Aula_13_Moeda_new

Aula_13_Moeda_new


DisciplinaContabilidade Social e Balanço de Pagamentos146 materiais1.375 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
MOEDA 
Bibliografia
Manual de Macro (Manual), cap. 2
Simonsen & Cysne (S&C), cap. 1
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Agenda
História da Moeda
Funções da Moeda
Oferta de Moeda
Processo de criação de moeda pelos bancos comerciais
Demanda de Moeda
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Moeda
A moeda é o ativo mais líquido da economia utilizado para liquidar transações.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
História da Moeda
Ao longo do tempo várias mercadorias foram utilizadas como moeda:
Animais
Alimentos (sal)
Pedras
As mercadorias utilizadas por mais tempo foram os metais
Ouro e prata
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Atributos desejados na moeda
São atributos desejados na moeda
Durabilidade
Aceitabilidade
Disponibilidade
Os metais preciosos atenderam, durante muito tempo, a esses atributos
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Funções da Moeda
Uma moeda deve atender às seguintes funções:
Meio de troca
Unidade de conta
Reserva de valor
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Meio de troca
Intermediário nas trocas
Evita a troca direta e a dupla coincidência de desejos (escambo)
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Unidade de conta
Com a ampla aceitação da moeda todos passam a referenciar o valor relativo apenas em relação à moeda
Reduz custos de transação
Em uma economia de escambo, se existem n bens, existem n(n-1) preços relativos \u2013 cada bem em relação a todos os demais
Com a moeda existem apenas n-1 preços, sendo que o preço da moeda é sempre 1.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Reserva de valor
Característica das trocas indiretas, com a moeda não se obriga a adquirir imediatamente outros produtos
O valor pode ficar \u201cdepositado\u201d na forma de moeda para troca futura
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Oferta de Moeda
Banco Central
Papel moeda emitido
Bancos Comerciais
Criam moeda a partir de empréstimos bancários
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
História da Moeda
A complexidade das transações motivou, ao longo do tempo, o surgimento de bancas de depósitos
Locais em que os recursos eram depositados para se evitar perda, roubo e para facilitar o comércio.
Em troca eram emitidos certificados de depósitos.
Esses certificados eram lastreados nos recursos depositados nessas bancas (moeda-papel)
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
História da Moeda
Com o passar do tempo, os donos das bancas perceberam que parte dos recursos não eram sacados e que os certificados de depósitos eram amplamente utilizados no lugar desses metais.
Passaram então a emitir mais certificados do que tinham de lastro efetivamente depositados
Moeda fiduciária (papel-moeda)
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Moeda na Ilha de Yap
Yap é uma pequena ilha no Pacífico que durante algum tempo teve um tipo de moeda bastante curiosa. Para realizar suas trocas eles utilizavam o rahi (ou fei), pedras cujo tamanho podia chegar a 3 metros de diâmetro ou mais. Quanto maior a pedra, mais rico e importante o seu proprietário.
Transportar essas pedras não algo muito fácil e os habitantes da Ilha aceitavam que a sua propriedade fosse transferida, em transações comerciais, sem que as pedras tivessem que necessariamente sair dos lugares em que se encontravam.
Certa vez um incidente (uma tempestade?) atirou um valioso rahi ao mar. Todos concor- daram que o dono o perdera por acidente e não por negligência, de modo que a propriedade sobre a pedra ainda era válida.
Após muitos anos, quando não havia mais nenhuma pessoa viva que tivesse visto a pedra, o direito sobre a mesma ainda era aceito nas transações.
Adaptado de N. Gregory Mankiw, Macroeconomia.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Moeda
Agregados Monetários no Brasil
M1: papel moeda em poder do público + depósitos à vista
M2: M1 + depósitos especiais remunerados + depósitos de poupança + títulos emitidos por instituições depositárias
M3: M2 + quotas de fundos de renda fixa + operações compromissadas registradas no SELIC
M4: M3 + títulos públicos de alta liquidez
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Agregados Monetários
M1 = PMPP + DV*
Os depósitos à vista incluem:
Depósitos do Setor Privado; Depósitos dos Governos Federal, Estaduais e Municipais; Depósitos de Empresas Federais, Estaduais e Municipais; Depósitos de instituições financeiras não sujeitas a recolhimento compulsório; Depósitos de domiciliados no exterior; Cheques de Viagem; Cheques Marcados; Cheques-salário; Saldos credores em contas de empréstimo e financiamento e Obrigações por prestação de serviço de pagamento.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Agregados Monetários
M2 = M1 + DER + DI + Ted + DP
DER = Depósitos Especiais Remunerados;
DP= Depósitos em Poupança(*);
Ted= Títulos emitidos por instituições depositárias - incluem os Depósitos de Reaplicação Automática, Depósitos a prazo, Letras de Câmbio, Letras Imobiliárias e Letras Hipotecárias. 
Inclui também os títulos em poder dos fundos de renda fixa, dos fundos de aplicação financeira, dos fundos de investimentos financeiros de curto prazo, dos fundos de renda fixa de curto prazo, dos fundos de commodities. Desconsidera os títulos sob custódia das instituições financeiras e 
DI = Depósitos para Investimento
(*) Os Depósitos de Poupança incluem:
Poupanças Livres; Poupanças Pecúlio; Poupanças de instituições do sistema financeiro; Poupanças Programadas; Poupanças - Valores Múltiplos; Poupanças Vinculadas e Poupanças Especiais.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize Chagas
*
 Macroeconomia I
 André Luis Squarize Chagas. 
Agregados Monetários
M3 = M2 + Quotas de fundos de renda fixa (*) + Operações Compromissadas registradas no Selic
Quotas de fundos de renda fixa = Patrimônio Líquido Ajustado, excluídas as Aplicações do SFN em quotas de Fundos de Investimento e os títulos emitidos por instituições financeiras, integrantes da carteira dos fundos de investimento;
(*) Considerando-se fundos de renda fixa os supervisionados pela Comissão de Valores Mobiliários, que nessa condição estão obrigados a encaminhar demonstrativos contábeis baseados no Cosif. Atualmente correspondem aos Fundos de Investimento Financeiro (FIF), dos quais se excluem os recursos de propriedade do governo central no levantamento dos agregados monetários. Os fundos de renda variável e os fundos de pensão não são considerados emissores de liquidez e multiplicadores de crédito, sendo classificados portanto entre os agentes não depositários.
Operações Compromissadas registradas no Selic = posição líquida de títulos registrados no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic), decorrentes de financiamentos em operações compromissadas.
Fundamentos Econômicos
Professor André Luis Squarize