Buscar

CONSUMO DE CARBOIDRATOS E SAÚDE (2)

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

1 
Por 
Maria Antônia Gabriel de Souza Santos 
HACA78 - Oficina de textos acadêmicos e técnicos em saúde (T03) 
Docente: Vanessa prado 
Consumo de carboidratos e saúde: um doce amargo? 
 
Ser ou não ser, eis a questão: carboidratos são fundamentais ou “um doce amargo” 
para a saúde do ser humano? Contudo, antes de responde-la é necessário ter a ideia do que vêm 
a ser esses tipos de compostos. Assim, carboidratos são biomoléculas formadas por átomos de 
carbono, hidrogênio e oxigênio; são um dos três principais grupos de nutrientes encontrados em 
alimentos, juntamente com lipídios e proteínas, divididos em dois grupos; os de composições 
simples, constituídos principalmente pelo alto ou moderado índice glicêmico, a exemplo do 
açúcar refinado, mel, refrigerantes, entre outros, e os de composições complexas, esses, na 
maioria, constituídos por fibras, de mais difícil digestão para o corpo humano, que podem dar a 
impressão de saciedade alimentar, a exemplo de grãos, vegetais, cereais, entre outros. 
Ante, entretanto, de falar alertar para os maléficios que esses compostos podem 
provocar no organismo humano quando consumidos em excesso, é necessário esclarecer que 
eles são nutrientes que representam importante fonte de energia para nosso organismo, 
desempenham diversas funções em nosso organismo, entre elas, oferercer glicose como produto 
final de seu metabolismo, que é o nutriente das células; o corpo humano vai usar todos os 
artifícios para manter essas células alimentadas, pois o suprimento de glicose não pode parar. 
Assim, de acordo com o Guia alimentar para a população brasileira, uma alimentação saudável 
e harmônica em quantidade e qualidade deve atender aos princípios da variedade, equilíbrio, 
moderação e prazer. 
Contudo, os maleficios que provocam para a saúde quando utilizado em excesso 
preocupam. De acordo com relatório recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre 
dieta, nutrição e prevenção de doenças crônicas não-transmissíveis (DCNT), o consumo 
alimentar habitual, baseado, principalmente de carboidratos, constitui um dos principais fatores 
determinantes passíveis de modificação para DCNT, responsaveis por mais de 70% das causas 
de morte no Brasil (IBGE, 2014). 
Há alguns anos, acreditava-se que a obesidade, acúmulo de gordura no organismo e 
que aumenta significativamente o risco de doenças como a hipertensão arterial; o aumento do 
colesterol e triglicérides; a diabetes; a apneia do sono, a esteatose hepática; o infarto do 
miocárdio; o acidente vascular cerebral e o surgimento de alguns tipos de cânceres estavam 
associados ao maior consumo dos lipídios, essa possui mais de duas vezes as calorias dos 
E
D
IT
O
R
IA
L
 
E
D
IT
O
R
IA
L
 
 2 
carboidratos (9x4). Entretanto, após muitos estudos, constatou-se que o carboidrato, uma vez 
ingerido, é imediatamente transformado em gordura e, muito mais que que os lipídios, quando, 
como já citado, consumido em excesso é inimigo da saúde do homem, embora o ocupe a base 
da pirâmide alimentar; oferte alguns nutrientes; tenha fama de fonte de energia celular. 
Portanto, a resposta à pergunta inicial é: os carboidratos nada mais são açucares, e usados em 
excesso são “o doce amargo” presente na alimentação do homem. Assim como os demais 
nutrientes, devem ser consumidos com parcimônia. Nada, absolutamente nada, em excesso faz 
bem a saúde e a vida do homem. 
 
Referências 
 
1. BRASIL, Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: [s. n.], 2014. 
156 p. ISBN 978-85-334-2176-9. Disponível em: 
https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf. Acesso em: 
18 maio 2022. 
 
2. LAURETTI, Cristiane: Folha uol: https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2021/03/excesso-de-
carboidratos-pode-ocasionar-serios-riscos-a-saude.shtml. 
 
3. Sartorelli, Daniela S. e Cardoso, Marly A.Associação entre carboidratos da dieta habitual e diabetes 
mellitus tipo 2: evidências epidemiológicas. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia 
[online]. 2006, v. 50, n. 3 [Acessado 18 Maio 2022] , pp. 415-426. Disponível em: 
<https://doi.org/10.1590/S0004-27302006000300003>. Epub 22 Ago 2006. ISSN 1677-9487. 
https://doi.org/10.1590/S0004-27302006000300003. 
https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2021/03/excesso-de-carboidratos-pode-ocasionar-serios-riscos-a-saude.shtml
https://agora.folha.uol.com.br/sao-paulo/2021/03/excesso-de-carboidratos-pode-ocasionar-serios-riscos-a-saude.shtml
https://doi.org/10.1590/S0004-27302006000300003

Outros materiais