A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Resumo da História da Saúde no Brasil

Pré-visualização | Página 1 de 3

Fatores para analisar a história da Saúde pública br:
Relação da evolução histórica das políticas de saúde com evolução político-social e 
econômica da país;
1.
Influência do capitalismo para a lógica do processo evolutivo;2.
Local periférico destinado às políticas da saúde no país, nunca central;
De modo geral, os problemas de saúde tornam-se foco quando epidemias e deixam 
de ter importância em endemias;
a.
3.
Ações de saúde atingem majoritariamente grupos sociais economicamente importantes na 
estrutura social;
4.
Direitos sociais são resultantes do poder de luta, organização e reivindicação, nunca uma 
dádiva do Estado, como alguns querem fazer parecer;
5.
História da saúde se confunde com a história da previdência pela falta de clareza6.
Constância da dualidade de medidas preventivas e curativas nas políticas;7.
1500 até Primeiro Reinado
No início, Portugal sem interesse
Limitava-se aos recursos da terra (plantas e ervas) e curandeiros;
Vinda da famíliar real:
Delegação de atribuições sanitárias as juntas municipais;•
Controle de nacios e saúde dos portos;•
Inexistência de assitência médica permite a proliferação dos boticários pelo país 
Iniciativa de prescrição de medicamentos ainda presente;
Início República até 1930
Das 19 organizações atuantes até mov. 1930, nenhuma excedeu a disciplina imposta pela defesa 
de interesses regionais, embora pudessem compor alianças
Interesses dominantes agrários;
Nas cidades: representação da burguesia clássica;
RJ com quadro caótico: varíola, malária, febre am., peste.
Navio extrangeiros não abarcam mais;
Rodrigues Alves nomeia Oswaldo Cruz como Diretor do Dep. Fed. de Saúde Pública
Modelo de intervenção Campanhista
1500 pessoas para desinfecção
Arbitrário e desorganizado.
31/10/1904 - vacinação anti-varíola obrigatória
Revolta da vacina
Erradicam Febre Amarela no Rio 
Reforma de Oswaldo Cruz:
Registro Demográfico p/ fatos vitais;○
Introdução de labs para diagnóstico etiológico○
Fabricação de produtos profiláticos em massa;○
1920 - Introdução propagando e educação sanitária (Carlos Chagas)
Modelo de Oswaldo era fiscal e policial
Devido à agroexportação (monoc. cafeeira) dominar a economia, até mesmo a saúde era 
voltada para ela, erradicando doenças etc
Por esta razão, desde o final do século passado até o início dos anos 60, predominou o 
modelo do sanitarismo campanhista (MENDES, 1992).
Com controle urbano, campanhistas deslocam ação para rural (Sucam → Fundação 
Nacional de Saúde)
Resumo da História da Saúde no Brasil
 Página 1 de Medicina 
Nacional de Saúde)
Nascimento da Previdência Social
Urbanização e industrialização eixo Rio-SP
utilização de imigrantes
Já haviam conquistado direitos na Europa
Mobilizaram classe operária
Férias, jornada definida, pensão, aposentadoria.
2 greves gerais (1917, 1919)
Lei Eloi Chaves: Marco inicial da prev.
Criação das Caixas de aposentadoria e Pensão
Concedida apenas ao urbano
Rural apenas em 60, com a FUNRURAL▪
Congresso era dominado de oligarca rural, então wtv▪
○
Caixas deveriam ser orientadas por empresa, não categorias profiss.○
Criação não automática, dependia da mobilização dos trab. na empresa;○
No sistema das Caixas estabelecido pela lei Eloy Chaves, as próprias empresas deveriam 
recolher mensalmente o conjunto das contribuições das três fontes de receita, e depositar 
diretamente na conta bancária da sua CAP.
A criação das CAP’s deve ser entendida, assim, no contexto das reivindicações operárias no início 
do século, como resposta do empresariado e do estado a crescente importância da questão s
A crise dos anos 30
1930 - Rompimento Café com Leite;
Criação do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio e Educação e Saúde;
1939 - 1943: Regulamentação da justiça do trabalho e Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT)
Procuravam estabelecer um contrato capital-trabalho (direitos sociais para o trabalhador)
Parecem como dádivas do Estado, mas o fundamento disso era manter trabalhadores 
contidos.
Previdência Social no Estado Novo
Para atender todas as categorias profissionais extingue-se as CAP's e cria-se os Institutos de 
Aposentadoria e Pensões
Direito aposentadoria
pensão em morte
assistência médica e hospitalar
socorros farmacêuticos
Até o final de 50 assitência médica prev. não importante; técnicos a consideram secundária, 
segurados não faziam dela parte das reivindicações
1949 - Criação da Ass. Médica Domiciliar e Urgência (SAMDU)
É a partir principalmente da segunda metade da década de 50, com o maior 
desenvolvimento industrial, com a conseqüente aceleração da urbanização, e o 
assalariamento de parcelas crescente da população, que ocorre maior pressão pela 
assistência médica via institutos, e viabiliza-se o crescimento de um complexo médico 
hospitalar para prestar atendimento aos previdenciários, em que se privilegiam 
abertamente a contratação de serviços de terceiros.
Saúde Pública no Período de 30 a 60
Poucos recursos e conflitos de jurisdição e gestão reduziram ações da saúde pública a meras 
normativas sem efetivação
1953 - Criação do Ministério da Saúde: Desmembramento do antigo Min. da Educação e Saúde, 
sem mudança significativa;
1956 - Departamento Nacional de Endemias Rurais incorporando serviços contra Febre Amarela, 
 Página 2 de Medicina 
1956 - Departamento Nacional de Endemias Rurais incorporando serviços contra Febre Amarela, 
Malária e Peste;
Lei Orgânica da Previdência e Unificação dos IAPs
Unificação iniciada em 1941
Lei Orgânica sancionada em 1960
Unificação do regime geral da previdência
Abranger todos os trabalhadores (exceto rurais, domésticos e serv. públicos);
Rurais só com a FUNRURAL
Contribuição tríplice (empregado, empregador e União)
O governo federal nunca cumpriu a sua parte, o que evidentemente comprometeu 
seriamente a estabilidade do sistema (POSSAS, 1981).
O processo de unificação só avança com movimento revolucionário de 1964, que 
neste mesmo ano promove uma intervenção generalizada em todos os IAPs, sendo 
os conselhos administrativos substituídos por juntas interventoras nomeadas pelo 
governo revolucionário. A unificação vai se consolidar em 1967.
Movimento de 64 e consequências
Instaurado diante a ameaça de proliferação do comunismo. Fortalecimento do Executivo.
Esvaziamento dos estudos sociais (nega reconhecimento a sociólogos)
Ações na previdência Social
Na tecnoburocracia, o governo se utiliza da previdência para buscar apoio e sustentação social
O processo de unificação previsto em 1960 se efetiva em 2 de janeiro de 1967, com a 
implantação do Instituto Nacional de Previdência social (INPS), reunindo os seis Institutos 
de Aposentadorias e Pensões, o Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência 
(SAMDU) e a Superintendência dos Serviços de Reabilitação da Previdência Social.
Na INPS, governo incorpora benefícios já instituídos, um deles a assistência médica.
Sistema médica insuficiente para toda a população de beneficiários que surge
Governo investe na iniciativa privada para resovler problema
(convênios e contratos)
1978 - Criação do INAMPS (INPS cada vez mais complexo administ. e financeiramente)
1974 - Criação do Ministério da Previdência e Assitência social;
Aumento de 500% nos leitos hospitalares em 15 anos
1971 - PRORURAL: Rurais c/ previdência
1972 - Empregados autônomos e domésticos com previdência;
Ações de Saúde Pública no Reg. Militar
1967 - Decreto Lei 200: Competências do Ministério da Saúde
1970 - SUCAM: Executar erradicação e controle de endemias
1975 - Sistema Nacional de Saúde: Sistematiza Campo de Atuação da Saúde
Medicina Curativa a cargo do M. da Previdência
Medicina Preventina a cargo do M. da Saúde
Destinação de poucos recursos ao Ministério o tornam muito mais um órgão burocrato-
normativo que executivo de saúde;
1975 - A Crise
Modelo econômico da ditadura em crise:
Capitalismo internacional também em crise1.
Diminuição do fluxo de capital estrangeiro para o país torna o crescimento insustentável;2.
 Página 3 de Medicina 
Diminuição

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.