A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Dos Bens

Pré-visualização | Página 1 de 2

Dos Bens
● Divergências Doutrinárias (Bens X Coisas):
↳ “Coisa é tudo que existe objetivamente, com exclusão do homem. Bens são
coisas que, por serem úteis e raras, são suscetíveis de apropriação e contêm
valor econômico” - Sílvio Rodrigues.
↳ Entendia que coisa era gênero e bem espécie.
↳ Coisas: tudo o que não é humano.
↳ Bens: coisas com interesse econômico e/ou jurídico.
↳ “Bem é tudo que nos agrada. Os bens, especificamente considerados,
distinguem-se das coisas, em razão da materialidade destas: as coisas são
materiais ou concretas, enquanto que se reserva para designar imateriais ou
abstratos o nome bens em sentido estrito.” - Caio Mário da Silva Pereira.
↳ Entendia que bem era gênero e coisa espécie.
↳ Resumidamente, todos os bens são coisas, mas nem todas as coisas são
bens.
● Conceito:
↳ Bens são valores materiais e imateriais, com conotação econômica e que
podem ser objeto de uma relação jurídica.
↳ Bens: compreende coisas (bens corpóreos) e direitos (bens incorpóreos).
↳ Coisas: somente bens corpóreos.
● Não são considerados bens:
↳ O bem deve ter sempre uma conotação econômica, deve ser possível
estipular um valor real para ele. Por isso, não são considerados bens:
a) coisas materiais que são abundantes e estão disponíveis a todos: ar,
luz, água etc.
b) coisas materiais que não podem ser apropriadas pelo homem: solo da
lua e dos planetas, micróbios etc.
c) direitos de ordem moral que correspondem ao conjunto dos atributos
da personalidade da pessoa: vida, honra, liberdade, nome, integridade
física etc.
● Alguns termos ligados aos bens:
↳ Res nullius: expressão latina, significa “sem dono”, “coisa de ninguém”.
↳ Res derelictae: expressão latina, significa “coisa abandonada”.
↳ Achádego: recompensa dada a quem encontra uma coisa perdida
● Tangibilidade:
a) Bens Corpóreos, Materiais ou Tangíveis: bens que possuem existência
corpórea e podem ser tocados. casa, veículo, animal.
b) Bens Incorpóreos, Imateriais ou Intangíveis: bens que possuem
existência abstrata e não podem ser tocados. hipoteca (garantia sobre
um bem imóvel), penhor (garantia sobre um bem móvel), direitos
autorais.
● Mobilidade:
a) Bens Imóveis: aqueles que não podem ser removidos ou transportados
sem sua deterioração ou destruição.
● Bens imóveis por natureza/essência: formados pelo solo, subsolo,
espaço aéreo e tudo quanto se lhe incorporar de forma natural.
árvore que nasceu naturalmente em um terreno.
● Bens imóveis por acessão física industrial/artificial: formados
por tudo o que o homem incorporar de maneira permanente ao
solo, não podendo removê-lo sem sua destruição ou
deterioração. construções e plantações, situações com
intervenção humana.
● Bens imóveis por acessão física intelectual (pertenças): bens
móveis que foram imobilizados pelo proprietário, constituindo
uma ficção jurídica, surgindo o conceito de PERTENÇAS. trator
incorporado a uma fazenda.
● Bens imóveis por disposição legal: são considerados imóveis
para que possam receber uma proteção jurídica melhor. direito
à sucessão aberta. (a partir do momento que o indivíduo morre,
todos os seus bens são considerados imóveis, são “congelados”).
● Art. 81. Não perdem o caráter de imóveis:
I - as edificações que, separadas do solo, mas conservando a sua
unidade, forem removidas para outro local.
II - os materiais provisoriamente separados de um prédio, para
nele se reempregarem.
b) Bens Móveis: bens que podem ser transportados, por força própria ou
de terceiro, sem deterioração ou destruição.
● Bens móveis por natureza: bens que podem ser transportados
sem dano, por força própria ou alheia. quando puder se mover
por conta própria é chamado de ben móvel semovente. animais.
● Bens móveis por antecipação: bens que eram imóveis e foram
mobilizados por uma atividade humana. árvore removida do solo,
lenha cortada.
● Bens móveis por determinação legal: surgem nas situações em
que a lei determina direitos humanos, energias.
● Art. 84. Os materiais destinados a alguma construção, enquanto
não forem empregados, conservam sua qualidade de móveis;
readquirem essa qualidade os provenientes da demolição de
algum prédio.
Distinções Bens Imóveis Bens Móveis
Bens de menores. exige-se prévia autorização
do juiz
pais podem alienar os bens
móveis do menor.
Direitos reais. são objetos de hipoteca. são objetos de penhor.
Hasta pública. chama-se praça. chama-se leilão
Ingresso das Ações
Reais.
é necessária autorização do
cônjuge do autor e a citação
do cônjuge do réu.
devem ser propostas no local
da situação do imóvel
não existe essa necessidade.
são propostas no domicílio
do réu.
Fungibilidade. são sempre fungíveis. podem ser fungíveis ou
infungíveis.
Alienação. depende da autorização do
cônjuge.
não precisa da autorização
do cônjuge.
Aquisição. exigem o registro da
escritura pública.
são adquiridos pela simples
tradição de entregar algo.
Usucapião prazo varia de 5, 10 e 15 anos. é de 3 anos, para quem tiver
justo título e boa-fé, e 5 anos
para as demais ocasiões.
Impostos. são sujeitados a IPTU e ITR. não sujeitam-se à impostos.
● Fungibilidade:
a) Bens Fungíveis: bens móveis que podem ser substituídos por outros da
mesma espécie, qualidade e quantidade. alimentos em geral.
b) Bens Infungíveis: bens que não podem ser substituídos por outros da
mesma espécie, qualidade e quantidade. animal reprodutor, joia de
família, casa, quadro
● Art. 85. São fungíveis os móveis que podem substituir-se por outros da
mesma espécie, qualidade e quantidade.
● Consuntibilidade:
↳ Para essa classificação são utilizados dois parâmetros:
↳ Consuntibilidade Física/Fática: se o consumo implica em destruição.
↳ Consuntibilidade Jurídica: se o bem pode ser ou não objeto de consumo, se
pode ser alienado ou não.
a) Bens Consumíveis: bens móveis, cujo uso importa na destruição
imediata da própria coisa (consuntibilidade física), e aqueles destinos à
alienação (consuntibilidade jurídica).
b) Bens Inconsumíveis: aqueles que podem ser utilizados com frequência,
permitindo que se retire sua utilidade, ,sem deterioração
(inconsuntibilidade física), e aqueles que são inalienáveis
(inconsuntibilidade jurídica).
● Divisibilidade:
a) Bens Divisíveis: os que se podem dividir/fracionar sem alterar sua
substância, diminuindo seu valor ou causando prejuízo de sua
finalidade. dinheiro, terreno, fazenda.
b) Bens Indivisíveis: bens que não podem ser divididos/partilhados, já que
deixariam de formar um todo perfeito, gerando, na maioria da vezes,
desvalorização. essa indivisibilidade pode decorrer de sua natureza,
imposição legal ou vontade do proprietário. carro, papel moeda.
● Individualidade:
a) Bens Individuais ou Individuais: são aqueles que podem ser
considerados independentes em relação aos demais livro,
apartamento, lâmpada
b) Bens Coletivos ou Universais: aqueles que se encontram agregados em
um todo, são constituídos por várias coisas singulares, que são
consideradas em conjunto e formando um todo individualizado.
boiada, estacionamento, condomínio, biblioteca, lustre.
● Art. 89. São singulares os bens que, embora reunidos, se consideram de
per si, independentemente dos demais.
● Art. 90. Constitui universalidade de fato a pluralidade de bens
singulares que, pertinentes à mesma pessoa, tenham destinação
unitária.
Parágrafo único. Os bens que formam essa universalidade podem ser
objeto de relações jurídicas próprias.
● Dependência em relação a outro bem:
a) Bens Principais: são os que existem de maneira autônoma e
independente, de forma concreta ou abstrata.
b) Bens Acessórios: são bens cuja existência e finalidade pressupõem a um
outro bem, denominado principal, dessa maneira quem for proprietário
do em principal também será do bem acessório. (natureza jurídica do
acessório é a mesma do principal). São bens acessórios:
01. Frutos: bens acessórios que nascem do bem principal, mantendo
a integridade do último, sem diminuir sua substância, frutos de
uma árvore, rendimento obtidos com a casa etc. Os frutos podem
ser:
● Frutos Naturais: decorrentes da essência

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.