A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
IATF em bovinos de corte

Pré-visualização | Página 1 de 1

t 
 
Introdução: o setor da pecuária de 
corte leite do país é um dos destaques 
quando se diz a respeito de produção e 
exportação de produtos de qualidade 
mundial. Isso mostra a sua importância 
para economia nacional, fazendo-se 
necessário o investimento em tecnologia 
que ajudem na evolução da cadeia 
produtiva deste ramo. 
Essas tecnologias trouxeram uma 
abordagem ao melhomento genético, 
em novilhas, primíparas e reprodutores, 
apresentando diversas vantagens sendo 
elas: 
• Maior produtividade; 
• Maior qualidade do produto; 
• Diversidade e cruza de raças; 
• Tempo fixo de cio; 
• Controle zoonótico; 
• Melhores épocas de prenhez e 
parto; 
• Lotes uniformes; 
• Maior ganho financeiro. 
Nos últimos anos o emprego da 
inseminação artificial em tempo fixo 
(IATF) obteve uma ascensão na 
pecuária nacional, tornando-se uma 
ferramenta essencial para o aumento da 
produtividade. Isso pelo fato de a IATF 
proporcionar às fêmeas bovinas a 
diminuição e/ou eliminação de 
problemas relacionados a baixa 
eficiência reprodutiva. 
• IATF possui melhores 
resultados relacionadas a ganhos 
genéticos. 
Desenvolvimento: A inseminação 
artificial em tempo fixo (IATF) é um 
manejo feito com fármacos em uma 
fêmea bovina, estimulando sua 
ovulação a ocorrer em tempo 
programado de forma que sua 
inseminação seja efetuada 
eficientemente no momento específico 
desejado. A grande vantagem é não ter 
que esperar pela ovulação, quando a 
mesma pode ser antecipada. 
A melhor maneira de se iniciar o 
protocolo é a identificação do animal, 
numerando e fazendo a separação das 
categorias, agregando e formando 
grupos contemporâneos e identificando 
os melhores produtos e quem os 
produziu. 
Importância da nutrição: a 
alimentação é fundamental para o 
processo de IATF. O processo é divido 
em 3 etapas: 
• Antes 
• Durante 
• Após o protocolo 
➔ Atenção deve estar 
principalmente no período que 
antecede a inseminação e após o 
período pós inseminação. 
Animais com baixo ICC (menor que 
<3,0) e animais com alta condição 
corporal (>5,0) interferem 
negativamente, uma vez que prejudicam 
o ciclo estral. 
É preferível os animais estar entre 
os índices 3,0 e 4,0 os quais tendem a 
resultar em melhor taxas de prenhez. 
Resumo feito com base na apresentação de artigo das alunas: Lyandra L., Eduarda R., Leticia D., Patrícia 
t 
 
Protocolo de sincronização da 
ovulação com 3 manejos: A IATF 
possuí diversos protocolos, estes se 
baseiam a partir da utilização de 
análogos de progesterona (P4), 
estrógenos, GnRH e de PGF2, tendo 
esse o intuito de antecipar o ciclo estral 
de fêmeas bovinas, 
 através destes é possível 
controlar as ondas foliculares. 
O protocolo mais utilizado em vacas 
multíparas é o de 3 manejos. Iniciando 
no D0 onde é inserido um dispositivo 
intravaginal de progesterona (P4) e 
benzoato de estradiol (BE) para que 
aconteça a expansão de uma nova onda 
folicular. 
D8 é quando removem o dispositivo 
para aplicar a prostaglandina para que 
aconteça a redução de progesterona (p4) 
e tenha luteólise, junto com o cipionato 
de estradiol que sincronizará a ovulação 
para estimular um alto nível de LH. 
A inseminação só acontecerá no 
D10. 
➔ Atualmente tem-se a opção de 
um protocolo, mais curto, 
inseminando 7 dias após o 
início, sendo uma opção a mais. 
Vantagens e desvantagens: 
 As desvantagens estão 
relacionadas a uma cascata de eventos. 
 É necessário para um 
protocolo de sucesso os 
cumprimentos de todas as etapas 
bem ajustadas. Incluem desde a 
separação dos lotes, passando 
pela utilização de planilhas 
(constando todas as informações 
necessárias de manejo), e uma 
equipe acompanhando de forma 
ajustada e comprometida o 
comprimento da sequência 
aplicacional do protocolo 
hormonal e infraestrutura 
adequada. 
 Qualquer erro no 
processo pode acarretar em 
prejuízos futuros à propriedade. 
 
 Temos como vantagens o: aumento 
da fertilidade do rebanho, através da 
sincronização e do controle do intervalo 
entre partos, sequenciando e 
aumentando assim a concentração dele 
para início da estação. 
 
Conclusão: IATF é a técnica mais 
utilizada em fazendas que visam uma 
maior eficiência reprodutiva. 
Através dela pode se obter melhores 
genes, a partir da seleção de boas 
matrizes, tendo assim melhor 
desempenho e lucratividade. 
 
 É necessário: investimento, boa 
infraestrutura, manejo adequado e 
equipe treinada e qualificada. 
 
Resumo feito com base na apresentação de artigo das alunas: Lyandra L., Eduarda R., Leticia D., Patrícia