A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Aventura Sociológica G1

Pré-visualização | Página 1 de 1

• BRESSIANI 
- Séc.XIX: 
 miséria como responsabilidade individual 
 superexploração, baixos salários e péssimas condições de 
higiene 
 oferta de trabalho maior que demanda 
 processo social: trabalho passa a ser associado à vida 
- Trabalho sustenta o pacto social: quem não trabalha rompe com o 
pacto 
- Modernidade: 
 início com a publicação de “O Príncipe”: afastou a tradição 
religiosa da política 
 surgimento da categoria “indivíduo” 
 formação do Estado-Nação 
 a cidade é o espaço físico onde ocorrem os fatos sociais do 
séc.XIX: local da sociabilidade 
- Nasce a sociologia: como ciência tentando explicar as questões 
sociais presentes na vida metropolitana do séc. XIX 
- A oderm dos direitos: 
 Civis (séc.XVIII): configuração da liberdade individual e do 
direito de ir e vir 
 Políticos (séc.XIX): sufrégio universal, liberdade pardidária 
etc. 
 Sociais (séc.XX): direitos trabalhistas 
- Inglaterra: contraste da opulência material em relação a 
degradação humana 
 preconceito contra o trabalhador gera a importação da mão 
de obra 
 resíduo social: homens “fora da sociedade”, que não pautam 
suas condutas sob os valores do trabalho e da propriedade 
 preocupação com o custo econômico da miséria 
- Surgimento da falsa premissa de que aquilo que gera criminalidade 
é a pobreza 
- França: preocupação com o custo social da miséria, a qual ameaça 
as instituições 
 socialismo 
 
• FOUCAULT 
- Séc.XIX: formação da sociedade disciplinar 
 controlar e vigiar 
 corrigir o indivíduo 
 definição de periculosidade 
- Mecanismos de controle: formas de vigilância e punição 
- Poder panoptico: potencializa o controle 
- Panoptismo: vigilância + controle + correção 
 objetivo: fixar o operário ao aparelho de produção 
- Formas de controle da sociedade disciplinar permitiu o poder 
polimorfo: 
 político 
 econômico 
 judiciário 
 epistemológico (saber técnico + saber cínico: permite o 
surgimento das ciências humanas) 
- Formação dos mecanismos de controle: 
 Inglaterra: criação de instituições de acordo com a 
necessidade do povo – iniciativa popular 
 França: elites políticas demandavam a correção de certo 
indivíduo 
- Instituições disciplinares fixam o indivíduo 
- Técnica de internamento mudou de reclusão por exclusão 
(séc.XVIII) para fixação por inclusão (séc.XIX) 
- Fábricas prisões: tudo existia dentro das fábricas (capela, 
enfermaria, etc.) 
 era uma instituição disciplinar característica da sociedade 
capitalista europeia 
- Prisão: única instituição em que o poder polimorfo se faz evidente 
 falta de subpoder (poder que existe mas não é claro) 
 
• MARX 
- Materialismo histórico dialético: conflito das condições materiais na 
sociedade moderna capitalista 
- A história da humanidade pode ser entendida a partir da história do 
trabalho e da luta de classes 
- Burguesia (tese) vs. Proletariado (antítese) -> luta de classes 
(síntese) 
- Direitos civis e sociais: criados em uma cultura burguesa 
- Crise do capitalismo (colapso das forças produtivas) geraria uma 
necessidade de renovação das relações de produção 
- Modo de produção (infraestrutura – BASE) caracteriza a sociedade 
(formas burguesas de consciência moral - SUPERESTRUTURA) 
- Para a destruição da superestrutura é necessário mudar a base 
- Religião como forma de alienação e dominação do povo 
- Mais valia: acúmulo de capital excedente nas mãos da alta 
burguesia 
- Revolução do proletariado deve ser feita de forma violenta 
 burguesia e proletariado são classes antagônicas; não 
possuem nenhum interesse em comum 
 proletariados devem se unir e se reconhecer como classe 
para que haja revolução 
- Socialismo: período de centralização política necessário para 
estabelecer o comunismo 
- Comunismo: fim da centralização e consolidação de uma única 
classe em uma sociedade igualitária 
- Interesses entre proletariados e comunistas: 
 fim da dominação burguesa 
 eliminação da propriedade privada 
 fim da família burguesa (herança) e da pátria (mecanismo 
de fragmentação da classe proletária) 
- Poder político: possuir o monopólio legitimo do uso da força 
(Weber) 
- Conceitos de trabalho: 
 marx: trabalho como um aspecto da relação social; não se 
resume ao trabalho individual 
 capitalismo: trabalho como mercadoria, com valor de troca e 
de uso 
- Fetichismo da mercadoria: a mercadoria (manufatura) quando 
finalizada, não mantém o seu valor real de venda, determinado pela 
quantidade de trabalho, mas adquiria uma valoração de venda irreal 
e infundada, como se não fosse fruto do trabalho humano. O que ele 
queria denunciar com isto é que a mercadoria parecia perder sua 
relação com o trabalho e ganhava vida própria, gerando alienação, 
onde o trabalhador não se reconhecia no produto do seu trabalho. 
 
• DURKHEIM 
- Fato social: forma de agir ou de ser; não é a ação em si 
 é exterior ao indivíduo 
 gera oportunidades de escolhas individuais 
- Moral como o conjunto de obrigações recíprocas 
- Sociedade predomina sobre o indivíduo: aspectos tidos como 
naturais são na verdade criados por uma forte pressão social 
- Suicídio como fenômeno individual com causas sociais: 
 suicídio altruísta: ocorre devido à alta vinculação com a 
sociedade; vida e morte como detalhes biológicos 
 suicídio egoísta: ocorre devido a ausência de vínculos 
sociais; indivíduos apáticos à sociedade 
 suicídio anômico: ocorre devido à ausência da regulação das 
ações individuais por normas coercitivas; acontece por 
influência da frustração do indivíduo devido ao fracasso 
pessoal 
- Divisão do trabalho relaciona-se com a ordem social: vai além da 
esfera econômica 
- Desordem como fruto da falta de integração da sociedade 
- Sociedade como um corpo autônomo e que portanto não pode ser 
descrita como uma soma de indivíduos 
- Solidariedade como integração entre os indivíduos 
- Solidariedade mecânica: típica do mundo medieval, onde as 
instituições estavam acima do indivíduo. Predominância dos 
imperativos e proibições sociais. Ocorre a partir de: 
 tradição 
 ausência da individualidade 
 criação de uma consciência coletiva coesa (crenças) 
 controle normativo através da religião 
- Solidariedade orgânica: típica do mundo moderno, no qual a 
sociedade é vista como um organismo. Ocorre a partir de: 
 diferenciação 
 culto ao indivíduo 
 consciência coletiva frouxa (sociedade se impõe sobre o 
indivíduo de maneira menos agressiva) 
 divisão de trabalho (sentimento de autonomia individual) 
- Classificação do individualismo: 
LIBERAL ÉTICO METODOLÓGICO MORAL 
Indivíduo é tido 
como unidade de 
referência para 
análises políticas 
Decisões 
individuais 
(embora 
relacionada com a 
coletividade moral) 
ignorando-se as 
consequências 
sociais 
Indivíduo é tido 
como ponto de 
partida para a 
análise sociológica 
(Weber) 
Regras são 
constituídas 
visando o 
benefício da 
sociedade 
 
 
Resumo feito por Paula Lydon 
IRiscool 2012.1

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.