A maior rede de estudos do Brasil

qual a função dos botões sinápticos ?


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Para responder a pergunta é necessário relembrar os conhecimentos acerca de como ocorre as sinapses e a anatomia deste mecânismo. 


Há uma considerável variação anatômica na estrutura das sinapses em várias partes do sistema nervoso. As terminações das células pre-sinápticas são geralmente alargadas, formando os botões sinápticos. Estes botões são mais comumente localizados em dendritos. Por vezes, os ramos terminais do axônio formam uma rede ou uma cesta em volta do corpo da célula pós-sináptica tendo um aspecto característico (células em cesto do cerebelo e dos gânglios autonômicos). Em média, cada neurônio apresenta 1000 terminações sinápticas - se considerarmos que o cérebro contem 1012 neurônios, apenas dentro do cérebro humano existem cerca de 1015 sinapses. Na medula, o número de botões sinápticos em cada neurônio motor espinal é da ordem de 10.000.

Ao microscópio eletrônico, os botões sinápticos estão separados da porção pós-sináptica por um espaço bem definido de cerca de 30 a 50 nm. O botão tem sua membrana bem delimitada, assim como a porção pós-sináptica tem uma membrana própria também. Dentro do botão, mitocôndrias, pequenas vesículas e grânulos estão acumulados. O transmissor contido nas vesículas e grânulos é liberado quando o impulso elétrico passa pelo axônio e atinge o botão. As membranas das pequenas vesículas e grânulos se funde à membrana do neurônio, liberando seu conteúdo num processo de exocitose. As paredes das vesículas contem sinapsinas, um grupo de proteínas que quando fosforiladas permitem que as vesículas se movimentem em direção à membrana neural para fusão e liberação de transmissores. A fosforilação da sinapsina depende de cálcio. O potencial de ação atua nos canais de cálcio, e havendo liberação de cálcio, a exocitose aumenta. A quantidade de transmissor liberada é proporcional ao influxo de cálcio.

Apenas uma pequena quantidade de botões sinápticos são específicos numa transmissão sináptica. Em geral, uma grande quantidade de estímulos pré-sinápticos atinge uma célula pós-sináptica. Muitos neurônios pré-sinápticos convergem sobre um neurônio pós-sináptico. De um único neurônio pré-sináptico, os axônios podem divergir e atuar sobre diversos neurônios pós-sinápticos. Esta convergência e divergência formam o substrato anatômico para os fenômenos de facilitação, oclusão e reverberação. Uma vez que existem 1012 neurônios no cérebro, cada um tem 1000 sinapses convergindo para si e outras 1000 sinapses divergindo para outros neurônios, a possibilidade de vias de transmissão de um impulso determina a formação de uma rede intrincadíssima.

A Figura abaixo apresenta a estrutura de um neurônio, incluindo os botões sinápticos. 

Para responder a pergunta é necessário relembrar os conhecimentos acerca de como ocorre as sinapses e a anatomia deste mecânismo. 


Há uma considerável variação anatômica na estrutura das sinapses em várias partes do sistema nervoso. As terminações das células pre-sinápticas são geralmente alargadas, formando os botões sinápticos. Estes botões são mais comumente localizados em dendritos. Por vezes, os ramos terminais do axônio formam uma rede ou uma cesta em volta do corpo da célula pós-sináptica tendo um aspecto característico (células em cesto do cerebelo e dos gânglios autonômicos). Em média, cada neurônio apresenta 1000 terminações sinápticas - se considerarmos que o cérebro contem 1012 neurônios, apenas dentro do cérebro humano existem cerca de 1015 sinapses. Na medula, o número de botões sinápticos em cada neurônio motor espinal é da ordem de 10.000.

Ao microscópio eletrônico, os botões sinápticos estão separados da porção pós-sináptica por um espaço bem definido de cerca de 30 a 50 nm. O botão tem sua membrana bem delimitada, assim como a porção pós-sináptica tem uma membrana própria também. Dentro do botão, mitocôndrias, pequenas vesículas e grânulos estão acumulados. O transmissor contido nas vesículas e grânulos é liberado quando o impulso elétrico passa pelo axônio e atinge o botão. As membranas das pequenas vesículas e grânulos se funde à membrana do neurônio, liberando seu conteúdo num processo de exocitose. As paredes das vesículas contem sinapsinas, um grupo de proteínas que quando fosforiladas permitem que as vesículas se movimentem em direção à membrana neural para fusão e liberação de transmissores. A fosforilação da sinapsina depende de cálcio. O potencial de ação atua nos canais de cálcio, e havendo liberação de cálcio, a exocitose aumenta. A quantidade de transmissor liberada é proporcional ao influxo de cálcio.

Apenas uma pequena quantidade de botões sinápticos são específicos numa transmissão sináptica. Em geral, uma grande quantidade de estímulos pré-sinápticos atinge uma célula pós-sináptica. Muitos neurônios pré-sinápticos convergem sobre um neurônio pós-sináptico. De um único neurônio pré-sináptico, os axônios podem divergir e atuar sobre diversos neurônios pós-sinápticos. Esta convergência e divergência formam o substrato anatômico para os fenômenos de facilitação, oclusão e reverberação. Uma vez que existem 1012 neurônios no cérebro, cada um tem 1000 sinapses convergindo para si e outras 1000 sinapses divergindo para outros neurônios, a possibilidade de vias de transmissão de um impulso determina a formação de uma rede intrincadíssima.

A Figura abaixo apresenta a estrutura de um neurônio, incluindo os botões sinápticos. 

User badge image

Luany

Há mais de um mês

pfv Se Alguém pode responde!
User badge image

Camila

Há mais de um mês

Botão sináptico é uma saliência diminuta na extremidade de um ramo terminal de um axônio de um neurônio pré-sináptico.Cada botão sináptico possui muitas vesículas que contém quantidades pequenas de neurotransmissores. quando um impulso chega ao botão sináptico, moléculas do neurotransmissor são liberadas das vesículas para a fenda sináptica, esse neurotransmissor se liga na fenda pós-sináptica, essa ligação pode iniciar um impulso no neurônio pós-sináptico, mediante a abertura de canais iônicos na membrana após-sináptica. 

Pronto, e é só isso...kk 
boa sorte..

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas