A maior rede de estudos do Brasil

inibição reversível de enzimas desses microrganismos.

presença de substancias significa provavelmente


3 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

Os inibidores de enzimas são moléculas que se ligam a enzimas e diminuir a sua atividade . Como o bloqueio de uma enzima pode matar um patógeno ou corrigir um desequilíbrio metabólico , muitos medicamentos agem como inibidores da enzima. Eles também são usados como herbicidas e pesticidas . No entanto, nem todas as moléculas que se ligam às enzimas são inibidores; os ativadores de enzimas ligam-se a enzimas e aumentar a sua atividade.

A ligação de um inibidor pode impedir a entrada do substrato para o local ativo da enzima e / ou dificultar a enzima catalisa a reação correspondente. A ligação do inibidor pode ser reversível ou irreversível. Normalmente, inibidores irreversíveis reagem com a enzima covalentemente e modificam sua estrutura química no nível de resíduos essenciais dos aminoácidos necessários para a atividade enzimática.

Em contraste, os inibidores reversíveis se ligam à enzima de maneira não covalente, resultando em diferentes tipos de inibições, dependendo se o inibidor se liga à enzima, ao complexo enzima-substrato ou a ambos.

Os inibidores de enzimas são moléculas que se ligam a enzimas e diminuir a sua atividade . Como o bloqueio de uma enzima pode matar um patógeno ou corrigir um desequilíbrio metabólico , muitos medicamentos agem como inibidores da enzima. Eles também são usados como herbicidas e pesticidas . No entanto, nem todas as moléculas que se ligam às enzimas são inibidores; os ativadores de enzimas ligam-se a enzimas e aumentar a sua atividade.

A ligação de um inibidor pode impedir a entrada do substrato para o local ativo da enzima e / ou dificultar a enzima catalisa a reação correspondente. A ligação do inibidor pode ser reversível ou irreversível. Normalmente, inibidores irreversíveis reagem com a enzima covalentemente e modificam sua estrutura química no nível de resíduos essenciais dos aminoácidos necessários para a atividade enzimática.

Em contraste, os inibidores reversíveis se ligam à enzima de maneira não covalente, resultando em diferentes tipos de inibições, dependendo se o inibidor se liga à enzima, ao complexo enzima-substrato ou a ambos.

User badge image

Pedro Henrique Mól Baião

Há mais de um mês

As enzimas são moléculas polipeptídicas responsáveis pela catálise de reações do metabolismo de seres vivos. Elas atuam sobre moléculas específicas denominadas substratos enzimáticos, que são modificadas para dar origem aos produtos da reação. Porém, essa atividade das enzimas pode ser reduzida por diversos tipos de substâncias químicas, num processo que recebe o nome de inibição enzimática.

Na inibição enzimática, a substância inibidora forma ligações químicas com as enzimas, de modo a interferir na sua atividade catalítica. De acordo coma estabilidade da ligação entre o inibidor e a enzima, a inibição enzimática pode ser de dois tipos: reversível e irreversível. Na inibição reversível, as moléculas do inibidor e as moléculas da enzima se unem por ligações não covalentes, que, por serem mais instáveis, podem ser rompidas, fazendo com que a enzima retome a sua atividade posteriormente. A inibição reversível é subdividida em 2 classes:

  • Inibição competitiva – os inibidores competitivos são substâncias que concorrem diretamente com o substrato específico da enzima. As moléculas desses inibidores têm uma estrutura muito parecida com a do substrato da enzima e, por isso, se unem reversivelmente às enzimas, formando um complexo enzima-inibidor muito semelhante ao complexo enzima-substrato, que inativa a catálise da enzima. Por não haver a formação do complexo-substrato, a atividade catalítica da enzima é inibida enquanto existir o complexo enzima-inibidor.
  • Inibição não competitiva – a substância inibidora pode ligar-se tanto à enzima quanto ao complexo enzima-substrato, mas num sítio de ligação diferente. Nesse caso, a ligação do inibidor com a enzima não atrapalha a ligação do substrato, mas gera uma alteração que impede a formação do produto da reação.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas