A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
SOCIEDADE LIMITADA

Pré-visualização | Página 2 de 2

judicial e de uma 
sentença judicial. 
http://www.receita.fazenda.gov.br/
7 
 
A dissolução judicial é quando os sócios não conseguem chegar a um 
acordo de como encerrar essa sociedade. 
O termo de “não conseguir chegar a um acordo” refere-se a forma de 
como vai ser dividido os ativos da sociedade ou a forma de como que 
vai ser dividido o passivo da sociedade, ou seja, é aquele momento 
que um socio quer encerrar a sociedade, mas o outro não quer ou 
quando todos querem encerrar, mas não sabem como vai ser a 
divisão e a forma que vai ser. 
Destarte, podemos dizer que a dissolução possui 2 atos: romper toda 
a ligação jurídica que era existente entre os sócios (isto é, os 
sócios eram unidos através do contrato social e a dissolução irá 
extinguir essa ligação) e o outro ato é desobrigar os sócios a 
cumprir as obrigações que possuíam entre eles e com a 
sociedade 
 
3.3 CAUSAS DA DISSOLUÇÃO TOTAL DA SOCIEDADE LIMITADA 
Dentre as causas da dissolução da sociedade limitada podemos citar: 
- Vontade dos Sócios (se eles querem encerrar a sociedade eles 
mesmos podem se reunir amigavelmente e assinar um distrato social 
e encerrar a relação entre eles e a sociedade) 
- Decurso do prazo (Em uma sociedade com prazo determinado, ao 
fim do prazo a mesma se dissolve) 
- Falência (Ocorre quando a sociedade empresária não possui 
recursos suficientes para arcar com suas obrigações, tratando assim 
de dissolução necessariamente judicial através de legislação 
específica). 
- Exaurimento do objeto social (No objeto social da sociedade vai 
apontar o que a sociedade faz e pode também apontar o que a 
sociedade deve fazer de forma determinada. Ex: uma sociedade que 
foi constituída para fazer vendas de mercadoria de um lote especifico 
e quando o lote especifico acabar pode ser encerrada – ou seja, a 
sociedade cumpriu a sua finalidade e se dissolve) 
- Inexiquibilidade do objeto social (Se por alguma razão/motivo o 
objeto social da sociedade não for mais possível de ser executado é 
8 
 
feita a dissolução da mesma. Ex: A Sociedade nasce para vender um 
material que não existe mais ou presta um serviço que posteriormente 
se tornou proibido). 
- Unipessoalidade da sociedade pelo prazo acima de 180 dias (Se 
a sociedade durante 180 dias ficar somente com um socio e esse 
socio não reintegrar outro socio na regra geral ela será dissolvida, mas 
dentro do contrato social pode ser colocado uma hipótese de que ao 
invés dessa sociedade ser dissolvida ela se transformar em uma 
empresa individual de responsabilidade limitada – EIRELI. Ou seja, 
durante o prazo de 180 dias o sócio deve decidir de vai reintegrar mais 
um socio ou irá fazer a transformação). 
- Causas Contratuais (No contrato social pode ter diversas causas 
estipulada entre sócios que caso ocorra uma delas a sociedade deve 
ser dissolvida. Ex: morte de um socio) 
 
3.4 CAUSAS DA DISSOLUÇÃO PARCIAL DA SOCIEDADE LIMITADA 
São quando a sociedade se dissolve referente a um ou mais sócios, 
mas não referente a todos os sócios. 
- Vontade dos Sócios (quando um dos sócios não quer mais 
participar da sociedade, mas os demais querem que a sociedade 
continua havendo assim o princípio de preservação da empresa) 
- Morte de um dos sócios (Ex: Quando a sociedade é constituída por 
três sócios e um dos sócios falece e os outros dois querem continuar 
com a sociedade não necessariamente a sociedade deve se dissolver 
totalmente). 
- Retirada dos sócios (Direito da retirada – causa de dissolução 
parcial. Ex: Quando um dos sócios exerce o seu direito de retirada a 
sociedade pode continuar com os demais sócios). 
- Exclusão do Sócio (pode ser tanto extrajudicial quanto judicial e 
deve ser uma exclusão motivada, ou seja, não pode não haver um 
motivo para a exclusão. Se no contrato social possuir 
determinação/previsão de exclusão de sócios e que a causa cometida 
estiver dentro dos elencados pode haver a exclusão do socio em 
questão). 
9 
 
-Liquidação de quota social por algum dos credores (se o sócio 
estiver devendo para algum credor esse credo pode solicitar a 
liquidação das quotas do socio para que ele tenha a dívida dele 
quitada – esse tópico mostra que o socio pode contaminar o capital 
da sociedade e como ele levar sua responsabilidade pessoal para 
dentro da sociedade) 
- Falência de um socio (O sócio que for declarado falido, também 
poderá configurar a dissolução parcial da sociedade contratual, 
conforme expõe o parágrafo único do artigo 1.030, do Código Civil, 
onde haverá a apuração dos haveres do falido) 
 
3.5 PROCEDIMENTOS APÓS DISSOLUÇAO DA SOCIEDADE 
É importante destacar que a dissolução não caracteriza o fim da 
sociedade contratual. Após a ocorrência de alguma das causas de 
dissolução total há a liquidação e a partilha, já na dissolução parcial, 
segue com a apuração dos haveres 
- Liquidação e a partilha: liquidação é a transação que ocorre após 
a dissolução da sociedade, com o fim de apurar o ativo, para que 
depois de pagos os débitos, seja o restante entregue aos sócios, na 
proporção de suas partes. A liquidação pode ser extrajudicial, de 
maneira em que haja a concordância da causa dissolutória entre os 
sócios, ou judicial quando os sócios não concordarem com a 
dissolução 
Na dissolução total, efetivado o ativo e pago o passivo, o patrimônio 
líquido é partilhado entre os sócios e após, concluída a partilha, 
termina o prazo de extinção da sociedade empresária, desaparecendo 
assim a personalidade jurídica (7 COELHO, Fabio Ulhoa. Manual de 
Direito Comercial: direito de empresa.p.179.) 
- Apuração de Haveres: Na dissolução parcial da sociedade 
contratual ocorre a apuração de haveres, eis que não visa o 
encerramento da sociedade, mas sim, o montante que cabe ao sócio 
que está se desvinculado. Destarte, na dissolução parcial, o sócio que 
está saindo da sociedade, faz jus ao mesmo crédito que teria na 
10 
 
dissolução total, evitando assim o enriquecimento ilegal dos sócios, 
tanto o que está saindo, quanto os que permanecem. 
 
 
4.0 CONCLUSÃO 
A dissolução por si só não extingue a sociedade, apenas inicia a fase de 
liquidação ao fim da qual esta se encerra. Portanto, para a extinção da sociedade 
são necessárias três etapas: dissolução, liquidação e extinção. 
 
5.0 BIBLIOGRAFIA 
MAMEDE, Gladson. Direito Empresarial brasileiro: direito societário: sociedades 
simples e empresárias. Vol.2. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2011 
7 COELHO, Fabio Ulhoa. Manual de Direito Comercial: direito de empresa.p.179 
NEGRÃO, Ricardo. Direito Empresarial: estudo unificado. 3.ed. rev. – São Paulo: 
Saraiva, 2011 
https://juridicocerto.com/p/bartonellinegreiros/artigos/a-dissolucao-da-
sociedade-no-novo-codigo-de-processo-civil-1864 
FONSECA, Priscila M. P. Corrêa da. Dissolução parcial, retirada e exclusão de 
sócio no novo código civil. 2. Ed. – São Paulo: Atlas, 2003. 
 
https://juridicocerto.com/p/bartonellinegreiros/artigos/a-dissolucao-da-sociedade-no-novo-codigo-de-processo-civil-1864
https://juridicocerto.com/p/bartonellinegreiros/artigos/a-dissolucao-da-sociedade-no-novo-codigo-de-processo-civil-1864