Buscar

Aula 14 Gasometria Arterial

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Equilíbrio Ácido-Básico 
 Mecanismos fisiológicos que mantém a 
concentração de hidrogênio dos líquidos corpóreos 
numa faixa compatível com a vida. 
 Ácido: substância capaz de doar prótons H+. 
o Voláteis: metabolismo aeróbico, ácido 
carbônico. 
o Não voláteis ou fixos: metabolismo 
anaeróbico, ácido lático, ácido pirúvico. 
 Base: substância capaz de receber prótons H+. 
 pH: unidade usada para avaliar hidrogênio livre 
nas soluções ácidas ou básicas. Varia de 0 – 14. Estando 
o pH do sangue entre 7,35 e 7,45. 
Sistemas Tampão 
 Substâncias que controlam o pH capturando ou 
liberando H+. São capazes de reagir tanto com um ácido 
quanto com uma base. 
 Estão presentes no sangue, tecidos e interior das 
células. Os sistemas de regulação são químicos e 
fisiológicos. 
 O principal sistema tampão é o bicarbonato – 
ácido carbônico que envolve os sistemas renal (HCO3) e 
respiratório (H2CO3). 
Bicarbonato 
 É constituído pelo ácido carbônico (H2CO3) e 
sua base conjugada o bicarbonato (HCO3) é considerado 
um sistema aberto, pois o CO2 é removido pela 
ventilação. 
 
 Os distúrbios podem ocorrer por via: 
 Metabólica: alteração de H+ no fluído 
extracelular – HCO3. 
 Respiratória: alteração na ventilação alveolar – 
PCO2. 
Gasometria Arterial 
 A avaliação dos gases arteriais é importante na 
abordagem do doente crítico já que permite avaliar: 
oxigenação (PaO2), ventilação (PaCO2), equilíbrio 
ácido-base (pH e HCO30), pH, pressão de oxigênio 
(PO2), pressão de dióxido de carbono (PCO2), saturação 
de oxigênio (SaO2), concentração de bicarbonato 
(HCO3), excesso ou déficit de bases (BE). 
 Indicações: IRA, SDRA, DPOC agudizada, 
asma grave, paciente em VM, embolia pulmonar, edema 
agudo de pulmão, cetoacidose, sepse e intoxicação 
exógena. 
 
Índice de Oxigenação 
 Valores normais PaO2/FiO2: 
 Normal: PaO2/FiO2 > 400mmHg. 
 Déficit de oxigenação: PaO2/FiO2 > 300 – 
400mmHg. 
 Insuficiência respiratória: PaO2/FiO2 < 
300mmHg. 
 Insuficiência respiratória grave: PaO2/FiO2 < 
200mmHg. 
Curva de Dissociação de O2: 
 
Acidose Respiratória 
 
 Patogênese: hipoventilação e diminuição da 
eliminação de CO2 que leva a IRA ou IRC. 
 Compensação: neutralização dos ácidos pelas 
bases sanguíneas. 
o Renal: eliminação de ácidos fixos – processo 
lento / retenção de bicarbonato. 
 Manifestações Clínicas: cefaleia, taquicardia, 
perturbações visuais, coma (narcose pelo CO2). 
 Tratamento: afastar a causa e promover 
ventilação adequada. 
Acidose Metabólica 
 
Gasometria Arterial 
 Patogênese: aumento da produção de ácidos não 
voláteis, redução da excreção renal de ácidos e redução 
da recuperação renal ou perda excessiva de bicarbonato. 
 Compensação: neutralização dos ácidos pelas 
bases sanguíneas. 
o Respiratória: aumento da eliminação de 
CO2. 
o Renal: aumento da retenção de HCO3. 
 Manifestações clínicas: arritmias, confusão 
mental, depressão respiratória (quando intensa) que leva 
ao coma. 
 Tratamento: administração de bicarbonato. 
Alcalose Respiratória 
 
 Patogênese: hiperventilação com eliminação 
excessiva de CO2. 
 Compensação: neutralização das bases pelos 
ácidos sanguíneos. 
o Renal: eliminação de HCO3 / retenção de 
H+. 
 Manifestações Clínicas: hiper-excitabilidade, 
tremores e tetania (PaCO2 < 25mmHg). 
 Tratamento: promover ventilação adequada 
(baixo f). 
Alcalose Metabólica 
 
 Patogênese: aumento da retenção de HCO3, 
perda de ácidos pelo organismo (H+). 
 Compensação: 
o Respiratória: hipoventilação, retenção de 
CO2 (depressão do centro respiratório). 
o Renal: redução na absorção de bicarbonato. 
 Manifestações Clínicas: náuseas, respiração 
superficial, confusão mental, coma. 
 Tratamento: administração de ácidos (cloro e 
cloreto de potássio).