Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Trabalho sobre PNEDH

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ser cidadão é ter todos os direitos sociais, civis e políticos assegurados, onde possam proporcionar ao cidadão uma vida plena. Na maioria das vezes, esses direitos não são integralmente concedidos, mas assumidos e descrito pelas autoridades em lei, como podemos citar a Declaração dos Direitos Humanos, promulgado em 1948 pela ONU (Organização das Nações Unidas). Desde o século XVIII, muitos movimentos foram necessários para que ampliassem o conceito e a prática de cidadania. Assim pode-se afirmar que defender a cidadania é lutar pelos direitos, pelo exercício da democracia e a criação de novos direitos. Dessa maneira, surgiu O Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH), uma política pública que transforma um projeto de sociedade fundamentado nos princípios da democracia, da cidadania e da justiça social, por meio de um mecanismo de construção de uma cultura de direitos humanos que propõe a prática da solidariedade e do respeito às diversidades. O PNEDH teve o início de suas discussões em 2003, porém sua consolidação se deu somente no ano de 2006, onde foi publicada sua versão definitiva em parceria com o ministério da justiça e educação. Os Parâmetros Curriculares Nacionais trazem leis e termos para serem postos em prática no âmbito educacional, trata de diversas questões, uma delas a cidadania. Porém, quando pensamos neste termo “cidadania” lembramos que somos cidadãos dotados de direitos, no entanto a maioria do povo brasileiro não goza dos mesmos como deveria, pensando nisso, nos problemas que a sociedade enfrenta, a escola surge como um suporte para orientar essa busca pela cidadania de direito. A escola é um espaço de socialização, que atua intervindo no processo família/sociedade. Segundo GIROUX (1986), para que a educação se torne emancipatória, seu objetivo não é ajustar os alunos à sociedade atual, sua finalidade principal deve ser de estimular nos alunos sua imaginação e seu intelecto. Nesse mesmo pensamento, surge o PNEDH, que vem apresentar eixos orientadores sobre educação superior. Desse modo, é importante que os professores de Língua Portuguesa, incorporem em seus planos de aula o tema "Cidadania e Direitos Humanos”, esclarecendo e ensinando seus alunos a serem críticos, capazes de refletirem e debaterem sobre, pois é uma disciplina em que abrange muitos recursos pedagógicos que irão possibilitar este ensinamento e elucidação do assunto. As Diretrizes Curriculares da Língua Portuguesa estabelecem que os processos educacionais da Língua Portuguesa devem garantir ao estudante a sua integração ativa e crítica na sociedade, e ainda que é na escola que o estudante, e especialmente o da escola pública, deve encontrar o espaço para as práticas de linguagem que possibilitem interagir na sociedade, nos mais diferentes contextos de uso da língua materna. Neste aspecto, a Língua Portuguesa como língua mãe e marca de nossa nacionalidade permite-nos ter a dimensão mais profunda de pertencimento a nossa nação, preservando nossos direitos e expandindo a proteção aos que podem não ter vez e voz.