Buscar

EXERC LIT BRAS 3 AULA 10

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 5 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

12/09/2023, 20:34 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/ 1/5
Teste de
Conhecimento
 
 
 avalie sua aprendizagem
 
LITERATURA BRASILEIRA: PRÉ E PÓS MODERNISMO
10a aula
  Lupa      
Exercício: DGT0679_EX_A10_201801129011_V1  11/09/2023
Aluno(a): DANIELA FERRO TORRES 2023.3 EAD
Disciplina: DGT0679 - LITERATURA BRASILEIRA: PRÉ E PÓS MODERNISMO  201801129011
 
Assinale a alternativa correta em relação à autoria de determinadas obras:
 Agosto, de Rubem Fonseca.
Perto do coração selvagem, de Rubem Fonseca.
Agosto, de Dalton Trevisan.
A grande arte, de Moacyr Scliar.
O selvagem da ópera, de Marçal Aquino.
Respondido em 11/09/2023 16:38:18
Explicação:
Agosto, A grande arte, O selvagem da ópera são obras de Rubem Fonseca. Perto do coração selvagem é obra de Clarice
Lispector.
Gabarito
Comentado
 
(F.M. Santa Casa-SP) Obras de Dalton Trevisan, Rubem Fonseca, Clarice Lispector e Lygia Fagundes Telles atestam o
fato de que:
 estilos muito semelhantes, com traços de Neo-Romantismo, dominam a criação literária contemporânea.
a poesia de caráter social e reivindicatória tem caracterizado a criação literária dos autores modernos.
romances politicamente comprometidos, neonaturalistas, de denúncia das mazelas da sociedade, constituem o
aspecto mais importante da literatura da geração de 30.
 o conto, de tendências diversas (de denúncia social, intimista, de especulação da existência), tem sido uma
constante da produção literária contemporânea.
a linguagem (desagregadora) e a visão de mundo (reivindicatória, anárquica) dos modernistas de primeira
geração constituem a fonte primeira de inspiração dos contistas contemporâneos.
Respondido em 11/09/2023 16:38:55
 Questão1
 Questão2
https://simulado.estacio.br/alunos/inicio.asp
javascript:voltar();
javascript:diminui();
javascript:aumenta();
12/09/2023, 20:34 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/ 2/5
Explicação:
Apesar das diferenças, os estilos são bastante semelhantes no que se refere à subjetividade e ao intimismo,
principalmente nos romances de Clarice Lispector e Lígia Fagundes Telles
 
O texto apresentado é um fragmento do conto Uma Vela para Dario, de Dalton Trevisan. O autor revela uma
circunstância do cotidiano. Neste contexto, que característica pode ser observada?
A velhinha de cabeça grisalha grita que ele está morrendo. Um grupo o arrasta para o táxi da esquina. Já no carro a
metade do corpo, protesta o motorista: quem pagará a corrida? Concordam chamar a ambulância. Dario conduzido
de volta e recostado à parede __ não tem os sapatos nem o alfinete de pérola na gravata.
 Alguém informa da farmácia na outra rua. Não carregam Dario além da esquina; a farmácia no fim do quarteirão
e, além do mais, muito peso. É largado na porta de uma peixaria. Enxame de moscas lhe cobrem o rosto, sem que
faça um gesto para espantá-las.
http://varaldeleitura.blogspot.com.br/2013/07/conto-uma-vela-para-dario-de-dalton.html
 A frieza da humanidade.
A rapidez das pessoas para prestar socorro.
A solidariedade.
A morte prematura.
A pressa das pessoas no cotidiano.
Respondido em 11/09/2023 16:39:53
Explicação:
No fragmento do conto, �ca clara a frieza das pessoas com aquele que está morrendo no meio da rua. Todas as
tentativas que exigiam um esforço maior ou um compromentimento material foram descartadas. Além disso, os bens
materiais de Dario foram furtados, dele retirados, sem piedade.
Gabarito
Comentado
 
ENEM-2019
 
Essa lua enlutada, esse desassossego
A convulsão de dentro, ilharga
Dentro da solidão, corpo morrendo
Tudo isso te devo. E eram tão vastas
As coisas planejadas, navios,
Muralhas de mar�m, palavras largas
Consentimento sempre. E seria dezembro.
Um cavalo de jade sob as águas
Dupla transparência, �o suspenso
Todas essas coisas na ponta dos teus dedos
E tudo se desfez no pórtico do tempo
 Questão3
 Questão4
12/09/2023, 20:34 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/ 3/5
Em lívido silêncio. Umas manhãs de vidro
Vento, a alma esvaziada, um sol que não vejo
Também isso te devo.
HILST, H. Júbilo, memória, noviciado da paixão.
São Paulo: Cia. das Letras, 2018.
No poema, o eu lírico faz um inventário de estados passados espelhados no presente.
Nesse processo, a�ora o
 mosaico de alegrias formado seletivamente.
 amadurecimento revestido de ironia e desapego
 desejo reprimido convertido em delírio.
cuidado em apagar da memória os restos do amor.
arrependimento dos erros cometidos.
Respondido em 11/09/2023 16:40:38
Explicação:
O inventário de estados passados trouxe o amadurecimento do eu lírico para lidar com a solidão e ironicamente tratá-la
com desapego
 
UFSM 2016
No conto Passeio noturno parte II (1975), de Rubem Fonseca, o protagonista utiliza o seu
carro, um Jaguar preto, como arma. Observe os excertos a seguir.
Evocê não é lá essas grandes coisas. O teu carro é melhor do que você, disse Ângela. Um
completa o outro, eu disse. Ela saltou. Foi andando pela calçada, lentamente, fácil demais,
mas eu tinha que ir logo para a casa, já estava �cando tarde. Apaguei as luzes e acelerei o
carro. Tinha que bater e passar por cima. [...]. Bati em Ângela com o lado esquerdo do
para-lama, [...], e passei, primeiro, com a roda da frente - [...] - e logo atropelei com a roda
traseira, [...].
 
A partir das passagens destacadas, assinale a alternativa correta.
A estreita relação protagonista-veículo pode ser vista como uma crítica ao consumismo, já que
o personagem só se sente um homem completo dentro do carro.
 A complementaridade homem-máquina aponta para a desumanização do personagem, traço
característico da prosa brutalista de Rubem Fonseca.
A aproximação humano-máquina indica o encantamento pelo novo, o que é frequente no
denominado Modernismo.
A complementaridade homem-máquina pode ser entendida como uma crítica à falta de
empatia entre as pessoas, traço característico da literatura do século XXI.
A complementaridade carro-homem revela o entusiasmo diante dos avanços tecnológicos, o
que é próprio da �cção cientí�ca
Respondido em 11/09/2023 16:42:48
Explicação:
 Questão5
12/09/2023, 20:34 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/ 4/5
A violência presente na narrativa de Rubem Braga denota a desumanização do homem.
 
Assinale a alternativa correta em relação à autoria dos contos abaixo:
Zap, de José de Alencar
 Passeio Noturno - parte I, de Rubem Fonseca.
Pausa, de Rubem Fonseca
Zap, de Machado de Assis
Uma vela para Dario, de Rubem Fonseca.
Respondido em 11/09/2023 16:41:13
Explicação:
"Zap" e "Pausa" são contos de Moacyr Scliar. "Uma vela para Dario" é um conto de Dalton Trevisan. "Passeio noturno" -
parte I é um conto de Rubem Fonseca.
 
Gabarito
Comentado
Gabarito
Comentado
Gabarito
Comentado
 
O texto apresentado é um fragmento do conto Eis a primavera, de Dalton Trevisan. O autor apresenta um fato do
cotidiano familiar de um enfermo. Que aspecto do cotidiano familiar pode ser percebido?
Eis a primavera
     João saiu do hospital para morrer em casa __ e gritou três meses antes de morrer. Para não gastar, a mulher nem uma
vez chamou o médico. Não lhe deu a injeção de mor�na, a receita azul na gaveta. Ele sonhava com  a primavera para
sarar do reumatismo, nos dedos amarelos contava os dias.
     __ Não fosse a umidade do ar ... __ gemia para o irmão nas compridas horas da noite.
     Já não tinha posição na cama: as costas uma ferida só. Paralisado da cintura para baixo, obrava-se sem querer. A �lha
tapava o nariz com dois dedos e fugia para o quintal:
     __ Ai, que fedor ... Meu Deus, que nojo!
     Com a desculpa que não podiam vê-lo sofrer, mulher e �lha mal entravam no quarto. O irmão Pedro é que o assistia,
aliviando as dores com analgésico, aplicando a sonda, trocando o pijama e os lençóis. Afofava o travesseiro, suspendia o
corpinho tão leve, sentava-o na cama:
http://varaldeleitura.blogspot.com.br/2013/07/conto-uma-vela-para-dario-de-dalton.html
O amor �lial.
A compaixão entre todos membros da família.
Oamor conjugal.
 A perda dos laços afetivos.
O aconchego do lar é o melhor remédio.
Respondido em 11/09/2023 16:43:59
Explicação:
No conto, a esposa e a �lha abandonam o marido e pai, respectivamente, à própria sorte. Não há a menor compaixão.
Apenas o irmão cuida dele. Os laços afetivos da esposa e da �lha esfacelaram diante da doença.
Gabarito
Comentado
 
 Questão6
 Questão7
 Questão
8
12/09/2023, 20:34 EPS
https://simulado.estacio.br/alunos/ 5/5
(http://professor.bio.br)
Leia atentamente o texto abaixo:
CANÇÃO DO EXÍLIO
Minha terra tem campos de futebol onde cadáveres amanhecem emborcados pra atrapalhar os jogos.
Tem uma pedrinha cor-de-bile que faz "tuim" na cabeça da gente. Tem também muros de bloco (sem
pintura,claro, que �nta é a maior frescura quando falta mistura), onde pousam cacos de vidro pra
espantar malaco.
BONASSI, Fernando. "15 cenas de descobrimento de Brasis". In: MORICONI, Ítalo (org). Os cem
melhores contos brasileiros do século. Rio Janeiro: Obje�va, 2000, p.
Sobre o uso do nível de linguagem empregado no texto, é correto afirmar que é
 é adequado às intenções de crí�ca e denúncia do mundo contemporâneo.
é inadequado porque os escritores brasileiros contemporâneos não falam nem escrevem dessa
maneira.
é inaceitável, por se tratar de um texto literário, cujo nível de linguagem exigido é o culto
é aceitável por se tratar de texto literário, mas inadequado à intenção jornalís�ca do autor.
é inadequado para abordar o tema român�co do exílio de uma perspec�va crí�ca e
contemporânea.
Respondido em 11/09/2023 16:41:47
Explicação:
O nível de linguagem, mais próximo da coloquialidade se presta à intenção crítica do poema. 
Gabarito
Comentado
javascript:abre_colabore('38403','315924706','6609741533');

Continue navegando