A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Antimicorbianos - mecanismo de ação

Pré-visualização | Página 1 de 1

FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
1 
 
INTRODUÇÃO 
CARACTERÍSTICAS 
 Antissépticos: limitam o crescimento de 
microrganismos. 
 Antibióticos: metabolitos secundários 
produzidos por microrganismos 
capazes de inibir ou destruir outros 
microrganismos. 
 O antimicrobiano deve apresentar 
toxicidade seletiva. 
 O quimioterápico deve ser ingerido 
periodicamente de modo a manter a 
concentração mínima letal (mutantes 
se sobressaem caso não se use 
corretamente) ao patógeno. Dose deve 
ser suficiente para atingir a 
concentração mínima inibitória. 
 Bactericidas: morte dos 
microrganismos. 
 Bacteriostáticos: inibem o crescimento 
e multiplicação dos microrganismos 
sensíveis. 
 
 
 
 
 
 
 
CLASSIFICAÇÃO DOS ANTIMICROBIANOS 
 
MECANISMOS BÁSICOS DE AÇÃO 
INIBIÇÃO DA SÍNTESE DE PAREDE CELULAR 
 Peptidoglicano 
 Antimicrobiano que inibe a síntese do 
peptidoglicano. 
 Beta-lactâmicos e Glicopeptídeos são 
as principais classes. 
 Beta-lactâmicos 
 
- Presença do anel beta-lactâmico. 
- Bactericidas. 
- Penicilinas: possuem origem a partir de 
2 aminoácidos e formam-se 1 anéis. Beta-
lactâmico é o anel ativo. 
 
FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
2 
 
 - Muitas bactérias já são resistentes à 
beta-lactâmicos, produzem a enzima beta-
lactamases. 
-> Cefalosporinas 
 
- 1ª geração: 
-> Cefalotina (Keflin) 
-> Espectro: bactérias gram(+), sensíveis a 
oxacilina. Não são recomendadas para o uso 
empírico em infecções por gram(-). 
-> Administração IV. 
 
- 2ª geração: 
-> Cefoxitina e cefaclor. 
-> Espectro maior contra gram(-) que as de 1ª 
geração. 
-> Não atingem concentração terapêutica no 
líquor = não recomendadas para meningite. 
 
- 3ª geração: 
-> Ceftazidima. 
-> Mais potentes contra bacilos gram(-) 
-> São utilizadas para tratamento de 
meningite. 
 
- 4ª geração: 
- Cefapima 
- Ação contra gram(-) e gram(+) de 
importância. Ex.: infecções em ambiente 
hospitalar. 
 
 
 
 Mecanismo de ação dos beta-
lactâmicos 
- Síntese do peptidoglicano: 
1. Fase no citoplasma; 
2. Fase na membrana plasmática; 
3. Externamente à membrana plasmática. 
- Os b-lactâmicos interferem na etapa 3. As 
PBPs (penicillin binding protein), são 
proteínas existentes na parte externa da 
membrana citoplasmática, que participa da 
terceira etapa da síntese da camada de 
peptidoglicano. 
- Os b-lactâmicos ligam-se às PBPs na 
terceira etapa, impedindo a inclusão dos 
tetrapeptídeos. 
- Substâncias que possuem anel b-
lactâmicos sem atividade, são utilizadas 
como “escudo” para outros antibióticos, 
protegendo-os contra b-lactamases. Ex.: 
ácido clavulânico (Clavulin). São 
medicamentos associados. 
 
 Glicopeptídeos 
- Se ligam ao dipeptídeo terminal dos 
percursores do peptidoglicano impedindo 
a formação de ligações cruzadas (D-
alanina-D-alanina). 
- Só ocorre nas ramificações das bactérias 
gram(+). 
- Vancomicina e Teicoplanina. 
 
*P/ micobactérias: 
FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
3 
 
 
ALTERAÇÃO DA MEMBRANA EXTERNA 
 Lipopeptídeos (ação contra gram(-)). 
 Assemelham-se a detergentes 
catiônicos, devido à presença de 
grupamentos básicos (NH3+) e de uma 
cadeia lateral de ácido graxo 
(atravessa facilmente bicamada lipídica 
externa e chega à membrana 
plasmática). 
 Desloca componentes da membrana 
externa e desestabilização da 
membrana celular = Desorganização, 
saída de componentes celulares e 
morte. 
 Bactericida. 
 
INIBIÇÃO DA SÍNTESE PROTEICA 
 
 Aminoglicosídeos (Amicacina); 
Macrolídeos (Azitromicina); 
Clarafenicol; Oxazolidinonas 
(Nimesulida). 
 
MECANISMO DE AÇÃO – ÁC. NUCLEICO 
 Inibição da síntese de ácidos nucléicos. 
 
 Quinolonas: 
 
- Primeira geração: Ácido nalidíxico 
 
 
ALTERAÇÃO DE VIA METABÓLICA 
 Sulfametoxazol-trimetoprim (Bactrim – 
sulfa+trimetropim) 
 Alteração no metabolismo do ácido 
fólico. Inibem a síntese do ácido fólico. 
 Sulfas: 
- Competem pelo substrato com o PABA e 
inibem a etapa inicial da síntese do ácido 
fólico. 
FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
4 
 
 
 Trimetropim: 
 
- Atua na etapa final da síntese do ácido fólico. 
 
 
MECANISMOS DE RESISTÊNCIA 
BACTERIANA 
 Pesquisa de novas drogas 
antimicrobianas: bioinformática e 
modelagem computacional. 
 P/ a indústria farmacêutica, não é 
favorável economicamente a produção de 
novos antimicrobianos. Porém, a 
necessidade é global. Resistência: sífilis, 
gonorreia, tuberculose... 
MECANISMOS DE RESISTÊNCIA 
 Associada a mutação: 
 
 Associada a recombinação genética: 
 
RESISTÊNCIA 
 Cromossômica: 
- Associada a mutação; 
- Um tipo de antimicrobiano (pode ser 
substituído). 
 
 Extra-cromossômica: 
- Plasmídeos; 
- Elementos móveis. 
FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
5 
 
 
 
 Resistência natural: Bactérias 
naturalmente resistentes à antibióticos. 
 Resistência adquirida: Linhagens 
resistentes e sensíveis na mesma espévie 
(recombinação). 
MODIFICAÇÃO DO SÍTIO DE AÇÃO 
 Alteração do sítio de ação do 
antibiótico, bactéria sofre mutação e o 
antibiótico perde a afinidade. 
 
 
 
DIMINUIÇÃO DA PERMEABILIDADE 
 Antibióticos geralmente entram nas 
bactérias através de porina. A bactéria 
restringe a entrada do antibiótico 
alterando o diâmetro da porina. 
 Frequente em gram(-). 
 
BOMBAS DE EFLUXO 
 Bombas no interior da bactéria são 
responsáveis por excretar o 
antibiótico da célula. 
 
 *Serve p/ Quinolonas (bomba de efluxo 
e alteração da permeabilidade). 
 
 
FARMÁCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 
 
6 
 
PRODUÇÃO DE ENZIMAS 
 Enzimas degradam ou 
modificam o antibiótico. Ex.: b-
lactamases. 
 
 
 Bactérias Gram(-): *bomba de 
efluxo, produção de enzimas e 
alteração da permeabilidade. 
 Bactérias Gram(+): *alteração do 
sítio alvo.