Mapa de Risco - trabalho Pâmela
4 pág.

Mapa de Risco - trabalho Pâmela


DisciplinaOperações Unitárias Farmacêuticas116 materiais457 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL 
FACULDADE DE FARMÁCIA 
OPERAÇÕES UNITÁRIAS FARMACÊUTICAS 
 
 
Aluno: Pâmela Gabriele Silva Santos 
Cartão: 205851 
Turma: B 
 
MAPA DE RISCO 
 
Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos 
locais de trabalho capazes de acarretar prejuízos à saúde dos trabalhadores: acidentes e 
doenças de trabalho. Tais fatores têm origem nos diversos elementos do processo de trabalho 
(materiais, equipamentos, instalações, suprimentos e espaços de trabalho) e a forma de 
organização do trabalho (arranjo físico, ritmo de trabalho, método de trabalho, postura de 
trabalho, jornada de trabalho, turnos de trabalho, treinamento, etc.). 
Serve para a conscientização e informação dos trabalhadores através da fácil 
visualização dos riscos existentes, reunir as informações necessárias para estabelecer o 
diagnóstico da situação de segurança e saúde no trabalho na empresa, possibilitar, durante a 
sua elaboração, a troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, bem como 
estimular sua participação nas atividades de prevenção. 
A partir de uma planta baixa de cada seção são levantados todos os tipos de riscos, 
classificando-os por grau de perigo: pequeno, médio e grande. 
Estes tipos são agrupados em cinco grupos classificados pelas cores vermelho, verde, 
marrom, amarelo e azul. Cada grupo corresponde a um tipo de agente: químico, físico, 
biológico, ergonômico e mecânico. 
Na planta da seção, exatamente no local onde se encontra o risco (uma máquina, por 
exemplo) deve ser colocado o círculo no tamanho avaliado pela Comissão Interna de 
Prevenção de Acidentes (CIPA) e na cor correspondente ao grau de risco. 
O mapa deve ser colocado em um local visível para alertar aos trabalhadores sobre os 
perigos existentes naquela área. Os riscos serão simbolizados por círculos de três tamanhos 
distintos: pequeno, com diâmetro de 2,5 cm; médio, com diâmetro de 5 cm; e grande, com 
diâmetro de 10 cm. 
 
 
 
Tabela descritiva dos riscos ambientais 
 
GRUPO 1: 
VERDE 
GRUPO 2: 
VERMELHO 
GRUPO 3: 
MARROM 
GRUPO 4: 
AMARELO 
GRUPO 5: 
AZUL 
RISCOS 
FÍSICOS 
RISCOS 
QUÍMICOS 
RISCOS 
BIOLÓGICOS 
RISCOS 
ERGONÔMICOS 
RISCOS DE 
ACIDENTES 
RUÍDOS POEIRAS VÍRUS ESFORÇO ARRANJO FÍSICO 
FÍSICO INTENSO INADEQUADO 
VIBRAÇÕES FUMOS BACTÉRIAS LEVANTAMENTO 
E TRANSPORTE 
MANUAL DE 
PESO 
MÁQUINAS E 
EQUIPAMENTOS 
SEM PROTEÇÃO 
RADIAÇÕES 
IONIZANTES 
NÉVOAS PROTOZOÁRIOS EXIGÊNCIA DE 
POSTURA 
INADEQUADA 
FERRAMENTAS 
INADEQUADAS OU 
DEFEITUOSAS 
RADIAÇÕES 
NÃO 
IONIZANTES 
NEBLINAS FUNGOS CONTROLE 
RÍGIDO DE 
PRODUTIVIDADE 
ILUMINAÇÃO 
INADEQUADA 
FRIO GASES PARASITAS IMPOSIÇÃO DE 
RITMOS 
EXCESSIVOS 
ELETRICIDADE 
CALOR VAPORES BACILOS TRABALHO EM 
TURNO E 
NOTURNO 
PROBABILIDADE 
DE INCÊNDIO OU 
EXPLOSÃO 
PRESSÕES 
ANORMAIS 
SUBSTÂNCIAS, 
COMPOSTOS 
OU 
PRODUTOS 
QUÍMICOS EM 
GERAL 
 JORNADAS DE 
TRABALHO 
PROLONGADAS 
ARMAZENAMENTO 
INADEQUADO 
UMIDADE MONOTONIA E 
REPETITIVIDADE 
ANIMAIS 
PEÇONHENTOS 
 OUTRAS 
SITUAÇÕES 
CAUSADORAS 
DE STRESS 
FÍSICO E/OU 
PSÍQUICO 
OUTRAS 
SITUAÇÕES DE 
RISCO QUE 
PODERÃO 
CONTRIBUIR 
PARA A 
OCORRÊNCIA DE 
ACIDENTES 
 
 
Riscos mais comuns na prática farmacêutica 
 
Tipos de riscos associados às atividades laboratoriais: 
 
 
Riscos Físicos: 
Equipamentos que geram calor ou chamas; 
Equipamentos de baixa temperatura; 
Material radioativo; 
Pressões anormais; 
Umidade; 
Ruídos e vibrações; 
Radiações não-ionizante; 
Radiação ultravioleta; 
Radiação infravermelha; 
Raios laser; 
Campos elétricos. 
 
Riscos Biológicos: 
Amostras provenientes de seres vivos: plantas, animais, bactérias, leveduras, fungos, 
parasitas; 
Amostras provenientes de animais e seres humanos: sangue, urina, escarro, 
secreções, derrames cavitários, peças cirúrgicas, peças cirúrgicas, biópsias, entre outras; 
Organismos geneticamente modificados. 
 
Riscos Químicos: 
Contaminantes do ar; 
Substâncias tóxicas e altamente tóxicas; 
Substâncias explosivas; 
Substâncias irritantes e nocivas; 
Substâncias oxidantes; 
Substâncias corrosivas; 
Líquidos voláteis; 
Substâncias inflamáveis; 
Substâncias sólidas corrosivas; 
Substâncias cancerígenas. 
 
Riscos Ergonômicos: 
Distância em relação à altura dos balcões, cadeiras, prateleiras, gaveteiros, capelas, circulação 
e obstrução de áreas de trabalho; 
Computadores: altura dos teclados do equipamento e da posição de monitores e vídeos para 
evitar distensões de músculos e lesões em tendões; 
Trabalhos de movimentos repetitivos: teclados para digitação e pipetas automáticas. 
 
Riscos de Acidentes: 
Equipamentos de vidro; 
Equipamentos e instrumentos perfurocortantes; 
Coleta, manipulação de amostras de sangue e outros fluidos biológicos no laboratório de 
pesquisa e clínico; 
Equipamentos que utilizam gases comprimidos; 
Cuidados com cilindros de gases comprimidos inertes e combustível; 
Equipamento de engrenagem e de sistema de trituração; 
Equipamentos de emissão de ultra-som. 
 
RISCO PARA O OPERADOR - Desintegração mecânica de sólidos 
 
BRITAGEM - britador de mandíbulas 
TRITURAÇÃO - triturador de cilindros, triturador de martelos e triturador de facas 
MOAGEM - moinho de bolas, moinho de martelos, moinho centrífugo de rolos, moinho coloidal. 
MICRONIZAÇÃO \u2013 micronizador com estradas. 
 
Riscos, uma análise generalizada: 
 
Riscos Físicos: 
A desintegração gera calor, com isso permite que o operador tenha algum tipo de 
queimadura, ou gerar chamas se a matéria-prima ou nas imediações do maquinário tenha 
objetos inflamáveis como papel, papelão, etc. 
 Ruídos e vibrações dos aparelhos podem prejudicar a audição do operador. 
 
Riscos Químicos: 
Processos desintegradores estão altamente ligados a foramações de poeiras, névoas e 
neblimas, com isso, é passível, de acordo com a matéria trabalhada, a contaminação do ar 
com substancias toxicas, explosivas ou inflamáveis, que apresenta risco maior se a máquina 
liberar grande quantidade de calor. 
Substâncias difundidas no ar podem acarretar em irritação para o operador ou outros 
seres vivos que possam dividir o espaço com os aparelhos 
 
Riscos Biológicos: 
Os ricos biológicos não estão ligados diretamente com a aparelhagem, mas sim com a 
matéria-prima a ser trabalhada nas máquinas. Por exemplos, na fragmentação de plantas, elas 
podem ser tóxicas, ou até mesmo estarem contaminados com fungos ou bactérias. 
 
Riscos Ergonômicos: 
A alimentação de matéria-prima de maneira repetitiva pode acarretar em lesões. A 
eliminação de resíduos (escapamento) pode contaminar o ambiente de acordo com as classes 
anteriores \u2013 químicos ou biológicos. 
A manutenção das operações pode ser de maneira inadequada quando ligadas a postura 
física. 
 
Riscos de Acidentes: 
Alguns aparelhos possuem, em seu interior, objetos cortantes ou materiais que atritam 
ou causam compressão e impacto, logo, podem causar danos ao operador ou de outros 
objetos do ambiente, prejudicando o funcionamento da máquina, seja por interrupção ou 
exalando material inadequadamente 
 
 
 
BRITAGEM britador de mandíbulas podem comprimir materiais 
TRITURAÇÃO triturador de cilindros 
alguns podem apresentar objetos cortantes 
como superfícies dentadas e podem comprimir 
objetos 
 triturador de martelos podem esmagar objetos 
 triturador de facas apresenta objeto cortante 
MOAGEM moinho de bolas aprentam forte impacto 
 moinho de martelos podem esmagar objetos 
 moinho centrífugo de rolos podem comprimir objetos 
 moinho coloidal funcionam por atrito e também por corte 
MICRONIZAÇÃO micronizador com estradas o gás usado pode ser tóxico ou exalado 
 
 
Equipamentos de proteção coletiva (EPC) 
 
Redes de Proteção, Sinalizadores de segurança (como placas e cartazes de 
advertência, ou fitas zebradas), Extintores de incêndio, Lava-olhos, Chuveiros de segurança, 
Exaustores e Kit de primeiros socorros. 
 
Equipamentos de proteção individual (EPI) 
 
Abafadores de ruído, Luvas, Sapatos, tênis, Máscaras de gases,