Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Resumo AV1 - Direito Administrativo Aplicado

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
 
DIREITO ADMINISTRATIVO APLICADO 
RESUMO AV1 
 
1. CONCEITO 
 
É um ramo do direito público interno, que tem como objetivo a busca pelo bem da 
coletividade e pelo interesse público. Vale ressaltar que reúne princípios e leis que regem 
órgãos, agentes e atividades públicas, estando presente nas três esferas de poder 
(executivo, judiciário e legislativo). 
 
2. 1° SETOR 
 
Trabalha a administração pública direta (União, estados, municípios e Distrito 
Federal) e indireta (autarquias, fundações públicas, empresas públicas, etc) na forma do 
decreto-lei 200/67, especialmente o art. 4° e 5°. 
 
3. 2° SETOR 
 
É uma parceria com a iniciativa privada com fins lucrativos. O particular pode ser 
dividido em: 
 
a) Execução Direta: 
a.1) Administração Pública 
 a.1.1) Direta: 
 a.1.2) Indireta: 
a.1.2.1) Concessão: 
2 
 
a.1.2.1.1) comum: prevista na Lei 8.987/95, e pode 
ser uma concessão simples (art. 2°, II) ou antecedida de obra 
(art. 2°, III); 
a.1.2.1.2) qualificada: prevista na Lei 11.079/04, 
conhecida como PPP (Parceria Público-Privada) e se divide 
entre as modalidades patrocinada (art. 2°, §1° c/c art. 10, §3°) 
e administrativa (art. 2°, §2°). O Poder Judiciário não pode 
realizar PPP’s (art. 1°, §1° c/c art. 15) 
 
a.1.2.2) Formas de extinção da concessão: 
 a.1.2.2.1) advento do tempo contratual (art. 9° 
da Lei 11.079/04). A PPP prevalece por no máximo 35 anos 
(art. 5°, I); 
 a.1.2.2.2) encapação: retomada do serviço pelo 
poder concedente (ex.: concessão de ônibus); 
 a.1.2.2.3) caducidade: inexecução contratual 
total ou parcial pela empresa concessionária, que gera a 
caducidade (sanção aplicada pelo poder público); 
 a.1.2.2.4) rescisão: pode ser rescindindo por 
iniciativa da concessionária no caso de descumprimento das 
normas contratuais pelo poder concedente (art. 39 da Lei 
8987). 
 a.1.2.2.5) anulação: ocorre quando há um erro 
contratual 
 a.1.2.2.6) falência da agência concessionária. 
 
a.1.2.2 Permissão: prevista na Lei 8987/97, art. 40, será 
formalizada por meio de um contrato de adesão e tem sua principal 
característica a precariedade. 
 
3 
 
4. 3° SETOR 
 
É uma parceria com a sociedade civil sem fins lucrativos. 
4.1 CARACTERÍSTICAS GERAIS DA SOCIEDADE CIVIL 
a) São pessoas jurídicas de direito privado sem fins lucrativos; 
b) São mantidas por transferências voluntarias, ou seja, fomentada pelo 
poder público (renúncia de receita), assim como política de subsídios. 
c) Não possuem obrigação de fazer concurso público ou realizar licitação. 
 
4.2 SISTEMA S: Senai, etc. 
 
4.3 SISTEMA OS (Organizações Sociais) (Lei (9.637/98): são geridas por um 
complexo contrato de gestão fiscalizado pelo Tribunal de Contas da União (art. 
71 da CF). Podem ser realizados através de convênios, consórcios, contratos 
de gestão, termos de parceria, termos de colaboração, termos de fomento, 
acordo substitutivo, contrato de rateio, protocolo de intenções. Todos os 
contratados pelo Sistema OS possuem vínculo de emprego privado. 
 
4.4 SISTEMA OSC (Organizações Sociais Civis) (Lei 13.019/14) 
 
4.5 SISTEMA OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) (Lei 
9.790/99) 
 
5. GOVERNO 
É uma atividade política, discricionária, que representa uma conduta 
independente do administrador. 
 
6. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
4 
 
 
É uma atividade de execução com autonomia funcional, que depende da 
competência de órgãos e seus agentes, que deve ocorrer no âmbito federal, estadual e 
municipal. 
Como objetivo, uma ideia de comando, orientação, direção e chefia, ao lado do 
jurisdicionado ou administrado. 
 
7. FONTES DO DIREITO ADMINISTRATIVO 
 
a) Lei 
b) Doutrina 
c) Jurisprudência 
d) Costume 
e) Princípios gerais do direito 
 
8. PRINCÍPIOS 
 
a) Legalidade 
b) Legitimidade 
c) Imperatividade 
d) Norteador 
e) Devido processo legal 
f) Publicidade 
g) Impessoalidade 
h) Adequação (Lei 8.987/95, art. 6°) 
a. Regularidade 
b. Continuidade 
c. Eficiência 
5 
 
d. Segurança 
e. Atualidade 
f. Generalidade 
g. Cortesia na sua prestação 
h. Modicidade das tarifas 
 
9. SERVIÇOS PÚBLICOS 
 
É uma atividade material prestada pelo Estado, que podem ser classificados de 
duas formas: 
a) Quanto a finalidade: 
a.1) Administrativo: são aquele direcionados a atividade interna da 
administração, com objetivo de satisfazerem suas próprias finalidades (Ex.: 
Diário Oficial, Centros de Pesquisa, etc) 
a.2) Utilidade Pública: são atividades destinadas aos indivíduos (Ex.: gás 
encanado, atendimento médico, energia elétrica, etc). 
 b) Quanto ao critério de realização: 
b.1) Critérios sociais: são aqueles que o Estado executa para atender a 
sociedade, possuem características assistenciais, protetivas, deficitárias etc. 
Ex.: assistência à criança e ao adolescente, assistência educacional e médica 
aos mais necessitados etc. 
b.2) Critérios econômicos: são aqueles que o Estado realiza para atender a 
sociedade sob o aspecto financeiro. Ex.: gás canalizado, transporte público, 
energia elétrica etc. 
b.3) Critério da delegabilidade: pode ser divido em três subespécies: 
c.1) que podem ser delegados: são aqueles de utilidade pública que 
podem ser delegados e realizados tanto pelo Estado como pelo particular 
(Ex.: serviço de água, esgoto, transporte, telefonia, eletricidade pública); 
6 
 
c.2) delegação obrigatória: o Estado não poderá ser detentor (art. 176 e 
223, CF) da rádio e televisão; 
c.3) indelegáveis: são aqueles vitais para a sobrevivência da comunidade. 
(Ex.: defesa nacional, segurança pública, institucional, administração da 
justiça, educação pública, serviços diplomáticos, previdência). 
 
9.1 SERVIÇOS COLETIVOS E SINGULARES 
 
a) Coletivos: são aqueles os quais a prestação você não consegue identificar 
(Ex.: segurança pública, diplomacia, etc), são remunerados através de 
impostos e contribuições de melhoria. 
b) Singulares: são aqueles que podem ser identificado para quem foi 
prestado (Ex.: energia elétrica), são remunerados através de taxa ou tarifa. 
 
10. CARACTERÍSTICAS DO SERVIÇO PÚBLICO 
 
a) Imediato 
b) Fiscalizado pelo Estado 
c) Contínuo 
d) Público 
 
10.1 SERVIÇOS CENTRALIZADOS: são aqueles realizados pelo Estado 
através de suas próprias repartições, sob sua responsabilidade direta e 
exclusiva. Os serviços centralizados podem ser concentrados (aquele que a 
prestação do serviço se dá por apenas um único órgão) ou desconcentrados 
(aquele realizado por vários órgãos da mesma entidade). 
 
11. FORMAS DE INTERVENÇÃO DO ESTADO NA PROPRIEDADE 
 
7 
 
O Estado intervém na propriedade para sua função social e para adequar a 
sociedade, de duas formas: 
a) Supressiva: desapropriação (decreto-lei 3.365/41), que pode ser 
dividida em 4 formas: 
a.1) Desapropriação comum ou ordinária: art. 5°, XXIV, CF, realizada 
por necessidade, utilidade pública (art. 5°, decreto-lei 3.365/41) ou 
interesse social (art. 2° da Lei 4.132/62). Deverá ser feita mediante justa 
e prévia indenização em dinheiro. 
a.2) Desapropriação urbana: art. 182, §4°, CF, exercida do município, 
essa forma de desapropriação visa a adequação da propriedade no 
plano diretor (ex.: descumprimento da função social da propriedade). A 
indenização será paga em título da dívida pública (TDP). 
a.3) Desapropriação rural: art. 184 a 187, CF, exercida pela União, 
mediante prévia e justa indenização em títulos da dívida agrária (TDA) 
nos casos de a propriedade não estar cumprindo com a sua função 
social. 
a.4) Desapropriação confisco: art. 243, CF, ocorre nos casos em que 
são localizadas culturas ilegais de plantas psicotrópicas ou a 
exploração de trabalho escravo, serão expropriadas e destinadas à 
reforma agrária e programas de habitação popular, sem qualquer 
indenização ao proprietário e sem prejuízo de outras sanções previstas 
em lei. 
 
Obs.: emitido o decreto de desapropriação, o poder público
Página12