Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Seminários Temáticos em Educação - Sugestão de Template

Pré-visualização | Página 1 de 1

Seminários Temáticos em Educação 
Nome do aluno(a): Bruna 
RGM: 
Curso: Pedagogia (Licenciatura) Semestre: 4º 
Tipo de Linguagem: Não-verbal 
Trabalho analisado: Obra de Abaporu 
Tutor (a): Rosana dos Santos Dias 
 
 
Analise da obra de Tarsila do Amaral 
 Escolhi a linguagem não-verbal, que é um tipo de linguagem que não 
contem palavras, mas possui recursos visuais como imagens e desenhos 
encontrada na obra de Abaporu. Abaporu é uma clássica pintura do 
modernismo brasileiro da artista Tarsila do Amaral que nasceu em 1º de 
setembro de 1886 na cidade de Capivari, interior paulista. É uma obra de 
origem tupi-guarani e significa “homem que come gente” (canibal ou 
antropófago) 
 Nessa obra vejo como se fosse inspirada em uma foto tirada com a 
câmera perto dos pés e longe do corpo, sendo assim seus pés ficam maiores 
que a cabeça e daí surgiu esta pintura, mas na verdade o movimento artístico 
que ocorreu entre 1928 e 1930 relata a inclusão de temas imaginários e 
alterações da realidade como; um homem com grandes pés e mãos e cabeça 
pequena. 
 Vejo uma pessoa triste e depressiva, talvez alguém que viva só, que não 
tem amigos nem família, uma pessoa aparentemente do bem, mas Tarsila quis 
mostrar o sofrimento daquela época, apesar de cores bem alegres, verde do 
cacto que representa o nordeste, o amarelo do sol, azul do céu que está 
representando a cultura brasileira, também representa o trabalho duro aos 
funcionários rurais. 
 Se olharmos pelos pés e mãos grandes, cabelos curtos, vemos um 
homem nesta obra, porém, não sabemos se trata de um homem ou de uma 
mulher. Sua pintura parece ser feita com lápis de cor, mas na verdade foi feita 
com tinta a oléo. 
 Sua obra foi reconhecida pela sua representatividade, pela cena 
histórica, cada um pode olhar de maneiras diferentes, ponto de vistas 
diferentes, não é somente uma imagem, e sim uma transmissão de linguagens. 
 Para Oswald de Andrade, marido de Tarsila, foi o melhor quadro que ela 
teria feito até o momento. E para o colecionado Eduardo Costantini também 
deve ter sido, pois, comprou o quadro em um leilão no ano de 1995 por R$ 2,5 
milhões. 
 Quem não entende de arte, ou não tem essa percepção que Eduardo 
tem, vai falar que é loucura gastar todo esse dinheiro em uma obra, mas para 
muitos tem um significado interessante. 
 A obra de Abaporu vem sendo também, bastante utilizada como material 
pedagógico, e diversos estudantes brasileiros já reproduziram também suas 
releituras. Como eu disse anteriormente, cada um tem sua percepção, isso 
serve além de desenhar, ajuda a exercitar a mente de crianças e/ou 
adolescentes. É engraçado que se todos pensássemos iguais, a obra talvez 
não seria tão interessante assim, mas por isso, se tornou um grande clássico 
da pintura brasileira. 
 
 
 
Referencia Bibliográfica: http://www.significados.com.br/abaporu/