A maior rede de estudos do Brasil

Usando um aparelho de eletroestimulação

Usando um aparelho de eletroestimulação em uma pessoa pode se observar os estimulos acontecendo, mas conforme a intensidade e velocidade alterada no aparelho os estimulos mudam, porque?

2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Usa-se a eletroestimulação para auxiliar a recuperação de membros debilitados por fraturas, traumas ou lesões nervosas periféricas.


Utilizar a eletricidade para obter uma resposta muscular mecânica estimulando o sistema nervoso é um princípio simples e antigo, e tem sido o domínio cada vez mais preciso destas correntes ao longo do tempo que permitiu a otimização dos efeitos obtidos. 


O princípio da eletroestimulação é muito simples e reproduz fielmente os processos envolvidos na contração muscular ordenados por nosso cérebro. Quando decidimos contrair o músculo, o cérebro envia um comando, na forma de corrente elétrica que se move a alta velocidade ao longo das fibras nervosas. Quando chega ao seu destino, o sinal excita o nervo motor, que transmite a informação para os arredores mais próximos do músculo, provocando a contração muscular. Com a eletroestimulação, a excitação ocorre diretamente sobre o nervo motor por pulsos elétricos perfeitamente adaptados para garantir a eficiência, segurança e conforto no uso. Assim, o músculo não é capaz de dizer a diferença entre uma contração voluntária (pelo cérebro) e uma contração eletricamente induzida. 


Sendo assim, isso ocorre porque quando decidimos contrair o músculo, o cérebro envia um comando, na forma de corrente elétrica que se move a alta velocidade ao longo das fibras nervosas. Se alteramos a intensidade e velocidade do aparelho, essa velocidade também muda.

 

Fonte:http://www.lojaestetica.com.br/compex-sp-2-0-aparelho-de-eletroestimulacao-portatil-p1450558

Usa-se a eletroestimulação para auxiliar a recuperação de membros debilitados por fraturas, traumas ou lesões nervosas periféricas.


Utilizar a eletricidade para obter uma resposta muscular mecânica estimulando o sistema nervoso é um princípio simples e antigo, e tem sido o domínio cada vez mais preciso destas correntes ao longo do tempo que permitiu a otimização dos efeitos obtidos. 


O princípio da eletroestimulação é muito simples e reproduz fielmente os processos envolvidos na contração muscular ordenados por nosso cérebro. Quando decidimos contrair o músculo, o cérebro envia um comando, na forma de corrente elétrica que se move a alta velocidade ao longo das fibras nervosas. Quando chega ao seu destino, o sinal excita o nervo motor, que transmite a informação para os arredores mais próximos do músculo, provocando a contração muscular. Com a eletroestimulação, a excitação ocorre diretamente sobre o nervo motor por pulsos elétricos perfeitamente adaptados para garantir a eficiência, segurança e conforto no uso. Assim, o músculo não é capaz de dizer a diferença entre uma contração voluntária (pelo cérebro) e uma contração eletricamente induzida. 


Sendo assim, isso ocorre porque quando decidimos contrair o músculo, o cérebro envia um comando, na forma de corrente elétrica que se move a alta velocidade ao longo das fibras nervosas. Se alteramos a intensidade e velocidade do aparelho, essa velocidade também muda.

 

Fonte:http://www.lojaestetica.com.br/compex-sp-2-0-aparelho-de-eletroestimulacao-portatil-p1450558

User badge image

Leandro

Há mais de um mês

acho que um dos motivos é o corpo que começa a recrutar outros músculos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas