A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Fenômenos ondulatórios - Pesquisa de CN

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sesi Senai Aparecida de Goiânia 
Aluna: Izabela Ferreira Silva 
Turma: 2°Química N.E.M 
 
Atividade de Ciências da Natureza 
 
- Pesquise sobre Fenômenos ondulatórios (reflexão, refração, 
difração, interferência, polarização e dispersão) citando um 
exemplo de como cada fenômeno está presente no nosso dia a 
dia. 
 
 
 
Uma característica importante dos fenômenos ondulatórios é que 
eles jamais transportam matéria. O que ocorre realmente é que 
essas perturbações transportam apenas momento linear e energia. 
Há várias ocasiões em que esses fenômenos acontecem como, por 
exemplo: onda do mar, terremotos, ondas de rádio, ondas em 
cordas e etc. 
Reflexão: O som e a luz sofrem reflexão. O eco e a reverberação 
são fenômenos de reflexão sonora. Podemos definir esse fenômeno 
como aquele que ocorre quando uma onda se propaga em um meio, 
encontra um obstáculo e retorna ao meio do qual ela originalmente 
saiu. Além disso, há dois tipos de reflexão: a especular (que 
funciona como um espelho) e a difusa. Um exemplo prático desse 
tipo de fenômeno é quando podemos observar o reflexo de árvores 
na superfície lisa de um lago. Um exemplo é quando uma pessoa 
grita em um vale e escuta alguns segundos depois o eco da sua voz. 
 
Refração: Ocorre quando o som ou a luz passam de um meio para 
outro. O som e a luz sofrem refração. A refração ocorre quando, ao 
mudar de meio de propagação, a onda muda a sua velocidade e a 
sua direção, sendo “desviada”. Um exemplo disso é quando 
imergimos apenas parte de um objeto na água e o vemos distorcido 
na porção que está mergulhada. 
 
Difração: Consiste em uma onda contornar uma fenda (obstáculo). 
O som se difrata mais facilmente que a luz; e a luz vermelha mais 
que a violeta. O exemplo que podemos citar é o da difração sonora 
que ocorre quando duas pessoas, cada uma a um lado de um muro, 
conseguem se ouvir mesmo com a parede disposta entre elas sendo 
bem alta. 
 
Interferência: Consiste no fenômeno que acontece quando duas 
ou mais ondas se encontram e interferem entre si. A interferência 
pode ser construtiva (aumento da amplitude) ou destrutiva 
(diminuição da amplitude). 
Interferência da luz: 
 Construtiva: Quando a superposição de ondas ocorre com 
dois pulsos de mesma frequência e em concordância de fase. 
 Destrutiva: Quando a superposição de ondas acontece com 
dois pulsos de mesma frequência e em oposição de fase. 
O estudo da interferência é muito usado no ramo da 
telecomunicação, pois esse fenômeno (no tipo destrutivo) é um dos 
responsáveis pelos ruídos que podem ser produzidos, dificultando 
a mensagem ser passada. 
 
Polarização: Só é possível para ondas transversais (luz); as 
longitudinais (som) não passam por esse fenômeno. Para o nosso 
dia a dia, temos como exemplo de polarização os óculos escuros. 
Suas lentes funcionam como polarizadores, neutralizando os raios 
solares e evitando que eles interfiram com a nossa visão. 
 
Dispersão: A luz sofre dispersão. A luz branca, ao atravessar um 
prisma, é decomposta nas cores do arco-íris, formando o espectro 
solar. Pode ser definida como a propriedade dos fenômenos 
ondulatórios serem combinados, resultando na mudança da 
velocidade da onda resultante. A dispersão é um fenômeno 
óptico em que a luz é separada em suas diferentes cores quando 
refratada através de algum meio transparente, a exemplo do arco-
íris, do prisma e da lente fotográfica. A dispersão ocorre quando a 
velocidade de propagação da luz no interior de algum meio 
depende da frequência da onda eletromagnética. 
 
 
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/cores-2.htm
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/formacao-um-arco-iris.htm
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/formacao-um-arco-iris.htm
https://brasilescola.uol.com.br/fisica/o-que-sao-ondas-eletromagneticas.htm

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.