A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Lesões ósseas pseudotumorais parte 2

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ossos Gnáticos são os mais afetados 
Crianças e adultos jovens 
Crescimento lento e progressivo 
Autolimitante (termina quando a maturação óssea 
está completa) 
Essa lesão seja uma anomalia displásica da formação 
óssea a pare.ir do tecido mesenquimal, ocorrendo 
inabilidade do tecido formador ósseo de produzir osso 
lamelar maduro, mesmo tendo presentes todos os 
componentes do osso normal. 
A displasia fibrosa pode ser dividida em monostótica, 
quando há envolvimento de um único osso (tipo I); 
poliostócica, quando é multifocal e diversos ossos do 
indivíduo são acometidos (tipo II); craniofacial, 
quando envolve mais de um osso do complexo 
maxilofacial (tipo V). 
CARACTERÍSTICAS CLÍNICAS: 
 Tumefação indolor, crescimento lento 
 Maxila (fossa canina/ Seios Maxilares) 
 Assimetria Facial 
 Deslocamento Dentário 
 Pode obliterar seio maxilar, fossa nasal e 
deslocamento globo ocular 
Características radiográficas: 
Expansão das corticais 
Falta de delimitação da lesão 
Margens se confundem com osso normal 
Estreitamento do ligamento periodontal 
Radiolucidez → Aspecto mosqueado → Área 
intensamente radiopaca 
Primeiramente, ocorre apagamento do trabeculado 
ósseo, mostrando área predominantemente 
radiolúcida que dificilmente é visualizada devido à 
precocidade de ocorrência e ausência de 
manifestações, ou é confundida com outras lesões, 
como o cisto ósseo traumático. Nessa fase, há 
predominância de tecido fibroso. A seguir, a lesão 
adquire um aspecto mosqueado, que é resultado do 
depósito constante de trabéculas ósseas imaturas 
tênues, conferindo o aspecto conhecido por "vidro 
despolido" ou "vidro fosco", melhor visualizado pela 
técnica radiográfica periapical. Finalmente, em 
estágios tardios, a maturação torna-se mais evidente, 
com o crescente depósito de tecido mineralizado visto 
como uma área intensamente radiopaca ainda com 
aspecto de vidro despolido ou fosco. 
O principal diagnóstico diferencial a ser estabelecido é 
com o fibroma ossificante. 
Displasia Óssea Periapical: 
Região do periápice dos incisivos inferiores 
Mais de um dente acometido 
Dentes Vitais 
Mulheres 
Adultos 
Assintomáticas 
Pequenas 
Descobertas ao acaso 
Lâmina dura integra 
Características radiográficas: 
 Inicialmente lesões radiolúcidas circunscritas 
envolvendo mais de um dente 
 Ligamento periodontal está intacto e não é 
vista fusão com o dente 
 Ausência de expansão cortical 
 Posteriormente lesões mistas com 
radiopacidades centrais 
 Lesões maduras: Lesões radiopacas 
circundadas por zona radiolúcida 
Na primeira fase, há maior quantidade de tecido 
conjuntivo e mineralização escassa ou inexistente. Na 
segunda fase, inicia-se o depósito de trabéculas 
delicadas de tecido mineralizado, que culmina na 
terceira fase com mineralização abundante. 
Displasia Óssea Focal: 
Único sítio de envolvimento 
90% mulheres, média de idade 
Posterior de mandíbula

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.