A maior rede de estudos do Brasil

quais sao os princípios do direito do trabalho


4 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Gabriela Gattulli Verified user icon

Há mais de um mês

Principio da proteção tem como objetivo de igualar as partes, pois na relação empresa x empregado é notável que haja uma discrepância de ordem econômica, e este princípio está para colocar em pé de igualdade as partes inseridas no processo para que nenhum dos dois tenha vantagens sobre o outro já que o empregado é considerado como categoria subordinada já que deve obediência ao seu empregador no que tange as normas trabalhistas e da empresa onde o mesmo trabalha, deste princípio decorrem três subprincípios.

In dúbio pró operário, se assemelha bastante com o principio do direito penal chamado in dúbio pró réu que significa dizer que na dúvida de interpretação das normas que seja favorável ao réu, trazendo para o direito do trabalho este princípio diz que na duvida de interpretação que seja favorável ao operário.

Da aplicação da normal mais favorável- Dispõe que o magistrado ao se deparar com duas ou mais normas que versem sobre o mesmo assunto aplicar-se-á a norma mais favorável para o empregado.

Da condição mais benéfica, este subprincípio versa sobre direitos mais vantajosos adquiridos pelos empregados, isto quer dizer que existe se existe um contrato entre empregador e empregado que informa que o empregado tem “x” benefícios e surgem normas supervenientes que tratam deste assunto, mas, reduzem os direitos adquiridos por este empregado em face ao seu contrato assinado anteriormente ele não irá sofrer a menos que o mesmo concorde, pois temos este principio inserido no direito trabalhista brasileiro visando proteger os direitos adquiridos pelos empregados.

Irrenunciabilidade de direitos, é impossível juridicamente de privar o empregado a direito adquiridos, como por exemplo: 13º salário, férias e etc. os direitos presentes na CLT (Consolidação das leis trabalhistas) são inalienáveis.

Da continuidade da relação de trabalho, o contrato de trabalho é feito sem tempo determinado para que haja uma continuidade nesta relação de trabalho, mas existe excepcionalmente a possibilidade de contratações com tempo determinado, e este contrato poderá ser firmado tácita ou expressamente, verbalmente ou por escrito, os contratos que tem tempo determinado só são possíveis em três hipóteses e devem constar neles o início e o término e só são possíveis nestas hipóteses descritas abaixo: a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo;  b) de atividades empresariais de caráter transitório;  c) de contrato de experiência.

Primazia da realidade, regula conflitos entre o que está escrito, acordado e o que de fato ocorre.

Da inalterabilidade contratual lesiva, é uma vedação ao empregador de realizar qualquer alteração que seja lesiva ou maléfica para os trabalhadores, mas, se o empregador quiser por ventura alterar para conceder mais benefícios ao seu trabalhador isto é possível de ser feito unilateralmente sem prejuízo nenhum ao direito do trabalho, mas, não é um princípio absoluto há possibilidade de alteração lesiva do contrato em algumas situações. 

Intangibilidade salarial, os proventos salariais são de cunho alimentício, que servem como sustento de sua família, entretanto há certa flexibilização quanto a este princípio, pois mediante ato coletivo pode ser reduzido à carga horaria de trabalho e consequentemente o seu salário, mas, isto só ocorrerá em situação econômica frágil da empresa a qual os mesmos pertencem e é uma exceção a regra.

Principio da proteção tem como objetivo de igualar as partes, pois na relação empresa x empregado é notável que haja uma discrepância de ordem econômica, e este princípio está para colocar em pé de igualdade as partes inseridas no processo para que nenhum dos dois tenha vantagens sobre o outro já que o empregado é considerado como categoria subordinada já que deve obediência ao seu empregador no que tange as normas trabalhistas e da empresa onde o mesmo trabalha, deste princípio decorrem três subprincípios.

In dúbio pró operário, se assemelha bastante com o principio do direito penal chamado in dúbio pró réu que significa dizer que na dúvida de interpretação das normas que seja favorável ao réu, trazendo para o direito do trabalho este princípio diz que na duvida de interpretação que seja favorável ao operário.

Da aplicação da normal mais favorável- Dispõe que o magistrado ao se deparar com duas ou mais normas que versem sobre o mesmo assunto aplicar-se-á a norma mais favorável para o empregado.

Da condição mais benéfica, este subprincípio versa sobre direitos mais vantajosos adquiridos pelos empregados, isto quer dizer que existe se existe um contrato entre empregador e empregado que informa que o empregado tem “x” benefícios e surgem normas supervenientes que tratam deste assunto, mas, reduzem os direitos adquiridos por este empregado em face ao seu contrato assinado anteriormente ele não irá sofrer a menos que o mesmo concorde, pois temos este principio inserido no direito trabalhista brasileiro visando proteger os direitos adquiridos pelos empregados.

Irrenunciabilidade de direitos, é impossível juridicamente de privar o empregado a direito adquiridos, como por exemplo: 13º salário, férias e etc. os direitos presentes na CLT (Consolidação das leis trabalhistas) são inalienáveis.

Da continuidade da relação de trabalho, o contrato de trabalho é feito sem tempo determinado para que haja uma continuidade nesta relação de trabalho, mas existe excepcionalmente a possibilidade de contratações com tempo determinado, e este contrato poderá ser firmado tácita ou expressamente, verbalmente ou por escrito, os contratos que tem tempo determinado só são possíveis em três hipóteses e devem constar neles o início e o término e só são possíveis nestas hipóteses descritas abaixo: a) de serviço cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminação do prazo;  b) de atividades empresariais de caráter transitório;  c) de contrato de experiência.

Primazia da realidade, regula conflitos entre o que está escrito, acordado e o que de fato ocorre.

Da inalterabilidade contratual lesiva, é uma vedação ao empregador de realizar qualquer alteração que seja lesiva ou maléfica para os trabalhadores, mas, se o empregador quiser por ventura alterar para conceder mais benefícios ao seu trabalhador isto é possível de ser feito unilateralmente sem prejuízo nenhum ao direito do trabalho, mas, não é um princípio absoluto há possibilidade de alteração lesiva do contrato em algumas situações. 

Intangibilidade salarial, os proventos salariais são de cunho alimentício, que servem como sustento de sua família, entretanto há certa flexibilização quanto a este princípio, pois mediante ato coletivo pode ser reduzido à carga horaria de trabalho e consequentemente o seu salário, mas, isto só ocorrerá em situação econômica frágil da empresa a qual os mesmos pertencem e é uma exceção a regra.

User badge image

Carol

Há mais de um mês

1. Da Proteção

2. Da Irrenunciabilidade de Direitos

3. Da Continuidade da Relação de Emprego

4. Da Primazia da Realidade

5. Da Inalterabilidade Contratual Lesiva

6. Da Intangibilidade Salarial

User badge image

Marisol

Há mais de um mês

  • Princípio da proteção;
  • Princípio da primazia da realidade;
  • Princípio da continuidade;
  • Princípio da inalterabilidade contratual lesiva;
  • Princípio da intangibilidade salarial;
  • Princípio da irrenunciabilidade de direitos.
User badge image

Pedro

Há mais de um mês

1) Princípio da proteção - O promeiro dos princípios do direito do trabalho
Subdivide em três outros subprincípios
- Norma mais favorável
- Da condição mais benéfica
- In dubio pro misero
2) Princípio da Primazia da realidade
3) Princípio da Continuidade (Súmula 212 / TST )
4) Princípio da inalterabilidade contratual lesiva
5) Princípio da intangibiilidade salarial
6) Princípio da irrenunciabilidade de direitos

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas