A maior rede de estudos do Brasil

Como janio Quadros conseguiu entrar na presidência?

HistóriaFAFIT-FACIC

2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Terra à Vista Verified user icon

Há mais de um mês

Olá,

Jânio Quadros foi eleito após uma coligação entre o seu pequeno partido o PTN com a UDN. Com comícios, passeatas, conseguiu fazer valer o seu carisma nas eleições e se saiu vitorioso. E claro, com um forte discurso moralista contra a corrução também.

Att,

Equipe Terra à Vista

Acesse o nosso canal no Youtube.

Olá,

Jânio Quadros foi eleito após uma coligação entre o seu pequeno partido o PTN com a UDN. Com comícios, passeatas, conseguiu fazer valer o seu carisma nas eleições e se saiu vitorioso. E claro, com um forte discurso moralista contra a corrução também.

Att,

Equipe Terra à Vista

Acesse o nosso canal no Youtube.

User badge image

Tonny

Há mais de um mês

Jânio Quadros venceu as eleições, diretas, de 1960.  Foi assim:  Jânio Quadros elegeu-se suplente de vereador em 1947. Com a cassação do Partido Comunista Brasileiro, ele chegou a vereador em São Paulo. E aí começou a subir como um foguete: foi prefeito, deputado, governador, deputado federal, e finalmente chegou em 1960 para a disputa para Presidente.  havia um partido político, a UDN, que era o partido da classe média tradicional e dos ricos, e que não conseguia chegar ao poder justamente por não ter apelo popular. Este partido, capitaneado pelo jornalista Carlos Lacerda, viu em Jânio Quadros alguém que sabia lidar com o povão, ao mesmo tempo que compartilhava de idéias da UDN. Então, convidaram ele para ser o candidato da coligação liderada pela UDN em 1960.  O adversário principal de Jânio foi o marechal Henrique Teixeira Lott. Vamos ver a história dele:  Em 1960, acabava o governo Juscelino Kubitschek (apelidado de JK), presidente eleito em 1955, um ano depois do suicídio de Getúlio Vargas. Juscelino era o "sucessor" de Vargas, pertencia ao mesmo grupo político e tinha apoiado a vida toda o getulismo.  Voltando a 1955: o segundo governo Vargas, iniciado em 1950, ia mal das pernas e a UDN tentava derrubar o presidente. Vargs matou-se com um tiro no coração, deixando uma carta na qual pede ao povo pobre que continue sua luta. E o povo então, emocionado, deu a Juscelino a vitória 55.  Alguns militares tentaram armar um golpe para impedir que ele chegasse ao poder, mas foram impedidos pelo marechal Henrique Teixeira Lott.  Bom. Em 1960, o marechal que salvou o governo Juscelino passava a ser o candidato das forças do getulismo e do governo JK. Um governo polêmico, que deu início à indústria dos automóveis no Brasil, e construiu Brasília, mas também afundou o país na inflação e na dívida externa.  Bom... Jânio Quadros contra o Marechal Lott... Lott era ruim de discurso, não tinha traquejo social, não sabia empolgar a multidão. Jânio Quadros era um gênio dramático, com muita força junto ao povão ignorante, e que prometia "varrer a bandalheira" que assolava a política nacional, além de dar um jeito nas contas do país, que iam de mal a pior.  Resultado: Jânio Quadros foi eleito com uma votação avassaladora.  Naquela época, o vice-presidente era eleito em uma votação separada, e o vice eleito foi João Goulart, o Jango, que na verdade era o candidato a vice da chapa do Marechal Lott...  O fim da história, todo mundo sabe: sete meses depois de chegar ao poder, Jânio Quadros renunciou, deixando a vaga para João Goulart.  Porém, como o Jango tinha fama de comunista, os militares tentaram impedir que ele chegasse ao poder. No Rio Grande do Sul, o governador Leonel Brizola organizou uma resistência armada ao golpe, e conseguiu colocar João Goulart no poder, no final de 1961. A essa altura do campeonato, Jânio Quadros estava na Europa, esperando para ver o que acontecia no Brasil.  Em 1964, os militares resolveram tentar um segundo golpe contra o mesmo João Goulart. E desta vez, conseguiram, iniciando duas décadas de regime militar.  Jânio Quadros ainda tentou voltar à política, mas foi impedido pelos militares. Só na década de 80, ele conseguiria voltar a ser candidato. Em 1985, já muito velho, Jânio voltou a se eleger Prefeito de São Paulo, derrotando os então jovens Eduardo Suplicy (que depois seria senador), e Fernando Henrique Cardoso (o "pai" do Plano Real, e presidente de 1994 a 2002).  No final do último mandato como prefeito, Jânio pensou em concorrer a Presidente denovo em 1989. Mas sua saúde foi pro beleléu e ele morreu, em 1991 ou 1992 (não lembro)

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas