A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Sistema ósseo - Documentos Google

Pré-visualização | Página 6 de 6

carbono ocasiona, além da nicotina, que 
ocasiona uma vasoconstrição dos pequenos vasos periféricos, diminui a angiogênese e 
inibe a síntese dos osteoclastos, interferindo assim a remodelagem óssea. 
 
Ossos com uma cicatrização mais lenta: 
- Clavícula, diante da dificuldade de manter a estabilidade da união das extremidades. 
- Escafóide, diante da baixa vascularização da região. 
  
 
�p� d� fratur�   
Tipo Definição 
Fratura interna ou fechada São fraturas onde os ossos quebrados permanecem no 
interior do membro sem perfurar a pele, podendo romper 
nervos e vasos sanguíneos. 
Fratura aberta ou exposta Fraturas em que os ossos saem do lugar, rompendo a pele 
e deixando exposta uma de suas partes, podem ser 
produzidos pelos próprios fragmentos ósseos ou por 
objetos penetrantes. 
Fratura em Galho Verde Fratura incompleta que atravessa apenas uma parte do 
osso. Geralmente são fraturas com um pequeno desvio e 
que não exigem redução e quando exigem é feita com 
alinhamento do eixo dos ossos. Sua ocorrência mais 
comum é em crianças e nos antebraços. 
Fratura Comunitiva É a fratura que ocorre com a quebra de ossos em três ou 
mais fragmentos. 
Fratura Impactada É quando as partes quebradas dos ossos permanecem 
comprimidas entre si, se interpenetrando. 
Fratura Espiral É quando o traço de fratura se encontra ao redor e através 
dos ossos. São decorrentes de lesões que ocorrem com 
uma torção. 
Fratura Oblíqua É quando o traço de fratura lesão osso diagonalmente. 
Fratura Transversa É quando o traço de fratura atravessa o osso numa linha 
mais ou menos reta. 
Fratura segmentar Fratura dupla com duas linhas de fratura, que isola um 
 
 
 
  
Forças externas, quando agem nos tecidos biológicos, bem como noutras estruturas, 
podem ser definidas em termos mecânicos. Essas forças, que causam deformações 
segmento distinto do osso. 
Fratura em avulsão São aquelas em que um tendão ou músculo, ao invés de se 
romper, arranca um fragmento do osso no ponto onde ele 
está preso. 
Fratura com deformidade É a manifestação clínica do desvio dos fragmentos e não 
ocorre em fraturas ósseas sem desvios. 
Explicando a fisiologia para o paciente 
Eu como estudante de medicina explicaria para o/a (nome do paciente) da seguinte 
forma: Para que seu osso “cole”, é só imaginarmos um palito de picolé, que foi partido ao 
meio, para que esse palito tenha o mesmo comprimento de antes, precisamos unir os 
dois pedaços. E assim funciona com a cicatrização da sua fratura, colocamos o gesso 
para que fique estabilizado favorecendo a união do seu osso. Acontecem basicamente 4 
fases para que tudo volte ao normal, primeiramente logo após ter se machucado, ocorre o 
estancamento do sangue (se necessário), e seu corpo percebe que tem algo errado, e 
manda várias células de defesa para proteger de qualquer agente que possa ter entrado, 
e destruindo pedacinhos de ossos que foram prejudicados e que não tem a mais 
funcionalidade ali no local. Resumindo a segunda e terceira fase, se baseia em unir 
nossos ossos, células produzem tecido cartilaginoso, e depois de um tempo que vai 
sendo calcificado, e por fim como última fase, uma célula específica do sistema ósseo vai 
lá para fazer com que o osso fique com o formato mais parecido possível como antes da 
fratura. 
Biomecânic� d� �s�  
 
internas entre as estruturas, podem ser expressas como: carga, deformação, estresse ou a 
percentagem de deformação que ocorre dentro da estrutura. Ademais, a força máxima é a 
maior carga que o tecido pode sustentar. Quando a carga máxima é alcançada, ocorre 
aumento na distensão (deformação) sem aumento na sobrecarga. A carga exercida na hora 
em que ocorre a falha do tecido é chamada de força de rompimento. 
A tensão pode ser definida como uma sobrecarga causada por pesos externos de 
extensões equivalentes e opostas, que tracionam a estrutura. Uma força de tensão que é 
aplicada perpendicularmente à área de secção transversa de um tecido em direção 
contrária ao tecido alonga a estrutura tendo como resultante o estresse e estiramento.Em 
suma, no esqueleto humano, o papel principal dos ossos é sustentar as cargas aplicadas 
pelo deslocamento fisiológico. Os ossos são aperfeiçoados para essa função, 
relacionando-se tanto com suas propriedades materiais como com sua geometria estrutural 
e transversal. 
 
Compressão: Forças compressivas são aquelas com cargas iguais e opostas. O osso tem 
maior resistência a esse tipo de força que atua sobre ele 
Tensão: Forças tensivas são aquelas com cargas iguais e opostas sendo aplicadas na 
direção externa a superfície 
Cisalhamento: Força aplicada em sentidos opostos, porém em direções semelhantes e em 
paralelo à superfície. O osso tem menor resistência a esse tipo de força 
Torção: Forças de torção são aplicadas de modo que causam um giro em torno do eixo. 
Quanto maior for a distância do eixo maior é a magnitude da força. 
Flexão: Força aplicada á uma extremidade do segmento, tornando-o curvo e provocando 
um estresse compressivo de um lado e um stress de tensão do outro 
Forças combinadas: combinação de mais de uma força

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.