A maior rede de estudos do Brasil

Como fazer contagem bacteriana


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Podemos realizar a quantificação de colônias de bactérias por meio de diferentes técnicas: contagem de placas, diluição seriada, método pour plate, método de espalhamento, espalhamento de placa, filtração e MNP – método do número mais provável.


Dentre os métodos utilizados para quantificação bacteriana, o mais recorrente é o de contagem em placa, que tem como vantagem a obtenção de todas as células viáveis. A técnica de contagem de placas é usualmente chamada de “unidades formadoras de colônias – UFC”, pelo fato das bactérias frequentemente formarem cadeias ou grumos. Em diluição seriada, o inóculo de bactérias é diluído em cada tubo subsequente, de modo a conter um percentual (geralmente um décimo) do número de bactérias presentes no tubo anterior, e em seguida é feita a cultura e posteriormente quantificação, em placa de Petri, de cada inóculo dos tubos. Na técnica de pour plate um inóculo de colônias bacterianas é cultivado em meio agar nutriente solidificado, e encubado em temperatura propícia ao seu crescimento. Para evitar que as colônias entrem em contato com o meio agar e cresçam de maneira irregular, podemos aplicar o método do espalhamento, onde o inóculo é colocado na superfície do meio com agar já solidificado e é em seguida espalhado de maneira uniforme na superfície do meio com bastão de vidro. Em condições em que o número de bactérias é reduzido, podemos aplicar a técnica da filtração, onde a comunidade bacteriana é concentrada sobre uma membrana de filtro de porosidade muito pequena, após a filtragem de um volume de água. Transferimos o filtro para meio nutriente em placa de Petri, para desenvolvimento e contagem das colônias. Podemos ainda aplicar o Método do número mais provável, uma técnica estatística baseada no princípio de que quanto maior o número de bactérias existentes em uma amostra, proporcionalmente maior será o número de diluições necessárias para eliminar totalmente o crescimento em recipientes com meios de cultura. Utilizamos esse método quando não há crescimento bacteriano em meio sólido, e demonstra uma estimativa de 95% daquela real população bacteriana.


Portanto, podemos aplicar diferentes técnicas para a quantificação de colônias bacterianas. A contagem em placa de Petri é o método que mais atinge os objetivos da contagem. O método pode variar de acordo com a quantidade de bactérias disponíveis, com as características das colônias e com o objetivo do estudo em questão.

Podemos realizar a quantificação de colônias de bactérias por meio de diferentes técnicas: contagem de placas, diluição seriada, método pour plate, método de espalhamento, espalhamento de placa, filtração e MNP – método do número mais provável.


Dentre os métodos utilizados para quantificação bacteriana, o mais recorrente é o de contagem em placa, que tem como vantagem a obtenção de todas as células viáveis. A técnica de contagem de placas é usualmente chamada de “unidades formadoras de colônias – UFC”, pelo fato das bactérias frequentemente formarem cadeias ou grumos. Em diluição seriada, o inóculo de bactérias é diluído em cada tubo subsequente, de modo a conter um percentual (geralmente um décimo) do número de bactérias presentes no tubo anterior, e em seguida é feita a cultura e posteriormente quantificação, em placa de Petri, de cada inóculo dos tubos. Na técnica de pour plate um inóculo de colônias bacterianas é cultivado em meio agar nutriente solidificado, e encubado em temperatura propícia ao seu crescimento. Para evitar que as colônias entrem em contato com o meio agar e cresçam de maneira irregular, podemos aplicar o método do espalhamento, onde o inóculo é colocado na superfície do meio com agar já solidificado e é em seguida espalhado de maneira uniforme na superfície do meio com bastão de vidro. Em condições em que o número de bactérias é reduzido, podemos aplicar a técnica da filtração, onde a comunidade bacteriana é concentrada sobre uma membrana de filtro de porosidade muito pequena, após a filtragem de um volume de água. Transferimos o filtro para meio nutriente em placa de Petri, para desenvolvimento e contagem das colônias. Podemos ainda aplicar o Método do número mais provável, uma técnica estatística baseada no princípio de que quanto maior o número de bactérias existentes em uma amostra, proporcionalmente maior será o número de diluições necessárias para eliminar totalmente o crescimento em recipientes com meios de cultura. Utilizamos esse método quando não há crescimento bacteriano em meio sólido, e demonstra uma estimativa de 95% daquela real população bacteriana.


Portanto, podemos aplicar diferentes técnicas para a quantificação de colônias bacterianas. A contagem em placa de Petri é o método que mais atinge os objetivos da contagem. O método pode variar de acordo com a quantidade de bactérias disponíveis, com as características das colônias e com o objetivo do estudo em questão.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Podemos realizar a quantificação de colônias de bactérias por meio de diferentes técnicas: contagem de placas, diluição seriada, método pour plate, método de espalhamento, espalhamento de placa, filtração e MNP – método do número mais provável.


Dentre os métodos utilizados para quantificação bacteriana, o mais recorrente é o de contagem em placa, que tem como vantagem a obtenção de todas as células viáveis. A técnica de contagem de placas é usualmente chamada de “unidades formadoras de colônias – UFC”, pelo fato das bactérias frequentemente formarem cadeias ou grumos. Em diluição seriada, o inóculo de bactérias é diluído em cada tubo subsequente, de modo a conter um percentual (geralmente um décimo) do número de bactérias presentes no tubo anterior, e em seguida é feita a cultura e posteriormente quantificação, em placa de Petri, de cada inóculo dos tubos. Na técnica de pour plate um inóculo de colônias bacterianas é cultivado em meio agar nutriente solidificado, e encubado em temperatura propícia ao seu crescimento. Para evitar que as colônias entrem em contato com o meio agar e cresçam de maneira irregular, podemos aplicar o método do espalhamento, onde o inóculo é colocado na superfície do meio com agar já solidificado e é em seguida espalhado de maneira uniforme na superfície do meio com bastão de vidro. Em condições em que o número de bactérias é reduzido, podemos aplicar a técnica da filtração, onde a comunidade bacteriana é concentrada sobre uma membrana de filtro de porosidade muito pequena, após a filtragem de um volume de água. Transferimos o filtro para meio nutriente em placa de Petri, para desenvolvimento e contagem das colônias. Podemos ainda aplicar o Método do número mais provável, uma técnica estatística baseada no princípio de que quanto maior o número de bactérias existentes em uma amostra, proporcionalmente maior será o número de diluições necessárias para eliminar totalmente o crescimento em recipientes com meios de cultura. Utilizamos esse método quando não há crescimento bacteriano em meio sólido, e demonstra uma estimativa de 95% daquela real população bacteriana.


Portanto, podemos aplicar diferentes técnicas para a quantificação de colônias bacterianas. A contagem em placa de Petri é o método que mais atinge os objetivos da contagem. O método pode variar de acordo com a quantidade de bactérias disponíveis, com as características das colônias e com o objetivo do estudo em questão.

User badge image

Andre

Há mais de um mês

Podemos realizar a quantificação de colônias de bactérias por meio de diferentes técnicas: contagem de placas, diluição seriada, método pour plate, método de espalhamento, espalhamento de placa, filtração e MNP – método do número mais provável.


 Dentre os métodos utilizados para quantificação bacteriana, o mais recorrente é o de contagem em placa, que tem como vantagem a obtenção de todas as células viáveis. A técnica de contagem de placas é usualmente chamada de “unidades formadoras de colônias – UFC”, pelo fato das bactérias frequentemente formarem cadeias ou grumos. Em diluição seriada, o inóculo de bactérias é diluído em cada tubo subsequente, de modo a conter um percentual (geralmente um décimo) do número de bactérias presentes no tubo anterior, e em seguida é feita a cultura e posteriormente quantificação, em placa de Petri, de cada inóculo dos tubos. Na técnica de pour plate um inóculo de colônias bacterianas é cultivado em meio agar nutriente solidificado, e encubado em temperatura propícia ao seu crescimento. Para evitar que as colônias entrem em contato com o meio agar e cresçam de maneira irregular, podemos aplicar o método do espalhamento, onde o inóculo é colocado na superfície do meio com agar já solidificado e é em seguida espalhado de maneira uniforme na superfície do meio com bastão de vidro. Em condições em que o número de bactérias é reduzido, podemos aplicar a técnica da filtração, onde a comunidade bacteriana é concentrada sobre uma membrana de filtro de porosidade muito pequena, após a filtragem de um volume de água. Transferimos o filtro para meio nutriente em placa de Petri, para desenvolvimento e contagem das colônias. Podemos ainda aplicar o Método do número mais provável, uma técnica estatística baseada no princípio de que quanto maior o número de bactérias existentes em uma amostra, proporcionalmente maior será o número de diluições necessárias para eliminar totalmente o crescimento em recipientes com meios de cultura. Utilizamos esse método quando não há crescimento bacteriano em meio sólido, e demonstra uma estimativa de 95% daquela real população bacteriana. 


 

Portanto, podemos aplicar diferentes técnicas para a quantificação de colônias bacterianas. A contagem em placa de Petri é o método que mais atinge os objetivos da contagem. O método pode variar de acordo com a quantidade de bactérias disponíveis, com as características das colônias e com o objetivo do estudo em questão. 

User badge image

Rafaela

Há mais de um mês

Olá, costuma-se realizar uma metodologia chamada Diluição Decimal Seriada, para obter-se uma placa com número de colônias entre 25 e 250 e após realiza-se calculo considerando o número e colonias e as diluiçoes realizadas. No livro de Microbiologia de Tortora 10ed você encontra de forma bem clara como realiza-la. Esse livro está disponível gratuitamente em formato pdf na internet.

 

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas