Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Embriologia veterinária

Pré-visualização | Página 1 de 3

EMBRIOLOGIA EMBRIOLOGIA
ESTUDA O INÍCIO DA VIDA HUMANA E 
AS TRANSFORMAÇÕES QUE 
OCORREM DURANTE O 
DESENVOLVIMENTO PRÉ- NATAL
GAMETOGÊNESE
•PROCESSO DE FORMAÇÃO E 
DESENVOLVIMENTO DOS GAMETAS, 
ENVOLVE OS CROMOSSOMOS E O 
CITOPLASMA DAS CÉLULAS 
GERMINATIVAS PREAPARANDO-AS 
PARA A FERTILIZAÇÃO
Espermatogênese
•
A espermatogênese envolve a sequência de 
eventos através da qual células germinativas 
primitivas chamadas espermatogônias
transformam-se em espermatozóides. Esse 
processo tem início na puberdade (13 a 16 
anos), e continua até a velhice. 
Ovogênese
• A ovogênese refere-se a toda sequência de eventos 
pela qual as ovogônias transformam-se em óvulos 
maduros. Esse processo de maturação começa 
antes do nascimento, mas só é completada na 
puberdade. Os ovócitos primários permanecem em 
prófase suapensa (dictióteno), por vários anos até
que a maturidade sexual seja alcançada na 
puberdade e comecem os ciclos reprodutivos. 
CICLOS REPRODUTIVOS DA MULHER
• O desenvolvimento humano tem início na 
fertilização, cerca de 14 dias após o começo 
da última menstruação.
• Após a união dos gametas e formação do 
zigoto ou célula-ovo inicia-se o processo de 
divisão celular, formação da mórula, 
blastocisto, a implantação do blastocisto no 
útero e desenvolvimento inicial do embrião.
PROPRIEDADES DO 
DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO :
Coordenação. Em todo o processo da formação a partir do 
zigoto, há uma sucessão de atividades moleculares e 
celulares sob a guia da informação contida no genoma e 
sob o controle de sinais originários de interações que se 
multiplicam incessantemente em todos os níveis, dentro do 
próprio embrião e entre este e seu ambiente. Justamente 
dessa guia e desse controle é que deriva a expressão 
coordenada de milhares de genes estruturais que implica e 
confere um vínculo estreito com o organismo que se 
desenvolve no espaço e no tempo. 
• Continuidade. O 'novo ciclo vital' que se inicia 
com a fertilização prossegue sem interrupção - se 
se verificam as condições exigidas. Os eventos, p. 
ex. a replicação celular, a determinação celular, a 
diferenciação dos tecidos, a formação dos órgãos, 
aparecem, obviamente, como sucessivos. Mas o 
processo em si mesmo da formação do organismo 
é contínuo. É sempre o mesmo indivíduo que vai 
adquirindo sua forma definitiva. Se esse processo 
fosse interrompido, a qualquer momento, teríamos 
a morte do indivíduo. 
• Gradação. É uma lei intrínseca do processo 
de formação de um organismo pluricelular o 
fato de ele adquirir a sua forma final através 
da passagem de formas mais simples a 
formas cada vez mais complexas. Essa lei 
da gradação na aquisição da forma terminal 
implica que o embrião, a partir do estado de 
célula, mantenha permanentemente sua 
própria identidade e individualidade através 
de todo o processo 
• A Fecundação ou Concepção ou Fertilização
• A fecundação do óvulo pelo espermatozóide se dá, 
de 12 a 24 horas após a ovulação. 
• O zigoto avança para o útero, ao mesmo tempo 
que se iniciam no seu interior as primeiras 
divisões celulares. 
• A Implantação ou Nidação ,cerca de seis dias 
depois da fertilização, o processo de multiplicação 
da célula está em curso e o embrião (agora 
chamado blastócito) começa a implantar-se no 
revestimento nutrivo do útero, o endométrio. 
• A implantação no útero se completa em torno do 
12º dia após a fertilização
Desenvolvimento 
Embrionário
• Após a fecundação do zigoto, inicia-se 
o processo de segmentação, isto é a 
divisão da célula ovo até a formação de 
células chamadas blastômeros. 
• Na espécie humana, por volta do quarto 
dia após a fecundação, surge a mórula, 
um maciço celular que contém de doze 
a dezesseis blastômeros
• A mórula, uma vez formada, é invadida por 
um líquido que promove o deslocamento dos 
blastômeros para a periferia. 
• Forma-se assim, a blástula ou bastocisto, 
estrutura que apresenta uma cavidade cheia 
de líquido, denominada blastocele, e uma 
camada celular constituída de micrômeros e 
macrômeros, denominada blastocisto.
IMPLANTAÇÃO
• A implantação do blastocisto se inicia 
no fim da primeira semana e termina 
no final da segunda semana do 
período pré-embrionário. 
• O sinciciotrofoblasto (tecido muito 
erosivo) invade o estroma endometrial 
(tecido conjuntivo), que possui uma 
densa rede de capilares e glândulas. 
IMPLANTAÇÃO A partir da implantação do blastocisto, 
uma maior quantidade de trofoblasto
entra em contato com o endométrio e 
se diferencia em duas camadas: o 
citrofoblasto, uma camada simples de 
células mitoticamente ativas que 
migram para a massa crescente de 
sinciciotrofoblasto; e o próprio 
sinciciotrofoblasto, que se torna 
rapidamente uma massa grande, 
espessa e multinucleada, sem limites 
celulares perceptíveis.
As células do citotrofoblasto
proliferam e migram para a massa do 
sinciciotrofoblasto, onde se fundem, 
perdem suas membranas celulares e 
se transformam em uma zona 
multinucleada. 
O sinciciotrofoblasto começa a 
produzir a gonadotrofina coriônica
(hCG), ao final da segunda semana 
existe hCG suficiente para a detecção 
do hormônio em um teste de gravidez.
Enquanto isso o blastocisto implanta-se no 
endométrio e ali se fixa através do seu pólo 
embrionário e, a partir daí, células de 
trofoblasto vão deslocando células 
endometriaisno centro do local de 
implantação. Neste mesmo local as células 
do estroma enchem de glicogênio e 
lipídipos, ganhando um aspecto poliédrico. 
Algumas dessas células (células deciduais) 
degeneram no local onde o 
sinciciotrofoblasto penetra, formando uma 
fonte de nutrição muito importante para o 
embrião
GASTRULAÇÃO
• A gastrulação compreende o processo 
de transformação da blástula em 
gástrula, estágio embrionário que se 
carateriza pela formação dos folhetos 
germinativos ou embrionários. 
DOBRAMENTO DO CORPO 
DO EMBRIÃO
Formação da Cavidade Amniótica, 
Âmnion e Saco Vitelínico
• Enquanto progride a implantação do 
blastocisto, surge uma cavidade entre o 
embrioblasto e o trofoblasto; é a 
cavidade amniótica, recoberta por uma 
membrana denominada âmnio
• A membrana e a cavidade exocelômicase modificam 
para formar o saco vitelínico primário (ou primitivo). 
Agora o disco embrionário encontra-se entre a 
cavidade amniótica e o saco vitelínico primário
• Quando são formados o âmnio, disco embrionário 
bilaminar e o saco vitelino primário aparecem no 
sisciciotrofoblasto espaços isolados, as lacunas, que 
se enchem de sangue materno e secreções de 
glândulas endometriais, formando um líquido 
nutritivo, o líquido embritrófico, que passa para o 
disco embrionário por difusão.
HORMÔNIOS - EFEITOS 
MATERNOS -
EMBRIONÁRIOS - FETAIS
HIPOFISÁRIOS
FSH 
CRESCIMENTO E 
AMADURECIMENTO DO FOLÍCULO 
9ÓVULO E CÉLULAS FECAIS)
LH 
OVULAÇÃO (JUNTO COM FSH), 
FORMAÇÃO E MANUTENÇÃO DO 
CORPO LÚTEO
OVARIANOS
A) ESTRÓGENO
- EFEITOS SOBRE OS ÓRGÃOS SEXUAIS
- AUMENTO DO TAMANHO E MATURAÇÃO FUNCIONAL DA 
VAGINA, TROMPAS E ÚTERO
- MAMAS
- DEPOSIÇÃO DE GORDURA, DESENVOLVIMENTO DO 
ESTROMA E CRESCIMENTO DE UM EXTENSO SISTEMAS DE 
DUCTOS E APARÊNCIA EXTERNA.
- OSSOS
- AUMENTA A ATIVIDADE OSTEOBLÁSTICA, RETÉM CÁLCIO, 
ALARGA A BACIA.
- GORDURA
- AUMENTA O DEPÓSITO DE GORDURAS NO CELULAR 
SUBCUTÂNEA DESENHANDO A SILHUETA FEMININA.
- ÚTERO
- PROLIFERAÇÃO DO ENDOMÉTRIO
A) PROGESTERONA
- ÚTERO
- ALTERAÇÕES SECRETÓRIAS NO ENDOMÉTRIO DURANTE 
A 2ª METADE DO CICLO MENSTRUAL
- TROMPAS DE FALÓPIO
- AUMENTO DA SECREÇÃO PARA NUTRIÇÃO DO OVO 
FERTILIZADO EM DIVISÃO, ANTES DA IMPLANTAÇÃO
- MAMAS
- DESENVOLVIMENTO DE LOBOS E DOS ALVÉOLOS, 
DETERMINANDO A PROLIFERAÇÃO E AUMENTO DAS 
CÉLULAS ALVEOLARES - NÃO DETERMINA PRODUÇÃO E 
SECREÇÃO DE LEITE
GRAVIDEZ
- DURANTE GRAVIDEZ A 
PLACENTA FORMA GRANDES 
QUANTIDADES DE 
GONADOTROFINA CORIÔNICA, 
ESTROGÊNIOS, PROGESTERONA E 
SOMATOTROFINA CORIÔNICA
GONODOTROFINA 
CORIÔNICA
GONODOTROFINA CORIÔNICA
- RESPONSÁVEL PELA PERSISTÊNCIA DO CORPO LÚTEO E 
PREVENÇÃO
Página123