A maior rede de estudos do Brasil

Discorra sobre a purgação da mora, indicando os seus limites para que não fique configurado no abuso de direito. Alguém pode ajudar?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

O art. 394, do CC informa quem se considera em mora: é o devedor que não efetuar o pagamento no tempo, lugar e forma que lei ou convenção estabelecer, bem como o credor que, nessas condições, se negar a receber.

"Art. 394. Considera-se em mora o devedor que não efetuar o pagamento e o credor que não quiser recebê-lo no tempo, lugar e forma que a lei ou a convenção estabelecer."

A purgação da mora se dá nos casos estabelecidos no art. 401, do CC, por meio dos quais são sanados os malefícios da mora, ou seja, quando a mora é considerada "curada" e os efeitos dela decorrentes são afastados.

"Art. 401. Purga-se a mora:

I - por parte do devedor, oferecendo este a prestação mais a importância dos prejuízos decorrentes do dia da oferta;

II - por parte do credor, oferecendo-se este a receber o pagamento e sujeitando-se aos efeitos da mora até a mesma data."

Assim, a purgação da mora pelo devedor se dá quando oferece o cumprimento exato da obrigação, com ressarcimento de todos os prejuízos oriundos da mora. Da mesma forma o faz o credor que aceita receber o pagamento, com sujeição aos prejuízos causados pela mora.

Percebamos, os efeitos da mora são afastados a partir da purgação, sendo certo que até a data de sua ocorrência todos os efeitos devem ser suportados.

Abuso de direito é aquele que ocorre quando o titular de um direito inicialmente legítimo age de forma a exacerbar seu exercício, transpondo os limites.

Assim, deve ser observada casuisticamente a ultrapassagem dos limites delineados pelo ordenamento jurídico.

O art. 394, do CC informa quem se considera em mora: é o devedor que não efetuar o pagamento no tempo, lugar e forma que lei ou convenção estabelecer, bem como o credor que, nessas condições, se negar a receber.

"Art. 394. Considera-se em mora o devedor que não efetuar o pagamento e o credor que não quiser recebê-lo no tempo, lugar e forma que a lei ou a convenção estabelecer."

A purgação da mora se dá nos casos estabelecidos no art. 401, do CC, por meio dos quais são sanados os malefícios da mora, ou seja, quando a mora é considerada "curada" e os efeitos dela decorrentes são afastados.

"Art. 401. Purga-se a mora:

I - por parte do devedor, oferecendo este a prestação mais a importância dos prejuízos decorrentes do dia da oferta;

II - por parte do credor, oferecendo-se este a receber o pagamento e sujeitando-se aos efeitos da mora até a mesma data."

Assim, a purgação da mora pelo devedor se dá quando oferece o cumprimento exato da obrigação, com ressarcimento de todos os prejuízos oriundos da mora. Da mesma forma o faz o credor que aceita receber o pagamento, com sujeição aos prejuízos causados pela mora.

Percebamos, os efeitos da mora são afastados a partir da purgação, sendo certo que até a data de sua ocorrência todos os efeitos devem ser suportados.

Abuso de direito é aquele que ocorre quando o titular de um direito inicialmente legítimo age de forma a exacerbar seu exercício, transpondo os limites.

Assim, deve ser observada casuisticamente a ultrapassagem dos limites delineados pelo ordenamento jurídico.

User badge image

Juscélia Maruti Milagres

Há mais de um mês

Purgar a mora significa que está neutralizando seus efeitos. Quando se faz a purgação da mora, o devedor cumpre suas obrigações acrescidas dos prejuízos devidos, caso a prestação ainda seja de interesse e utilidade do credor, onde este proporse-a a receber o pagamento.

 

Em outras palavras, purgar a mora é o mesmo que quitar a dívida, deixar de ser inadimplente.

 

Quando aos limites da mora, existe previsão legal de multa de 2% no vencimento da obrigação acrescidas de juros simples referente a correção monetária e juros. Quanto aos bancos... Ah... Os bancos são outra história...

 

Para não configurar abuso deve-se cobrar multa, juros e correção legais. Um agiota, por exemplo, que cobra multa de 5% já ultrapassou o limite.

 

Espero ter ajudado.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas