quem crê: realiza-se humanamente 
quem ama e assume o amor como estilo de vida, modo de pôr-
se diante do outro e afirmar o seu bem, independentemente de 
qualquer condição ou situação.
Os autores convidados a escrever os capítulos deste livro 
tiveram presente tanto o público ao qual ele se destina quanto o 
local em que ele deve se situar: jovens imersos na educação su-
perior, ambos “lugares teológicos”, isto é, “lugares” onde Deus 
se revela e se manifesta ao humano.
Dirigir-se aos jovens universitários significa provocá-los a 
fazer uma profunda experiência de Deus por meio do diálogo 
sincero entre razão, ciência e fé. Deus se deixa encontrar por 
quem o procura com o coração sincero. E, neste encontro, o 
saber se torna sabedoria e confere à vida um novo sabor.
Que os capítulos que seguem ajudem a todos os jovens uni-
versitários a compreender um pouco mais de si; os estimulem a 
buscar incansavelmente um saber que não apenas os qualifique 
como bons profissionais, mas também como cidadãos éticos, 
sensíveis ao humano em maior vulnerabilidade; os provoquem 
a saborear a sabedoria que nenhum conhecimento humano é 
capaz de esgotar.
11Apresentação
Quando a antropologia se abre à teologia, é a compreensão 
do humano que ganha um novo significado. Quando a teologia 
assume seriamente a antropologia, é a existência do humano que 
se converte em significativa. Tanto o significado quanto a signi-
ficatividade são razões que nos levam a contemplar o humano e, 
por meio dele, fazer uma profunda experiência de Deus.
P. Ronaldo Zacharias
- Reitor do UNISAL -
I
O SER HUMANO NO DISCURSO 
TEOLÓGICO
1
A teologia tem algo a dizer sobre 
o ser humano?
Antonio Wardison C. Silva1
O que posso saber?; O que devo fazer?; O que me 
é permitido esperar?; O que é o homem?
(Immanuel Kant)
Introdução
Por muitos séculos, a Teologia permaneceu isolada em 
função de discutir e de responder às principais questões sobre 
Deus, o ser humano e o mundo a partir de uma perspectiva so-
bretudo eclesiástica. A sua contribuição, apesar desse isolamento, 
foi extremamente importante para a geração de uma cultura em 
prol da vida, da justiça, da dignidade da pessoa. Nos dias de 
hoje, ao contrário, a Teologia tornou-se uma ciência acessível a 
todos, uma voz respeitável no diálogo com as ciências, com efi-
caz incidência no mundo social, político, cultural, econômico e 
1  Antonio Wardison C. Silva é doutorando em Filosofia (Pontifícia Universida-
de Católica - São Paulo,); Pró-Reitor de Extensão, Ação Comunitária e Pastoral 
do Centro Universitário Saesiano de São Paulo (UNISAL) e professor de cursos 
de pós-graduação lato sensu no UNISAL (Campus Pio XI).
16 Antropologia Teológica: pensar o humano na universidade
religioso. Não mais confinada nos espaços eclesiásticos, ela se 
tornou uma ciência de interesse público, universal.
Por mais que falemos de Teologia, no singular, temos de re-
conhecer que existem várias teologias, frutos de sistemas e es-
colas teológicas. Isso não é negativo; pelo contrário, enriquece 
ainda mais o diálogo dentro da própria Igreja

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.