Buscar

Doencas Ocupacionais Pulmonares PDF

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 3 páginas

Prévia do material em texto

1 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
Pneumoconioses 
São patologias resultantes da deposição de 
partículas sólidas no parênquima pulmonar, 
levando a um quadro de fibrose, ou seja, ao 
endurecimento intersticial do tecido pulmonar. 
As Pneumoconioses mais importantes 
são aquelas causadas pela poeira de sílica, 
configurando a doença conhecida como 
Silicose, e aquelas causadas pelo asbesto, 
configurando a Asbestose. 
Epidemiologia: 
 
Fisiopatologia 
Para que ocorra pneumoconiose é 
necessário que o material particulado seja 
inalado e atinja as VAI (vias aéreas inferiores), 
em quantidade capaz de superar os 
mecanismos de depuração: o transporte 
mucociliar, transporte linfático (conhecidos 
como clearence) e a fagocitose pelos 
macrófagos ́ 
As reações pulmonares à deposição de poeiras 
inorgânicas no pulmão vão depender das 
características físico-químicas do aerossol 
(como por exemplo: partículas menores e 
recém-fraturadas de sílica, fibras mais finas e 
longas, no caso do asbesto, são mais lesivas) 
da dose (que depende, entre outros, da 
concentração no ar inalado, do volume/minuto 
e do tempo de exposição), presença de outras 
poeiras. 
Classificações 
Pneumoconioses não-fibrogênicas 
Caracterizam-se, do ponto de vista 
histopatológico, por lesão de tipo macular com 
deposição intersticial peribronquiolar de 
partículas, fagocitadas ou não, com nenhum ou 
discreto grau de desarranjo estrutural, além de 
leve infiltrado inflamatório ao redor, com 
ausência ou discreta proliferação fibroblástica 
e de fibrose. 
Exemplos: siderose, baritose, estanose, 
pneumoconiose por carvão vegetal, rocha 
fosfática ́ 
Principais características: 
 Os sintomas respiratórios são poucos, 
sendo a dispneia aos esforços o mais 
comum 
Pneumoconioses fibrogênicas 
Como o termo diz são as reações 
pulmonares à inalação de material particulado 
que leva à fibrose intersticial do parênquima 
pulmonar 
Silicose aguda (subtipo das fibrogênicas) 
Se manifesta após meses ou poucos 
anos de exposição 
Ocupações de risco: 
 Operações de jateamento com areia, 
moagem de pedra 
Características 
 É uma forma rara da doença, ocorrendo 
em situações de exposições maciças à 
sílica livre, por períodos que variam de 
poucas semanas até quatro ou cinco 
anos, evoluindo rapidamente para a 
letalidade. 
 
2 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
Silicose crônica 
Pneumoconiose causada pela inalação 
de sílica livre cristalina que se manifesta após 
longo período de exposição, habitualmente 
superior a dez anos. 
Ocupações de risco 
 Mineração subterrânea e de superfície, 
corte de pedras; britagem; moagem... 
Principais características 
 A dispneiá aos esforços é o principal 
sintoma e o exame físico, na maioria das 
vezes, não mostra alterações 
significativas no aparelho respiratório. 
Expressa-se radiologicamente por meio de: 
 Opacidades nodulares que se iniciam 
nas zonas superiores. 
Asbestose 
Definição 
Pneumoconiose resulta da exposição 
inalatória a poeiras contendo fibras de asbesto. 
Ocupações de risco 
 Trabalhadores em mineração e 
transformação de asbesto (fabricação 
de produtos de cimento-amianto, 
materiais de fricção, tecidos 
incombustíveis com amianto... 
Principais características 
 Dispneia aos esforços e tosse seca que 
pode evoluir para dispneiá ao repouso, 
hipoxemia e cor pulmonale. 
As alterações radiológicas 
 Presença de opacidades irregulares, 
predominando nos campos inferiores, e, 
com frequência placas pleurais 
associadas. 
 
Pneumonites por hipersensibilidade 
Definição 
A pneumonite por hipersensibilidade 
(PH) não é uma pneumoconiose propriamente 
dita. É um grupo de doenças pulmonares 
resultantes da sensibilização por exposições 
recorrentes a inalações de partículas 
antigênicas. 
Ocupações de risco: 
 Trabalhadores em criação de animais, 
processos de transporte, carregamento, 
descarregamento e 
 Armazenagem agrícola... 
Principais características 
 Os surtos agudos normalmente são 
acompanhados de febre, tosse e 
dispneia. 
 Na fase crônica os principais sintomas 
são dispneia aos esforços e tosse seca. 
Diagnostico 
 Historia ocupacional 
 Historia clinica detalhada 
 Métodos de imagem 
o TC de tórax 
 Biopsia pulmonar 
 Provas funcionais 
Tratamento 
 Monitoramento da oxemia 
 Não há indicação de corticoterapia nas 
pneumoconioses fibrinogênias, mesmo 
nos casos com evolução progressiva 
 Nos casos de pneumoconioses não 
fibrinogênias, o afastamento pode 
reduzir a intensidade dos sintomas e 
opacidades radiográficas 
 A corticoterapia só está indicada nas 
pneumonites por hipersensibilidade 
3 
Collab: Khilver Doanne Sousa Soares & Estefany de Sousa Mendes 
Material restrito, favor não reproduzir nem distribuir sua posse!!! Nenhum serviço de impressão e xerox pode redistribuir este material a outros clientes!!! 
Notificação 
Todos os casos de pneumoconioses são 
passiveis de notificação compulsória 
Notificar a previdência social por meio da 
emissão do CAT 
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________ 
Ministério da Saúde. Portaria n. 95, de 26 
de janeiro de 2001. Norma Operacional da 
NOAS-SUS 01/2001.

Outros materiais