A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Atiividade complementar

Pré-visualização | Página 1 de 1

ATIVIDADE COMPLEMENTAR
(CULTURAL)
Aluno: MÔNICA RODRIGUES CAVALCANTI 
 RA: 2197946
Curso: NUTRIÇÃO
Polo: Planaltina-GO
Gênero: Literatura Brasileira 
Obra: VIDAS SECAS
Autor: Graciliano Ramos
 
 VIDAS SECAS
Graciliano Ramos
 Sinopse:
 Vidas secas é um romance comovente ambientando no sertão nordestino, retrata a vida difícil de uma família castigada pela aridez da região em meio a uma estação climática muito conhecida por moradores desta região como período de seca. A obra é um dos mais famosos do autor e ano passado completou 80 anos da sua primeira publicação.
 A história começa contando a trajetória de uma família de retirantes fugindo da fome trazida pela seca, sem terem condições de sobreviver onde estavam a família parte sem destino a procura de um lugar que ofereça condições para o plantio. Um lugar onde não houvesse tanta fome e sede. A família era composta pelo pai o vaqueiro Fabiano, sua esposa Vitória, dois filhos que não têm os nomes citados na obra e cadela que atende pelo nome de baleia. 
Diante da situação desesperadora sem ter como alimentar sua família Fabiano pega alguns pertences a esposa, seus filhos e a cadelinha e parte sem rumo na expectativa de encontrar um lugar melhor para suprir suas necessidades.
 Em um certo momento quando já estavam exaustos de tanto caminhar debaixo de um sol castigador eles encontram uma fazenda abandona, provavelmente também abandona por seu dono por conta da seca. O problema é que ali também não havia comida ou água que pudesse aliviar o sofrimento da família, mas em meio ao desespero quando a família já havia perdido a fé, a cadelinha baleira sente alguma coisa e sai em disparada voltando em seguida com um preá na boca, o que foi uma grande alegria e também fundamental para a sobrevivência da família que naquele desespero todo se deliciaram da caça.
 E as coisas pareciam mesmo estar a favor da família surgiu uma nuvem no céu que dava fortes indícios de choveria logo, e isso encheu Fabiano de esperança e ele decidiu ficar por ali mesmo planejando trabalhar naquelas terras futuramente. Passou se algum tempo e a seca já não castigava mais a região como antes, o dono da fazenda havia retornado e agora Fabiano trabalhava para ele e pode morar com sua família nessa fazenda.
 CRÍTICA REFLEXIVA
 Nos capítulos que se seguem o autor vai descrevendo melhor cada personagem relatando suas particularidades e vamos conhecendo mais a fundo cada um deles. Fabiano vemos que é um homem bruto, de poucas palavras quase não fala nem mesmo com sua família está sempre de semblante fechado e nunca sorri, mas que mesmo assim era um homem que tinha sonhos e valorizava muto sua família. Vitória é retratada como uma mulher muito trabalhadora que sonha com uma vida melhor para seus filhos e se mostra muito grata pela atual situação de sua família nunca se esquecendo dos dias difíceis que viveram em retirada sem rumo e sem esperança que quase ceifaram a vida de seus entes queridos.
 Os filhos um é totalmente apegado a cadelinha e está sempre muito próximo da mãe o outro está sempre tentado ganhar um pouco de atenção do pai mesmo quase nunca conseguindo algum tipo de comunicação com ele. Baleia também tem grande destaque na narrativa e tida como uma guardiã dessa família sempre disposta a fazer tudo por seus donos, e ela tem uma personalidade quase que humana ela sonha, desaprova ou aprova algumas atitudes de seus donos é uma cadelinha dotada de senso crítico por assim dizer.
 A obra VIDAS SECAS é um livro muito rico apesar se ser um livro com poucas páginas a história é emocionante e envolvente, trata de assuntos muito pertinentes, como a desigualdade social, a fome que ainda assola algumas regiões desse país, a exploração dos mais ricos em detrimento dos mais pobres, o sofrimento do sertanejo diante de um clima que oferece pouca ou nenhuma condição de sobrevivência.
 E mesmo diante de tanto problema relatos na obra que acometem a família de Fabiano não deixamos de notar que há muito amor e união entre eles. O respeito e os valores familiares estão presentes em cada atitude dos personagens e a obra emociona e traz o leitor a reflexão quando mostra que é possível existir um sentimento de felicidade em meio a todo caos, com tanta fome, injustiça, pobreza e exploração a família é muito rica de amor e de valores, são gratos pelo pouco que tem e não reclamam da vida difícil que levam.
 O titulo da obra é muito pertinente pois é um retrato da vida dura do homem do campo e do retirante que luta por sua sobrevivência em lugares que não oferecem a menor condição e ainda relata a exploração dos mais abastados sempre oprimindo e se aproveitando da fragilidade desses trabalhadores que as vezes trabalham de uma maneira escrava por um simples prato de comida.
 Escrito na década de trinta o romance traz um tema que infelizmente se mostra ainda muito atual, o que para muitos parece uma situação a quem da realidade para outros é um problema real e não é apenas um problema do retirante nordestino é um problema que está presente em todas as regiões do país. 
 Os personagens são dotados de pensamentos contraditórios um misto de esperança e desespero, fé e descrença, gratidão e revolta, conformismo e vontade de mudança. O autor deixa claro esses sentimentos em algumas passagens da história o que nos deixa ainda mais intrigados com o fato de como o tempo passa, mas os problemas sociais permanecem os mesmos. 
 Diferentes épocas problemas distintos: exploração, desigualdade, fome, injustiça, pouca coisa mudou de lá pra cá, criaram-se leis, alguns programas sociais na tentativa de diminuir esta realidade, tivemos sim alguns avanços mas ainda há muito o que se fazer, muito o que avançar na conquista de um país mais justo e igualitário para que “vidas secas” não seja mais uma realidade para nordeste, sudeste, centro-oeste, norte... Brasil e fique presente apenas no romance de Graciliano Ramos pois o romance sim é riquíssimo.
 CONCLUSÃO
 É impossível ler a essa obra e não associar a nutrição, a escassez de nutrientes a que essa família é submetida nos causa certa angústia, imaginar uma luta tão intensa pela sobrevivência, enfrentando um sol castigador e com seus corpos enfraquecidos por falta de nutrientes básicos. Além do lado emocional que a história carrega é possível vislumbrar possíveis casos que posso me deparar em algum momento na minha trajetória como nutricionista.
 A nutrição tem ganhado amplo apoio ao passar dos anos e cada vez mais as pessoas entendem 
 Mônica Rodrigues Cavalcanti

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.