A maior rede de estudos do Brasil

Petição inicial

(ENADE) Uma das obrigações implícitas de quem exerce o direito de ação é a de apresentar com clareza o que se postula, porque a exata compreensão do postulado irá influir decididamente na possibilidade de defesa, dificultando o contraditório, e a ausência de clareza importa em retardamento da prestação jurisdicional, maculando o princípio da duração razoável do processo. BRASIL, Tribunal Regional do Trabalho da 3.ª Região, processo n.º 00634-2011-015-03-00-6 RO, DEJT de 25/06/2012. Considerando a necessidade de clareza da postulação, conforme alude o texto acima, suponha que, em uma ação tenha sido impossível ao juiz determinar exatamente a pretensão do autor. Nessa situação, infere-se que
  C) o juízo acionado deve declarar inépcia da petição inicial ou do pedido.
    B) o juízo acionado deve declarar abuso do direito de ação pelo autor.
    D) o juízo de verá julgar improcedente o pedido da parte.
    A) o autor incorreu em ofensa ao princípio da lealdade processual.
 


2 resposta(s) - Contém resposta de Especialista

User badge image

Carlos Eduardo Ferreira de Souza Verified user icon

Há mais de um mês

GABARITO: LETRA C - "o juízo acionado deve declarar inépcia da petição inicial ou do pedido." (ART. 330, §1º, I e III do CPC):

"Art. 330. A petição inicial será indeferida quando:

[...]

§ 1º Considera-se inepta a petição inicial quando:

I - lhe faltar pedido ou causa de pedir;

[...]

III - da narração dos fatos não decorrer logicamente a conclusão;"

Destacamos, contudo, que o autor deve ser previamente intimado para corrigir o vício que macula a inicial.

"Art. 10, do CPC. O juiz não pode decidir, em grau algum de jurisdição, com base em fundamento a respeito do qual não se tenha dado às partes oportunidade de se manifestar, ainda que se trate de matéria sobre a qual deva decidir de ofício."

GABARITO: LETRA C - "o juízo acionado deve declarar inépcia da petição inicial ou do pedido." (ART. 330, §1º, I e III do CPC):

"Art. 330. A petição inicial será indeferida quando:

[...]

§ 1º Considera-se inepta a petição inicial quando:

I - lhe faltar pedido ou causa de pedir;

[...]

III - da narração dos fatos não decorrer logicamente a conclusão;"

Destacamos, contudo, que o autor deve ser previamente intimado para corrigir o vício que macula a inicial.

"Art. 10, do CPC. O juiz não pode decidir, em grau algum de jurisdição, com base em fundamento a respeito do qual não se tenha dado às partes oportunidade de se manifestar, ainda que se trate de matéria sobre a qual deva decidir de ofício."

User badge image

camila morais

Há mais de um mês

A petição inepta é aquela que, por si própria, não apresenta a possibilidade de alcance de qualquer resultado jurídico prático, uma vez que seus vícios a tornam confusa, contraditória, absurda ou incoerente.
Também é considerada inepta a petição que não estiver fundada em direito expresso, ou não se aplicar ao fundamento trazido. Pode ser conferido o art. 330 do Código de Processo Civil.

Essa pergunta já foi respondida por um dos nossos especialistas