A1 Fundamentos de Toxicologia
50 pág.

A1 Fundamentos de Toxicologia

Disciplina:Toxicologia Geral43 materiais593 seguidores
Pré-visualização2 páginas
TOXICOLOGIA

Maria José Nunes de Paiva

Fonte: www.glastonburyus.org

Introdução

11 milhões de substâncias químicas catalogadas no CAS

80.000 usadas cotidianamente

O slogan comemorativo do 75⁰ aniversário da Associação

Americana de Química foi:

 “Chemistry, key to better living”

Assim…

Fibras sintéticas para vestuário

Alimentos – fertlizantes e pesticidas

Embalagens plásticas

Combustíveis orgânicos

No trabalho, vários produtos sintéticos

ESTAMOS CERCADOS POR SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS

USA Europa Japão China

H2SO4 37 19 6,5 4,5

Polipropileno 8,1 6,9 3,0 1,1

Tabela 2. Produção de Ácido sulfúrico e polipropileno

*Produção em milhoes de toneladas

Galembeck, F. Chemical industry: recent developments, problems and opportunities. Química Nova, 30, 2007

4

www.gotmercury.org/

California Wants to Serve a Warning With

Fries (NY Times, Sept 21, 2005)

Fish-mercury risk underestimated

(CNN.com, Apr 12, 2001)
Ephedra Ban: What Took So Long?

(CBSNews.com, Dec 30, 2003)

A Toxicologia Afeta o Homem Todos os Dias

Orla gengival de Burton - chumbo Úlcera - cromo

6

Dermatites - Arsênio
Leucemia - Benzeno

6

A ciência que estuda os efeitos nocivos

decorrentes das interações de

substâncias químicas com o organismo.

FINALIDADES

Organismo
Efeito

nocivo
Substância

Química

ELEMENTOS DA TOXICOLOGIA

O QUE É TOXICOLOGIA?

A ciência que estuda os efeitos nocivos

decorrentes das interações de

substâncias químicas com o organismo.

Qualquer substância que ocasione

uma alteração no funcionamento

biológico por suas ações químicas

DROGA

Efeito Benéfico

Fármaco

Farmacologia

Efeito Adverso

Agente Tóxico

Toxicologia

Estuda substâncias que

interagem com sistemas

vivos por meio de processos

químicos, ligando-se a

moléculas reguladoras e

ativando ou inibindo

processos corporais normais

Efeitos terapêuticos

Efeitos colaterais

Farmacologia

Ciência que estuda os

efeitos nocivos decorrentes

das interações de

substâncias químicas com o

organismo

Toxicologia

TOXICOLOGIA

CINCIA MULTIDISCIPLINAR

 Química

 Farmacologia

 Nutrição

 Bioquímica

 Outras áreas

Povos pré-históricos:

Conheciam os efeitos
tóxicos e benéficos de
materiais de origem
vegetal e animal.

Observação de qual
alimento não produzia
efeitos tóxicos ou
doenças.

Aspectos históricos

Povos pré-históricos:

1500 a.C.: “Papiro de
Ebers”800 ingredientes
ativos

 Ópio,

Metais(Pb, Cu, Sb)

 Alcalóides de plantas

Aspectos históricos

Aspectos históricos

IDADE ANTIGA – Grécia

470-399 a.C. Sócrates – condenado a morte com cicuta

A morte de Sócrates (470-399 a.C.)

 Jacques-Louis David, 1787

Coniun maculatum

Aspectos históricos

IDADE ANTIGA – Grécia

460-364 a.C. Hipócrates – Pai da Medicina – relação de
venenos e princípios primitivos da Toxicologia clínica "

370-286 a.C. Theophrastus – referência as plantas

tóxicas no livro de Historia Plantarum

204-135 a.C. Nicandro – fez poemas descrevendo

venenos, envenenamentos e antídotos (Alexipharmaca e

Theric)

Aspectos históricos

IDADE ANTIGA – Grécia

40-90 a.C. Dioscórides – Pai da Farmácia

 1a. classificação dos venenos - 16 séculos

  animais,

  vegetais

  minerais

Descrição de desenhos dos venenos;

Uso de eméticos em envenenamentos

Ventosas para picadas de cobras

Aspectos históricos

IDADE ANTIGA – Roma

120 – 63 a.C. – Mitrídates – Rei do Ponto – experimentos

com envenenamentos agudos e modos de evitar seus efeitos:

ingestão voluntária de mistura de 36 diferentes

ingredientes.

Século IV a. C. – LOCUSTA - envenenamentos em massa –

Agripina, Cláudio

Imperatriz Agripina

Mãe de Nero

Imperador Cláudio

Pai de Britannicus

Amanita phalloides

LOCUSTA
Envenenadora oficial

Aspectos históricos

IDADE ANTIGA – Roma

Ano 82 a.C. – Sulla – Lex Cornelia, para punir

envenenadores

37 – 68 d.C. – Nero – usou veneno para matar Britanicus

(seu meio irmão)

Aspectos históricos

IDADE MÉDIA

1135-1204 – Maimonides (Moses bem Maimon) – escreveu
um texto sobre tratamento dos envenenamentos por
insetos, cobras e cachorros loucos.

Venenos usados largamente com finalidade política
Envenenadores “profissionais”:

Spara (uso de veneno para fins matrimoniais e financeiros);

Lucrécia Bórgia

Água Toffana

(arsênico)

Giulia Toffana

Catarina de Médicis

Introducão na França

Aspectos históricos

IDADE MÉDIA

Toffana (cosméticos à base de arsênio);

Bórgias, como Alexandre VI e seus filhos Lucrecia e César.

Catarina de Médicis – venenos da Itália para a França.

IDADE MÉDIA

Marquesa de Brinvillers – testava suas “receitas” em

crianças, anotando seus efeitos (início dos efeitos, potência,

local e modo de ação, sinais e sintomas)

Catherine Deshayes, La Voisine – envenenadora na corte

de Luís XIV – a qual é atribuída a morte de 2000 crianças

Chambre Ardente – comissão judicial para punir

envenenadores.

Aspectos históricos

“TUDO É VENENO. A DOSE CORRETA DISTINGUE
UM VENENO DE UM REMÉDIO”

PHILIPPUS AUREOLUS THEOPHRASTUS

BOMBASTUS- VON HOHENHEIMPARACELSUS

(1493-1541)

Stormy Petrel of Medicine

RENASCENÇA – IDADE MODERNA

1493-1541 – PARACELSUS –
desenvolvimento do aspecto médico,
científico da Toxicologia; necessidade de
experimentação; dose diferencia remédio
de veneno e outras idéias revolucionárias
no campo da medicina e terapêutica.

Publicou o primeiro tratado de doenças em
mineradores.

Aspectos históricos

Aspectos históricos

IDADE CONTEMPORÂNEA

1787-1853 – ORFILA

“Pai da Toxicologia” escreveu

o primeiro tratado voltado

exclusivamente para a

Toxicologia

Aspectos históricos

IDADE CONTEMPORÂNEA

Traitè de Toxicologie – e este

conhecimento passa a ser uma

Ciência.

Desenvolvimento do ASPECTO

FORENSE DA TOXICOLOGIA,

principalmente de métodos de

detecção de toxicantes em

material biológico.

Aspectos históricos

IDADE CONTEMPORÂNEA
Século XIX – desenvolvimento extraordinário da Química
Orgânica e síntese de novos compostos (fosgênio, gás
mostarda – gases de guerra).
Magendie (1783-1855) – brometo, ópio, estricnina na
medicina;
Claude Bernard (1813-1878) – ação tóxica do curare;
Ehrlich (1845-1915) – mecanismos de ação de toxicantes.

Aspectos históricos

IDADE CONTEMPORÂNEA

Segunda Guerra Mundial: síntese de SQ,
organofosforados e organoclorados – visando uso
na GUERRA. Paralelamente, houve o
desenvolvimento de antídotos, como o BAL.

Introdução dos aditivos para alimentos e seu
controle

Aspectos históricos

IDADE CONTEMPORÂNEA

Após a Segunda Guerra – desenvolvimento extraordinário

da Toxicologia: condições da exposição, e não apenas a dose,

como desencadeantes de efeitos tóxicos; estabelecimento

do RISCO X SEGURANÇA no uso de SQ (padrões de

segurança); conhecimento de mecanismos de ação tóxica;

aspectos preditivos e preventivos da Toxicologia;

Toxicologia comportamental, Imunotoxicologia, Toxinologia,

Ecotoxicologia, entre outros.

Aspectos históricos

Século 20

oÁrea de alimentos: aditivos / contaminantes

oÁrea agrícola: pesticidas / drogas veterinárias

oÁrea farmacêutica: fármacos e excipientes

Atualmente

oAvaliação da segurança de uso

oEstudos toxicológicos

oEstudos farmacológicos

Botica. Gravura colorida de Quiricus de Augustis

- Dlicht d'Apotekers (Bruxelas, 1515)

Toxicologia Moderna

1850 - : introdução de substâncias químicas na terapêutica

Anestésicos (éter, clorofórmio, ácido carbônico); Desinfectantes;

Farmacologia Experimental - Toxicologia Experimental;

Final século XIX: benzeno, tolueno, xileno (escala comercial);

 radioatividade (Becquerel e Curies);

I Guerra Mundial: vitaminas, arsenicais, TOCP, DDT, DES.

II Guerra Mundial: antibióticos, sulfas.

Marie Pierre Becquerel

Arsenicais, TOCP, DDT, DES, Sulfanilamida,
Sergio Oliveira fez um comentário
  • que pena que não é completo!
    2 aprovações
    Carregar mais