A maior rede de estudos do Brasil

Franquias podem ser consideradas grupos econômicos?


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Gabriela Gattulli Verified user icon

Há mais de um mês

Com a nova lei trabalhista de 2017, o legislador trouxe três elementos para análise da configuração do grupo econômico: a demonstração de interesse integrado, a efetiva comunhão de interesses e a atuação conjunta das empresas dele integrantes. Como se vê, pela utilização de conjunção aditiva e adoção de expressão no plural (“necessárias”), intentou o legislador estabelecer três requisitos cumulativos para a configuração do grupo econômico.

Na prática, a nova exigência legal restringe a caracterização do grupo econômico, excluindo as empresas com sócios comuns que não atuam de forma conjunta, bem como empresas meramente parceiras e até mesmo as franquias, que são objeto de longa controvérsia na jurisprudência.

Com a nova lei trabalhista de 2017, o legislador trouxe três elementos para análise da configuração do grupo econômico: a demonstração de interesse integrado, a efetiva comunhão de interesses e a atuação conjunta das empresas dele integrantes. Como se vê, pela utilização de conjunção aditiva e adoção de expressão no plural (“necessárias”), intentou o legislador estabelecer três requisitos cumulativos para a configuração do grupo econômico.

Na prática, a nova exigência legal restringe a caracterização do grupo econômico, excluindo as empresas com sócios comuns que não atuam de forma conjunta, bem como empresas meramente parceiras e até mesmo as franquias, que são objeto de longa controvérsia na jurisprudência.

User badge image

Up

Há mais de um mês

Não se trata de grupo econômico. Mesmo que o franqueador seja obrigado a dar assistência plena ao franqueado, cada um corre o seu próprio risco, em campos jurídicos e econômicos determinados. Tanto que se o azar dos negócios levar o franqueador a quebrar e com ele cair toda a cadeia de franqueados, o mesmo não acontece com o franqueador e o resto da rede no momento em que um franqueado se dá mal no seu negócio e o perde numa eventual falência. E sob o ponto de vista dos franqueados, se um deles experimentar sucesso muito mais elevado do que os demais, estes não merecerão qualquer remuneração extra a ser tirada do lucro do franqueado mais bem sucedido.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas