A maior rede de estudos do Brasil

Que fatores mais estimularam a revolução francesa?

História

UNICEUMA


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

A Revolução Francesa teve um grande impacto na Europa e no Novo Mundo. Os historiadores consideram amplamente a Revolução como um dos eventos mais importantes da história da humanidade.


A Revolução Francesa teve causas gerais comuns a todas as revoluções do Ocidente no final do século XVIII e causas particulares que explicam por que ela foi de longe a mais violenta e a mais universalmente significativa dessas revoluções. A primeira das causas gerais foi a estrutura social do Ocidente.


O regime feudal havia sido enfraquecido passo a passo e já havia desaparecido em partes da Europa. A elite cada vez mais numerosa e próspera de pessoas comuns - comerciantes, fabricantes e profissionais, muitas vezes chamada de burguesia - aspirava ao poder político nos países onde ainda não a possuía.


Os camponeses, muitos dos quais possuíam terras, alcançaram um melhor padrão de vida e educação e queria se livrar dos últimos vestígios do feudalismo, de modo a adquirir os plenos direitos dos proprietários e a ter liberdade para aumentar suas propriedades. Além disso, a partir de 1730, padrões de vida mais altos reduziram consideravelmente a taxa de mortalidade entre adultos.


Isto, juntamente com outros fatores, levou a um aumento na população da Europa sem precedentes por vários séculos: dobrou entre 1715 e 1800. Para a França, que com 26 milhões de habitantes em 1789 era o país mais populoso da Europa, o problema era mais agudo.

A Revolução Francesa teve um grande impacto na Europa e no Novo Mundo. Os historiadores consideram amplamente a Revolução como um dos eventos mais importantes da história da humanidade.


A Revolução Francesa teve causas gerais comuns a todas as revoluções do Ocidente no final do século XVIII e causas particulares que explicam por que ela foi de longe a mais violenta e a mais universalmente significativa dessas revoluções. A primeira das causas gerais foi a estrutura social do Ocidente.


O regime feudal havia sido enfraquecido passo a passo e já havia desaparecido em partes da Europa. A elite cada vez mais numerosa e próspera de pessoas comuns - comerciantes, fabricantes e profissionais, muitas vezes chamada de burguesia - aspirava ao poder político nos países onde ainda não a possuía.


Os camponeses, muitos dos quais possuíam terras, alcançaram um melhor padrão de vida e educação e queria se livrar dos últimos vestígios do feudalismo, de modo a adquirir os plenos direitos dos proprietários e a ter liberdade para aumentar suas propriedades. Além disso, a partir de 1730, padrões de vida mais altos reduziram consideravelmente a taxa de mortalidade entre adultos.


Isto, juntamente com outros fatores, levou a um aumento na população da Europa sem precedentes por vários séculos: dobrou entre 1715 e 1800. Para a França, que com 26 milhões de habitantes em 1789 era o país mais populoso da Europa, o problema era mais agudo.

User badge image

Victor

Há mais de um mês

Sugiro a leitura do artigo A Revolução Francesa revisitada do autor Joachin Azevedo Neto na revista História da Historiografia de 2012, disponível em http://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/download/308/251. Uma análise elucidativa sobre as discussões em torno das causas da Revolução Francesa. Muitas coisas que estudamos no Ensino Médio precisam ser reconsideradas. Por exemplo, parece que a proliferação de impressos falando da vida pessoal do rei e sua corte tiveram uma influência maior do que se imaginava. O boca a boca ajudava a espalhar as notícias nas tavernas e praças, fazendo com que a população mais simples tivesse acesso a estas informações sobre a vida privada real, que ajudou a ""queimar'' a imagem do rei e dessacralizá-lo perante seus súditos.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

A Revolução Francesa teve um grande impacto na Europa e no Novo Mundo. Os historiadores consideram amplamente a Revolução como um dos eventos mais importantes da história da humanidade.


A Revolução Francesa teve causas gerais comuns a todas as revoluções do Ocidente no final do século XVIII e causas particulares que explicam por que ela foi de longe a mais violenta e a mais universalmente significativa dessas revoluções. A primeira das causas gerais foi a estrutura social do Ocidente.


O regime feudal havia sido enfraquecido passo a passo e já havia desaparecido em partes da Europa. A elite cada vez mais numerosa e próspera de pessoas comuns - comerciantes, fabricantes e profissionais, muitas vezes chamada de burguesia - aspirava ao poder político nos países onde ainda não a possuía.


Os camponeses, muitos dos quais possuíam terras, alcançaram um melhor padrão de vida e educação e queria se livrar dos últimos vestígios do feudalismo, de modo a adquirir os plenos direitos dos proprietários e a ter liberdade para aumentar suas propriedades. Além disso, a partir de 1730, padrões de vida mais altos reduziram consideravelmente a taxa de mortalidade entre adultos.


Isto, juntamente com outros fatores, levou a um aumento na população da Europa sem precedentes por vários séculos: dobrou entre 1715 e 1800. Para a França, que com 26 milhões de habitantes em 1789 era o país mais populoso da Europa, o problema era mais agudo.

User badge image

Gabi

Há mais de um mês

1. Estrutura social francesa hierarquizada

A sociedade francesa era bastante hierarquizada, com poucas possibilidades de ascensão. Formada com 26 milhões de habitantes, a sua maioria era rural.

Naquela época, a sociedade era dividida em 3 “Estados”.
1º Estado – Clero (membros da Igreja)
2º Estado – Nobreza
3º Estado – Burguesia, Camponeses e Sans culottes.

Para se ter uma ideia, o 3º Estado equivalia a 98% de toda a população França.

Se o nome “sans culottes” te causou estranheza, calma que vamos te explicar isso agora: esse é o nome dado aos trabalhadores de Paris.

Eles são chamados assim porque o “culotte” era uma vestimenta típica da nobreza. Como esses trabalhadores não tinham condições de usar esse tipo de roupa (e se vestiam com calças mais largas), acabaram ficando conhecidos como os “sans culottes” – a expressão remete aos “sem culottes”.

 

2. Privilégios do clero e da nobreza
Os 2% da população formados pelo clero e pela nobreza desfrutavam de diversos privilégios. Eles não pagavam impostos, tinham pensões vitalícias, eram julgados em tribunais especiais (sendo favorecidos pela lei), possuíam cargos na administração pública e postos de comando no exército.

Os burgueses, camponeses e sans culottes estavam cansados de sustentar o luxo do restante da população.
 
 
3. Insatisfação dos camponeses
Os camponeses, além de estarem cansados de pagar imposto e sustentar as regalias do 1º e 2º Estados, também eram submetidos à servidão. Eles queriam se libertar e desfrutar da igualdade.
 

4. Busca por poder político
Apesar da burguesia ter um forte poder econômico, eles queriam conquistar o poder político – como a França era uma monarquia absolutista, eles não participavam de nenhuma decisão.

5. Crise econômica
A França estava com a economia abalada por diversos motivos. O primeiro deles eram os gastos militares do país. Entre 1756 e 1763, a França participou da Guerra de Sete Anos, contra os ingleses.

O resultado não foi positivo: além de se endividar com os gastos militares elevados, a França perdeu a guerra e diversas colônias, como o Canadá que passou para o domínio inglês.
 

Outro ponto que contribuiu para a situação econômica do país foi uma das piores safras agrícolas que a França teve. As plantações sofreram por consequência de uma crise climática com muita chuva e um inverno rigoroso.

O preço dos alimentos estava a cada vez mais caros com o aumento da inflação. Para se ter uma ideia, em 1788, um trabalhador francês gastava cerca de 50% de sua renda na compra de pão. No ano seguinte, em 1789, estima-se que esse mesmo trabalhador gastava, em média, 80% do seu dinheiro comprando pão, para se alimentar.
 

Não podemos deixar de destacar que a França apoiou a independência dos Estado Unidos com tropas e recursos financeiros. Ela fez isso como forma de vingança por ter perdido a guerra contra a Inglaterra.

Fora isso, tinha o de sempre: os gastos excessivos para pagar o luxo da corte.
 

6. Influências iluministas
Por fim, o último fator que contribuiu para que a Revolução Francesa acontecesse foi a influência das ideias iluministas. Os pensadores criticavam a concentração de poder nas mãos de um rei absolutista e a ausência de liberdade.


Eles defendiam a igualdade perante a lei e o direito do povo se rebelar e lutar contra a tirania. 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas