A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Anatomia Palpatória Tórax Superior

Pré-visualização | Página 1 de 3

Terapia Manual Mariana Machado 
ANATOMIA PALPATÓRIA 
TÓRAX SUPERIOR 
 ESTUDAR PRINCIPALMENTE O FUNCIONAMENTO DO 
M. ECOM E DOS M. ESCALENOS ESPECIFICAMENTE, JÁ 
QUE SERÃO DOIS MÚSCULOS QUE TERÃO UMA 
REPERCUSÃO BASTANTE SIGNIFICATIVA TANTO NO 
FUNCIONAMENTO DAS ESTRUTURAS ALTAS (TÓRAX 
SUPERIOR), ASSIM COMO O IMPACTO DIRETO SOBRE 
MOVIMENTAÇÃO E POSICIONAMENTO DE CABEÇA 
 CORTE FRONTAL 
 INCIDÊNCIA ANTERIOR 
 NO PLANO SAGITAL MEDIANO FICA VISÍVEL O ESTERNO 
 O ESTERNO É SUBDIVIDIDO EM TRÊS PORÇÕES: 
 PORÇÃO MAIS SUPERIOR (MANÚBRIO ESTERNAL) 
 PORÇÃO MAIOR E PLANA (CORPO DO ESTERNO) 
 PORÇÃO BEM INFERIOR (PROCESO XIFÓIDE) 
 É OBSERVÁVEL UM TRAÇO ENTRE O MANÚBRIO 
ESTERNAL E O CORPO DO ESTERNO, ESSE TRAÇO NOS 
IDENTIFICA QUE QUANDO CRIANÇA EXISTIA UMA 
ARTICULAÇÃO CHAMADA ART. MANÚBRIO ESTERNAL 
 PRINCIPALMENTE NO MANÚBRIO TERÁ INSERÇÃO DE 
GRUPAMENTOS MUSCULARES QUE SÃO SUPERIORES, 
ESPECIFICAMENTE O M. ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO 
(ECOM) 
 O M. ECOM FUNCIONA COMO UM MÚSCULO 
ACESSÓRIO INSPIRATÓRIO 
 EM CRIANÇAS COM SÍNDROMES RESPIRATÓRIAS 
RESTRITIVAS E QUE POR ISSO NECESSITAM UM 
AUMENTO DE CONTRATIBILIDADE DESSE M. ECOM 
 ESSA CONTRAÇÃO DO M. ECOM VAI CRIAR UM 
ÂNGULO ENTRE O MANÚBRIO ESTERNAL E O CORPO 
DO ESTERNO QUE VAI FICAR UM POUCO MAIS 
EMBAIXO 
 ENTÃO, CRIANÇAS QUE SOFREM DE SÍNDROMES 
RESPIRETÓRIAS RESTRITIVAS E QUE TEM UM 
AUMENTO DE SOLICITAÇÃO CONTRÁTIL DO M. 
ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO PODE PRODUZIR UMA 
DEFORMAÇÃO NO ESTERNO QUE VAI PRODUZIR O 
ESTERNO MAIS PROJETADO, MANÚBRIO MAIS 
PROJETADO ACIMA COM UMA GRANDE CURVATURA 
ENTRE O MANÚBRIO E O CORPO DO ESTERNO 
 O AUMENTO DE ATIVIDADE DO 
ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO PODE SIGNIFICAR UMA 
ALTERAÇÃO POSTURAL 
 QUANDO SE VAI AVALIAR UM PACIENTE, SENDO 
CRIANÇA OU ADULTO, É IMPORTANTE OLHAR O 
POSICIONAMENTO E A MORFOLOGIA DESSE ESTERNO, 
SE TENDE A ESTAR PROJETANDO ESSE ESTERNO MAIS 
PARA CIMA OU NÃO 
 AO PROJETAR O MANÚBRIO MAIS ACIMA, 
POSTURALMENTE, ESTARÁ MODIFICANDO A 
CAPACIDADE TANTO DE ROTAÇÃO DA CLAVÍCULA 
QUANTO DE ELEVAÇÃO DA ART. GLENOMEURAL 
 LEMBRANDO QUE A CLAVÍCULA FUNCIONA COMO 
UMA PRANCHA ÚNCIA, SE LEVANTA UM LADO, ABAIXA 
O OUTRO, ENTÃO LEVANTANDO MUITO O MANÚBRIO 
ESTARIA IMPACTANDO UM POUCO MAIS A ART. 
ACROMIO-CLAVICULAR E PODENDO TER 
MANIFESTAÇÕES NA MOBILIDADE DA ART. 
GLENOMEURAL 
 LOGO, SE FOR AVALIAR O OMBRO DO PACIENTE, É 
PRECISO AVALIAR, ALÉM DA ART. GLENOMEURAL, 
AVALIAR COMO ESTÁ O POSICIONAMENTO DE ART. 
ACROMIO-CLAVICULAR E COMO ESTÁ O 
POSICIONAMENTO DE ART. ESTERNO-CLAVICULAR 
PARA SABER SE É NECESSÁRIO GANHAR MOBILIDADE 
OU MODIFICAR O POSICIONAMENTO DESSAS 
ESTRUTURAS, TENDO EM VISTA A NECESSIDADE DE 
AUMENTAR A MOBILIDADE DE OMBRO 
 SE OLHAR LATERALMENTE AO ESTERNO, TEM AS 
CARTILAGENS COSTAIS, AS CARTILAGENS COSTAIS QUE 
IRÃO DETERMINAR AS VARIAÇÕES DE CLASSIFICAÇÃO 
DAS NOSSAS COSTELAS 
 TODAS AS COSTELAS QUE TEM OS SEUS ARCOS 
COSTAIS ONDE A CARTILAGEM SE INSERE 
DIRETAMENTE AO ESTERNO SÃO CHAMADAS DE 
COSTELAS VERDADEIRAS 
 OUTRAS COSTELAS POSSUEM SUA CARTILAGEM 
COSTAL UNIDAS A OUTRAS CARTILAGEM COSTAL PARA 
DEPOIS IR AO ESTERNO – COSTELAS FALSAS 
 E OS DOIS ÚLTIMOS ARCOS DE COSTELAS NÃO TEM 
CARTILAGEM COSTAL, SE CONECTANDO A NADA, QUE 
SÃO AS COSTELAS FLUTUANTES 
 AS COSTELAS FALSAS IRÃO SE MOVIMENTAR MAIS 
PORQUE NÃO ESTÃO PRESAS A ESTRUTURAS ÓSSEAS, 
ESTANDO PRESAS A OUTRAS ESTRUTURAS MÓVEIS E 
POR ISSO DA UMA CAPACIDADE PARA ELA TER UMA 
MOVIMENTAÇÃO MAIOR 
 ALÉM DISSO, O DIAFRAGMA VAI ESTAR ATRÁS DAS 
COSTELAS FALSAS INTENSIFICANDO O MOVIMENTO 
 SE ASSOCIAR A MOBILIDADE MAIOR DIAFRAGMÁTICA 
COM ESSA VARIÁVEL DE COSTELA VERDADEIRA ESTAR 
Terapia Manual Mariana Machado 
INSERIDA EM UM PONTO QUE É MAIS MÓVEL, JÁ ESTÁ 
GARANTINDO MAIOR MOBILIDADE ENTRE ESSAS 
ESTRUTURAS 
 LOGO NA ANATOMIA PALPATÓRIA, QUANDO OLHAR 
ESSE TÓRAX, SEM PRECISAR NEM TOCAR/APENAS NA 
INSPEÇÃO, É PRECISO OBSERVAR COMO QUE A 
MOBILIDADE GRADIL COSTAL ESTÁ FUNCIONANDO 
 TEM MOBILIDADE HARMÔNICA, SENDO QUE AS 
ESTRUTURAS DE BASE SE MOVIMENTAM MAIS DO 
QUE AS ESTRUTURAS DE ÁPICE? SE TEM ISSO ESTÁ 
DENTRO DE UMA MOVIMENTAÇÃO NORMAL 
 SE TESTAR A MOBILIDADE DOS ARCOS, IR NAS 
COSTELAS E FAZER UMA PRESSÃO LATERAL NAS 
COSTELAS FALSAS DO LADO DIREITO E DA MESMA 
FORMA DO LADO ESQUERDO, SERÁ QUE A 
MOBILIDADE É IGUAL OU TEM DIFERENÇA ENTRE AS 
COSTELAS FALSAS DO LADO DIREITO E DO LADO 
ESQUERDO? 
 DO LADO DIREITO, DE VÍSCERA TEM O FÍGADO 
 DO LADO ESQUERDO, DE VÍSCERA TEM O 
ESTÔMAGO 
 O ESTÔMAGO É UMA VÍSCERA OCA E O FÍGADO É 
DENSO 
 ENTÃO ISSO OFERECE MOBILIDADES DIFERENTES 
ENTRE O LADO ESQUERDO E O DIREITO 
 SE APERTAR AS COSTELAS FALSAS DO LADO DIREITO, 
ELAS IRÃO SE MOVIMENTAR MENOS DO QUE O LADO 
ESQUERDO 
 JÁ QUE TEM O FÍGADO DENSO, ELE IRÁ LIMITAR A 
MOBILIDADE DAS COSTELAS FALSAS DO LADO 
DIREITO, ENQUANTO QUE DO LADO ESQUERDO O 
ESTÔMAGO ESTÁ SENDO UMA VÍSCERA OCA, 
APRESENTA UMA MOBILIDADE MAIS FAVORÁVEL 
 ENTÃO, AO AVALIAR O TÓRAX E AS COSTELAS, TERÁ 
QUE ENCONTRAR DE DIFERENÇA: 
 BASE SE MOVIMENTA MAIS DO QUE O ÁPICE 
 LADO ESQUERDO SE MOVIMENTA MAIS QUE O 
DIREITO 
- SÓ RETIRANDO PELE E GORDURA, ESSA É A IMAGEM QUE 
TEREMOS DESSA ABERTURA CERVICAL ANTERIOR 
 QUANDO OLHAR ESSA REGIÃO CERVICAL ANTERIOR, 
VAI PRECISAR DELIMITAR DUAS ÁREAS ESPECÍFICAS 
 SE OBSERVAR, TEM O OSSO HIÓIDE QUE É UM OSSO 
SELAR INSERIDO NA TRAQUÉIA 
 ESSE OSSO HIÓIDE VAI SUB DIVIDIR A MUSCULATURA, 
EM UMA MUSCULATURA QUE ESTÁ ACIMA DO HIÓIDE 
E UMA MUSCULATURA QUE ESTÁ ABAIXO DO HIÓIDE 
 MUSCULATURA SUPRA-HIOIDE: 
o TODOS OS MÚSCULOS PEQUENINHOS QUE 
CONECTAM O HIÓIDE A TRAQUÉIA COM A 
MANDÍBULA 
o RESPONSÁVEIS PELA MASTIGAÇÃO, DEGLUTIÇÃO E 
A FONAÇÃO 
 MUSCULATURA INFRA-HIOIDE: 
o MÚSCULOS DE MAIOR VOLUME, BEM GRANDES 
QUE ESTÃO INSERIDOS OU NO MANÚBRIO 
ESTERNAL OU NA CLAVÍCULA E CONECTANDO-SE 
COM O CRÂNIO 
o RESPONSÁVEIS PELA MOVIMENTAÇÃO DE CABEÇA, 
INSPIRAÇÃO FORÇADA, MOVIMENTAÇÃO CERVICAL 
E ESTABILIZAÇÃO DO SEGUIMENTO CERVICAL, 
ESTABILIZANDO A CABEÇA EM RELAÇÃO AO TÓRAX 
 AO OLHAR ESSES MÚSCULOS CHAMA A ATENÇÃO TRÊS 
GRUPAMENTO MUSCULARES MAIS SUPERFICIAIS 
 MÚSCULO QUE SAI DO ESTERNO, DA CLAVÍCULA E SE 
UNE E TERMINA NO PROCESSO MASTÓIDE – M. 
ESTERNOCLEIDOMASTÓIDEO (ECOM) 
 TEM OUTROS MÚSCULOS MENORES, QUE SÃO 
DIVIDIDOS EM TRÊS VENTRES QUE ESTÃO LATERAIS 
AO ECOM, QUE SÃO OS M. ESCALENOS 
 POR TRÁS DOS ESCALENOS, TEM O M. TRAPÉZIO QUE 
É O GRANDE VENTRE POSTERO-LATERAL DA REGIÃO 
CERVICAL 
- TIROU ESTERNO, CLAVÍCULA, ECOM E TRAPÉZIO 
 É POSSÍVEL OBSERVAR TRÊS VENTRES MUSCULARES 
DO ESCALENO 
 ESCANELO ANTERIOR 
 ESCALENO MÉDIO 
 ESCALENO POSTERIOR 
 ESCALENOS SÃO MÚSCULOS QUE ESTÃO INSERIDOS NA 
APÓFISE TRANSVERSA DAS VÉRTEBRAS CERVICAIS E 
Terapia Manual Mariana Machado 
QUE SE INSERE, ANTERIOR E MÉDIO NA PRIMEIRA 
COSTELA E POSTERIOR SE INSERE NA SEGUNDA 
COSTELA 
 QUAL SERIA A AÇÃO DO ESCALENO SE O CONTRAIR 
UNILATERALMENTE? 
 INCLINAÇÃO LATERAL DE CABEÇA 
 ROTAÇÃO DE CABEÇA PARA O MESMO LADO 
 SUPONDO QUE O ESCALENO ESTEJA ENCURTADO 
(QUANDO O MÚSCULO PERDE A 
EXTENSIBILIDADE/TEM UM MENOR DIÂMETRO 
LONGITUDINAL) EM ESPASMO (ESTÁ EM CONTRAÇÃO 
MANTIDA – Ex.: TORCICOLO – ESPASMO MUSCULAR 
DO ECOM) OU HIPERTROFIADO (AUMENTO DO 
DIÂMETRO TRANSVERSO/VOLUME DO MÚSCULO 
MAIOR) 
 ENTRE O ESCALENO ANTERIOR E O ESCALENO MÉDIO 
TEM DUAS ESTRUTURAS IMPORTANTES QUE 
PASSAM, SÃO ELAS: PLEXO BRAQUIAL E ARTÉRIA 
SUBCLÁVIA (VAI LEVAR SANGUE PARA O MEMBRO 
SUPERIOR; VAI SE TRANSFORMAR EM ARTÉRIA 
BRAQUIAL) 
 HÁ ENTÃO DOIS MÚSCULOS QUE ENTRE ELES PASSA 
UMA ESTRUTURA NERVOSA E UMA ESTRUTURA 
VENOSA/ARTERIAL 
 ENTÃO QUANDO ESSES MÚSCULOS ESTIVEREM 
ENCURTADOS, EM ESPASMO E HIPERTROFICOS O 
ESPAÇO QUE PASSA A ARTÉRIA SUBCLÁVIA E O PLEXO 
BRAQUIAL IRÁ DIMINUIR 
 AO DIMINUIR, OCORRE A SÍNDROME DOS 
ESCALENOS/SÍNDROME DO DESFILADEIRO CÉRVICO 
TORÁCICO (SDCT) 
o A SÍNDROME TEM