Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
REFLEXÕES SOBRE TRAUMA DE OCLUSÃO

Pré-visualização | Página 1 de 1

TRAUMA DE OCLUSÃO
● Forças oclusais traumáticas:
○ Podem ser definidas como: qualquer força oclusal que resulte em dano aos
tecidos e/ou ao aparato de inserção periodontal
● Trauma oclusal
○ Pode ser definido como um termo histológico que descreve os danos ao
aparato de inserção periodontal.
○ Não há evidências de que forças oclusais traumáticas causem perda de
inserção periodontal ou acelerem a progressão da periodontite em humanos.
Contudo, há evidências de que forças oclusais não causam recessão
gengival.
○ Lesão periodontal decorrente de forças, de intensidade fisiológica ou não,
que incidem sobre os dentes
○ Princípios básicos
■ Em RC e MIC deve haver contatos bilaterais simultâneos entre os
dentes;
■ Cargas oclusais devem ser direcionadas no sentido axial dos dentes;
● Princípios básicos (da oclusão)
○ Ausência de contatos dentários no lado de balanceio
○ Desoclusão dos dentes posteriores no movimentos protrusivo
○ Ausência de interferência dos dentes posteriores no lado de trabalho
● Resposta do periodonto às cargas traumáticas
○ Tipos de estresse ( estímulo) que acometem o organismo:
■ Subfisiológico
■ Normofisiológico (resposta de adaptação)
■ Suprafisiológico (ruptura do equilíbrio)
○ Periodonto e cargas oclusais excessivas
■ Apesar da capacidade de amortecimento do ligamento periodontal ->
recebe cargas -> excedem limite de tolerância fisiológica
■ Traumas oclusais -> lesões periodontais
PODEM SER CLASSIFICADOS
1. Trauma primário
● Dano que resulta em mudanças teciduais de forças oclusais traumáticas aplicadas a
dente(s) com suporte periodontal normal (mobilidade adaptativa e não progressiva)
2. Trauma secundário
● Dano que resulta em mudanças teciduais de forças normais ou oclusais traumáticas
em dente(s) com suporte periodontal reduzido. Dentes com mobilidade progressiva
podem apresentar migração e dor em função, além de requerer esplintagem.
3. Forças ortodônticas
- Forças oclusais podem afetar negativamente o periodonto e resultar em reabsorção
radicular, desordens pulpares, recessão gengival e perda óssea alveolar.
- Há estudos observacionais mostrando dentes com periodonto saudável - mas
reduzido- sendo submetidos a tratamento ortodôntico não apresentando
comprometimento dos tecidos periodontais de suporte. Entretanto, é imprescindível
que haja um excelente controle de biofilme.
● Quanto a resposta do periodonto às cargas excessivas:
○ Na ausência de inflamação:
■ Adaptação através da mobilidade - aumento do espaço do ligamento
periodontal
■ Observa-se perda óssea vertical; com ausência de bolsa periodontal
■ Terapêutica indicada = remoção do trauma - cessada a causa =
cessado o efeito
*nem toda perda óssea tem bolsa periodontal
○ Com presença de inflamação ou trauma secundário
■ É caracterizado pela incidência de forças sobre um periodonto de
proteção e sustentação com altura reduzida, podendo ele estar
inflamado ou não. A carga é, portanto, um fator secundário.
○ Em fumantes
■ A nicotina potencializa a perda óssea nos casos de trauma - redução
da síntese da matriz óssea, interferindo no nível de oxigenação dos
osteoblastos.
○ Na presença da inflamação e ausência de forças traumáticas:
■ O infiltrado inflamatório percorre a superfície externa da crista alveolar
- reabsorção do tipo horizontal.
○ Na presença de inflamação e de forças traumáticas
■ O infiltrado inflamatório penetra no ligamento periodontal, por ter suas
fibras dissolvidas ou orientadas numa direção paralela ao longo eixo
do dente - reabsorção do tipo vertical.
○ Com o periodonto reduzido e com ausência de inflamação
■ Forças geradas por uma função normal podem tornar-se estímulos
extra que também podem ser chamados de suprafisiológicos.
○ Resposta do periodonto à forças aplicadas estão na dependência da
interação de quatro variáveis
■ intensidade
● Carga aumentada - maior movimento do dente no interior do
alvéolo - aumento do espaço do lig. periodontal
● Reflexo do lig. perio.
○ estiramento
○ aumento da largura
○ aumento do número
● Osso alveolar é remodelado
● Trabeculado reorganizado (denso)
■ direção
● Forças axiais - ideais
● Forças laterais - não benéficas
■ Duração
● Constante - osso alveolar é reabsorvido - não permite
neoformação
■ frequência
● Alta frequência - reabsorção, não permitindo a neoformação
As variáveis estão associadas à capacidade de adaptação do indivíduo em diferentes
períodos da vida
● Etiologia das cargas traumáticas
○ São vários os agentes capazes de gerar forças excessivas ou transformar
cargas de intensidade normais em sobrecargas.
■ Ausência dentária
● Perdas de dentes e demora na instalação de próteses
○ Inclinação dos dentes vizinhos
○ Extrusão dos dentes antagonistas
■ Tratamento ortodôntico.
● Dano reversível
● Danos irreversíveis - estímulos supra-fisiológicos
■ Restauração e prótese mal adaptadas;
■ Demora na instalação da prótese;
■ Outras
● Restaurações e prótese ( fixas unitárias ou não, removíveis)
○ Inclinação dos dentes vizinhos - não mais a incidência de forças no sentido
axial
○ Quando ocorre ausência do contato proximal: impactação alimentar
○ Quando o ajuste ocorre em infra-oclusão: os contatos com antagonista são
eliminados resultando em extrusão e desequilíbrio oclusal.
○ Quando pontas de cúspides incidem em vertentes dos dentes levam a
movimento de lateralidade
● Hábitos parafuncionais
○ Apertar ou ranger os dentes
○ Roer as unhas
○ Morder lápis ou outros objetos
○ Cargas de intensidade normal potencializadas pela contração excessiva da
musculatura mastigatória - quando há tensão
○ Bruxismo
■ Movimentos mandibulares parafuncionais durante o sono
○ Apertamento
■ Bruxismo sem a presença dos movimentos de lateralidade
● Sinais e sintomas de uma oclusão traumática
○ Clínicos
■ Mobilidade dentária
■ Facetas de desgaste
■ Trincas de esmalte
■ Fraturas de restaurações ou dentárias de dentes tratados
endodonticamente;
■ Migração dentária
■ O paciente pode também queixar-se de dor no elemento dentário ou
na musculatura do crânio.
○ Radiográficos
■ Espessamento da lâmina dura
■ Aumento da densidade óssea
■ Aumento do espaço do ligamento periodontal
■ Perda parcial ou total da integridade da lâmina dura
■ Áreas radiolúcidas sugestivas de perdas ósseas angulares em dentes
com mobilidade
■ Rarefação óssea nas bifurcações e trifurcações;
■ Hipercementose
■ Presença de nódulos e calcificações pulpares - alterações
degenerativas da polpa
● Tratamento
○ Placas de mordidas
○ Ajuste oclusal
○ Tratamento ortodôntico
○ Contenções
○ Prótese dentária