Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
REPOSIÇÃO VOLÊMICA

Pré-visualização | Página 1 de 1

REPOSIÇÃO VOLÊMICA 
As principais soluções de reposição volêmica e suas indicações. 
 
V I N I C I U S D A S I L V A S A N T O S - M E D I C I N A - U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E P E R N A M B U C O 
ÁGUA CORPORAL TOTAL E VOLUMES CORPORAIS 
• 60% do nosso peso é água: Essa quantidade varia 
entre mulheres, idosos e obesos, que possuem 
menos água corporal total. Dos 60%: 
o 2/3 está no líquido intracelular 
o 1/3 está no líquido intracelular: Destes: 
▪ ¾ está no interstício 
▪ ¼ está no intravascular 
 
REPOSIÇÃO VOLÊMICA 
INDICAÇÕES DE REPOSIÇÃO VOLÊMICA 
• Estabilização hemodinâmica: Hipotensão, desidra-
tação, situações de emergência. 
• Corrigir anormalidades eletrolíticas 
• Manutenção basal de fluidos e eletrólitos 
• Reposição de perdas de volume e eletrólitos 
• Fornecer nutrição 
• Fornecer uma fonte para administração de 
medicamentos EV 
SOLUÇÕES PARA REPOSIÇÃO VOLÊMICA 
• Solução Cristaloide: Água + eletrólitos. 
• Solução Coloide: Água + eletrólito + macromolé-
cula (albumina) 
SOLUÇÕES CRISTALOIDES 
• Solução glicosada (SG) 5%, 10% ou 50% 
• Cloreto de Sódio 0,45%, 0,9% (SF) ou 3% 
• Ringer Lactato: Cristaloide balanceado (sua 
composição é mais próxima do plasma que o SF). 
• Plasma Lyte: Cristaloide balanceado. 
SOLUÇÕES COLÓIDES 
• Albumina: Albumina é a macromolécula. 
• Dextran: Amido é a macromolécula. 
• Plasma 
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES 
 
• Solução Salina 0,9%: É uma solução um pouco 
hiperosmolar (285-295), é conhecida também 
como solução hiperclorêmica, tendo risco de 
causar acidose metabólica hiperclorêmica. 
• Soro glicosado 5%: Água + 50 g/L de glicose. Tem 
uma osmolaridade de 278 pois está em g/L, 
passando para mOsm, dá 277,7. 
• NaCl 0,45%: Osmolaridade de 156, solução 
hiposmolar. 
• NaCl 3%: Utilizado para tratar a hiponatremia, tem 
uma osmolaridade de 1026, com 513 de Na+. 
• Ringer Lactato: Osmolaridade menor que o SF e o 
plasma, tem menos sódio e cloro e um pouco de 
K+, cálcio e lactato. Tomar cuidado com o K+ em 
quem tem insuficiência renal e o lactato em 
hepatopata. 
SOLUÇÃO GLICOSADA 5% 
INDICAÇÕES/APLICAÇÕES 
1. Reposição volêmica em casos de hipernatremia 
sem hipovolemia: Precisa receber uma solução 
com baixo sódio para diminuir esse sódio. 
2. Reposição energética devido ao aporte calórico 
fornecido pela glicose: Dieta zero. 
3. Tratamento da hipoglicemia 
4. Associada a aminoácidos na NPT 
CONTRAINDICAÇÕES 
• SIADH: É a principal causa de hiponatremia, se eu 
dou água e glicose eu diluo ainda mais o sódio e 
pioro a hiponatremia. 
• Expansão volêmica em hipovolêmicos: A cada 
1000mL de SG, 333mL vai ficar no LEC, destes, só 
83mL fica no fluido intravascular (1/4 da água do 
LEC), por isso não podemos fazer SG! 
• Hipocalemia: O aumento da glicose estimula a 
insulina, o que vai jogar o K+ pra dentro da célula, 
piorando ainda mais a hipocalemia. 
SORO FISIOLÓGICO 0,9% 
 
V I N I C I U S D A S I L V A S A N T O S - M E D I C I N A - U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D E P E R N A M B U C O 
INDICAÇÕES/APLICAÇÕES 
1. Reposição volêmica em hipovolêmicos 
2. Tratamento da hiponatremia em hipovolêmicos 
3. Reposição de cloreto em alcaloses metabólicas 
responsivas à cloreto 
4. Tratamento da hipernatremia em paciente hipo-
volêmico ou hipotenso 
5. Prevenção da IRA induzida por contraste iodado 
6. Reposição volêmica para pacientes em choque 
*Quando eu faço 1000mL de SF, 0% vai pra dentro da 
célula e 250 mL vai para o intravascular: Por isso que 
costumamos fazer SF para paciente hipovolêmico. 
*Cuidado com as acidoses metabólicas hiperclorêmi-
cas: A administração de SF pode levar à acidose 
metabólica hiperclorêmica, pelo princípio do ânion-
gap: se tem muito cloro, tenho que diminuir 
bicarbonato para equalizar. 
RINGER LACTATO (RL) 
 
• Solução balanceada: Apresenta concentrações de 
sódio e cloro mais próxima das do plasma. 
• Tomar cuidado com o potássio em pacientes com 
insuficiência renal 
• Cloreto mais próximo do plasma intravascular: 
Que varia de 97-107 
• Tem lactato: Cuidado em paciente com 
insuficiência hepática. 
• O ânion do RL é o cloreto: Cloreto de sódio, cloreto 
de potássio, cloreto de cálcio. 
 ALBUMINA 
INDICAÇÕES 
• Expandir o volume plasmático quando os 
cristaloides falharem 
• Tratar pacientes edematosos graves com síndro-
me nefrótica resistente a diuréticos 
• Prevenir instabilidade hemodinâmica e lesão 
renal após grande volume de ascite na 
paracentese (> 5L) 
• Prevenir insuficiência renal e mortalidade em 
pacientes com PBE 
• Tratar pacientes cirróticos com hipoalbuminemia 
e hipovolemia 
• Para diagnóstico de síndrome hepatorrenal: Fazer 
albumina 1g/kg por dois dias para afastar IRA pré- 
renal nos hepatopatas. 
• Substituir o volume plasmático durante a 
plasmaférese 
CONTRAINDICAÇÕES 
• Tratamento de hipoalbuminemia devido à nutri-
ção: A menos que o paciente tenha perda de 
proteína enteropática. 
• Não usar rotineiramente em pacientes críticos 
com hipovolemia, queimaduras ou hipoalbumi-
nemia 
RESUMO DA REPOSIÇÃO VOLÊMICA – QUANTO FICA 
NO INTRAVASCULAR E QUANTO NO INTRACELULAR 
 
NECESSIDADE VOLÊMICA E ELETROLÍTICA BASAL 
NO PACIENTE EM DIETA ZERO, TEMOS QUE REPOR 
UMA QUANTIDADE DE VOLUME E ELETRÓLITOS 
MÍNIMA PARA MANTER O METABOLISMO BASAL: 
• Volume: 30 mL/kg/d. 
• Sódio: 1-2 mEq/kg. 
• Potássio: 0,5-1 mEq/kg. 
• Energia: MÍNIMA de 400kcal. Lembre que 1g de 
glicose = 4kcal.