A maior rede de estudos do Brasil

Faça um breve resumo dos principais eventos do período fetal da 9º semana até o nascimento?


5 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

RD Resoluções Verified user icon

Há mais de um mês

b>Ao desenvolver o feto com 9 semanas de gestação, a cabeça tem metade do seu tamanho. O rosto é largo, os olhos estão bem separados, as orelhas têm um implante inferior e as pálpebras se fundem e, então, ainda não consegue abrir os olhos pequenos. No início das 9 semanas, as pernas são pequenas, as coxas ainda são muito curtas e o intestino está dentro do cordão umbilical.Em relação às mudanças na mulher de 9 semanas, ela provavelmente se sentirá cansada e enjoada, principalmente pela manhã, devido aos hormônios da gravidez. É possível que haja dor de cabeça e coceira na vagina devido à candidíase vaginal, porque o sistema imunológico está comprometido. Nesta fase, é importante comer pequenas porções, mas muitas vezes manter o açúcar no sangue em equilíbrio e garantir que os nutrientes cheguem ao bebê.
b>Ao desenvolver o feto com 9 semanas de gestação, a cabeça tem metade do seu tamanho. O rosto é largo, os olhos estão bem separados, as orelhas têm um implante inferior e as pálpebras se fundem e, então, ainda não consegue abrir os olhos pequenos. No início das 9 semanas, as pernas são pequenas, as coxas ainda são muito curtas e o intestino está dentro do cordão umbilical.Em relação às mudanças na mulher de 9 semanas, ela provavelmente se sentirá cansada e enjoada, principalmente pela manhã, devido aos hormônios da gravidez. É possível que haja dor de cabeça e coceira na vagina devido à candidíase vaginal, porque o sistema imunológico está comprometido. Nesta fase, é importante comer pequenas porções, mas muitas vezes manter o açúcar no sangue em equilíbrio e garantir que os nutrientes cheguem ao bebê.
User badge image

juliana souza

Há mais de um mês

  1. 9. Da fertilização à 9 semanas
  2. 10. 9 à 12 semanas • Cabeça: • No início da 9º semana, a cabeça corresponde à metade do CRL; • Aceleração do crescimento do corpo. Ao final da 12º semana, o CRL excede o seu dobro. Ainda assim a cabeça é desproporcional ao corpo; • Com 9 semanas: • Pernas e coxas são pequenas; • Orgãos genitais pouco diferenciados; • A face é larga; • Os olhos separados; • Orelhas com implantação baixa; • As pálpebras estão fundidas;
  3. 11. 9 à 12 semanas • Ao final da 12º semana: • Centros primários de ossificação no esqueleto; • Os membros superiores quase alcançam seu comprimento relativo final; • Os membros inferiores continuam mais curtos; • Genitália externa de meninas e meninas maduras; • Eritropoese no baço, diminuindo a atividade do fígado; • O feto já produz urina;
  4. 12. Variação das Proporções
  5. 13. 13 à 16 semanas • Crescimento muito rápido nesse período; • Cabeça relativamente pequena em relação ao corpo se comparada a 12ª semana; • Membros inferiores se alongam; • Movimentos mais coordenados, mas ainda imperceptíveis à mãe; • A ossificação do esqueleto se inicia nesse período; • Movimentos lentos dos olhos; • Determinação do tipo do cabelo; • Nas meninas, ovários já diferenciados. Folículos primordiais com ovogônias; • Feto aparência quase humana;
  6. 14. 13 semanas
  7. 15. 10 à 14 semanas
  8. 16. 17 à 20 semanas • Velocidade do crescimento diminui; • O feto aumenta 50 mm no sentido CR; • Os membros inferiores atigem suas proporções relativas finais; • A mãe pode sentir pontapés; o tempo médio entre a 1ª vez que a mãe sente os movimentos fetais e o parto é de 147 dias ( DP: ±15 dias); • Presença de vernix caseosa e lanugo; • São visíveis as sombracelhas e o cabelo; • Formação da gordura parda; • Com 18 semanas, já houve a formação do útero e inicia-se a canalização da vagina; • Com 20 semanas, os testículos começam a descer, mas ainda estão na parede abdominal posterior, assim como os ovários nos fetos femininos;
  9. 17. 17 semanas
  10. 18. 21 à 25 semanas • Ganho de peso substâncial. Embora ainda magro, já está bem mais proporcional; • A pele é enrugada, varia do rosa ao vermelho, porque o sangue nos capilares é visível; • Com 21 semanas, os olhos movem-se rapidamente ( REMs – Rapid Eyes Moviments); • Pestanejos por eventuais sustos; • Com 24 semanas, os pneumócitos tipo II, das paredes interalveolares do pulmão, secretam surfactante; • As unhas já estão presente no final desse período; • Com poucas chances, o feto prematuro desse período pode sobreviver mediante a um tratamento intensivo.
  11. 19. 25 semanas
  12. 20. 26 à 29 semanas • Pulmões são capazes de respirar ar; portanto, pode sobreviver se nascer prematuramente, recebendo tratamentos intensivos; • Sistema nervoso amadurecido, capaz de controlar a temperatura corporal e os movimentos respiratórios; • Os olhos reabrem com às 26 semanas. Cabelo e lanugo bem desenvolvidos; • Unhas bem visíveis; • Rugas desaparecem devido a formação do tecido subcutâneo; • A gordura branca chega a 3,5% do peso do feto; • Baço fetal, importante centro de hematopoese; • Com 28 semanas, a eritropoese passa do baço para a medula óssea.
  13. 21. 29 semanas
  14. 22. 30 à 34 semanas • Reflexo pupilar à luz; • Pele é rosada e lisa; • Os membros superiores e inferiores exibem aspecto rechonchudo; • Gordura branca cerca de 8%; • Se houver nascimento, “Prematuro na data” em oposição a “Prematuro em peso”.
  15. 23. 35 à 38 semana • 35 semanas, os fetos seguram com firmeza e demonstram orientação espontânea a luz; • Sistema nervoso suficiente maduro para funções integrativas; • Fetos rechonchudos; • 36 semanas, circunferência da cabeça e abdome são aproximadamente iguais; • Depois, a circunferência do abdome pode ser maior do que a da cabeça; • Costumam atingir um comprimento de 360 mm CRL e pesam, em média, 3.400g, chegando a 16% de gordura branca; • Meninos, em geral, tendem a pesar mais que meninas e a crescerem mais depressa; • No final da gestação, a pele é geralmente branca ou rosa-azulada. O peito é proeminente e as mamas salientes, em ambos os sexos.
  16. 24. 35 à 38 semana • Os testículos normalmente estão no escroto em bebês a termo, eles costumam descer entre 28 a 32 semanas; • Cabeça constitui a maior parte do corpo, consideração importante com relação a sua passagem pelo cérvix e pela vagina – canal do parto.
  17. 25. 36 Semanas
  18. 26. Época do Nascimento •Compreende a 266 dias ou 38 semanas após a fertilização, ou 280 dias ou 40 semanas após a UMN. Contudo, cerca de 12% nasce após 1 – 2 semanas.
  19. 27. Fatores • Desnutrição Materna; • Fumo; • Gravidez múltipla; • Drogas de uso social; • Fluxo sanguíneo uteroplacentário reduzido; • Insuficiência placentária; • Fatores genéticos.
  20. 28. Observações • Glicose e aminoácidos chegam ao feto via placentária; • A insulina é produzida pelo feto, a membrana placentária é impermeável a esse hormônio;
  21. 29. O que é? • Ramo da medicina que se ocupa primariamente com o feto e o recém-nascido, cobrindo geralmente o período que vai da 26ª semana após a fertilização até mais ou menos a 4ª semana após o nascimento. • A subespecialidade conhecida como medicina perinatal combina certos aspectos de obstetrícia e pediatria. • Um feto mais velho é considerado um paciente que ainda não nasceu, sobre o qual podem aplicar procedimentos diagnósticos e terapêuticos; • Várias técnicas são disponíveis para se avaliar a condição do feto humano e fornecer-lhe o tratamento pré-natal.
  22. 30. Procedimentos para avaliar o Estado do Feto • Auscultação : forma antiga de detectação do batimento cardíaco, substituido pelos monitores eletrônicos; • Depois, começou-se a identificar os hormônios gonadotróficos no sangue materno. Muitos são os procedimentos de avaliação da condição fetal desenvolvidas nas últimas décadas; • Hoje é possível tratar fetos cujas vidas estejam em risco.
  23. 31. Ultra-sonografia • Pode-se identificar a gravidez múltipla, o tamanho do feto, o tamanho da placenta e aprensentação anormal; • Pode-se obter o tamanho do crânio biparietal e estimar a idade do feto.
  24. 32. Amniocentese de Diagnóstico • Sucção do líquido amniótico por meio de uma agulha oca através da parede abdominal anterior da mãe e da parede uterina até a cavidade amniótica, furando o córion e o âmnio. • Foi feito primordialmente para a detectar a doença hemolítica em recém nascidos (DHRN); • Realizada após a 12ª semana; • Utilizado atualmente para detectar distúrbios genéticos.
  25. 33. Amniocentese de Diagnóstico
  26. 34. Dosagem de Alfafetoproteínas (AFP) • Diagnóstico de defeitos abertos do tubo neural, como espinha bífida com mielosquise; • O termo aberto refere-se a lesões que não são cobertas de pele.
  27. 35. Estudos Espectrofotométricos • Exame do líquido amniótico para avaliar o grau de eritroblastose fetal;
  28. 36. Amostragem de Vilosidades Coriônicas • Usado para a detecção de anormalidades cromossômicas, erros inatos do metabolismo e distúrbios ligados ao X. • Efetuado a partir da 9ª semana;
  29. 37. Transfusão fetal Intra-uterina • Alguns fetos com eritroblastose fetal podem ser salvos por meio de transfusões de sangue intra-uterinas; • O sangue é injetado na cavidade peritoneal fetal através de uma agulha; • Num período de 5 – 6 dias, a maioria das células injetadas passa para a circulação fetal, via vasos linfáticos diafragmáticos; • Com novas tecnologias, o sangue pode ser transfundidos diretamente para o sistema vascular pelas punções percutâneas do cordão umbilical; • Atualmente, essa técnica é bem rara, devido à outras formas de prevenir a eritroblastose.
  30. 38. Fetoscopia • Usando instrumentos de iluminação com fibra óptica, visualizaram-se diretamente partes do corpo fetal; • O fetoscópio é usualmente introduzido através das paredes abdominal e uterina até a cavidade amniótica, de modo muito semelhante à inserção de agulha durante a amniocentese; • Hoje em dia, pouco realizado devido ao elevado risco para o feto;
  31. 39. Cordocenteseouamostragemdesangueporpunção percutâneadocordãoumbilical(PPCU) • Usado quando por outros métodos foi detectada alguma anomalia fetal
  32. 40. Tomografia computadorizada (TC) e imagem por ressonância magnética (IRM) • Melhor resolução da imagem, usado para confirmação de diagnósticos localizados pela ultra-sonografia;
  33. 41. Monitoramento Fetal • Monitoramento contínuo da frequência cardíaca fetal na gravidez de alto risco constitui rotina e fornece dados sobre a oxigenação; • Sofrimento fetal sugere que o feto está em perigo – oxigenação anormal

Fonte: https://pt.slideshare.net/joaoatno/nona-semana-ao-nascimento

Recomendadas

User badge image

nutriunama202 d

Há mais de um mês

Adeus ao rabinho Seu bebê, agora conhecido como feto, está parecendo cada vez menos uma bolha rosa agora que a cauda desapareceu. Com o tronco esticado e alongado, seu pequeno tem aproximadamente 2,5 cm de tamanho nesta semana.

Pico de crescimento. Esta etapa é um período crítico para o desenvolvimento dos braços e das pernas. As pernas aumentam e os botões que acabarão por se tornar os dedos começam asurgir. Enquanto isso, os braços ficam mais longos e começam a dobrar no cotovelo. A estrutura básica das mãos está se formando também, com os dedos e um polegar. O fígado, a vesícula biliar, o baço e a glândula adrenal do seu bebê estão trabalhando duro para se desenvolverem.

Em movimento. As nove semanas marcam o início do período da dança! Seu pequeno começa a se mover vigorosamente, mesmo em resposta a estímulos de fora do corpo da mamãe. Tente ser paciente: Você terá de esperar até o segundo trimestre para realmente sentir esses movimentos.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas