Buscar

fibromialgia

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Quais os sintomas mais comuns dos pacientes portadores de fibromialgia? 
Qual a melhor forma de abordar esta patologia? 
 A síndrome da fibromialgia (FM) é uma síndrome clínica caracterizada por 
dor em todo o corpo principalmente nos músculos. O principal sintoma da 
fibromialgia é a dor no corpo que costuma piorar nas costas e no pescoço e dura 
pelo menos 3 meses. Além da dor no corpo outros sintomas comuns da 
fibromialgia incluem dor intensa devido ao aumento da sensibilidade, fadiga 
frequente; sono modificado, rigidez muscular, problemas com memória e 
concentração, formigamento nas mãos e pés, sensação de pernas inquietas 
antes de dormir. 
 O quadro clinico de um paciente com Fibromialgia costuma ser polimorfo, 
exigindo anamnese cuidadosa e exame físico detalhado (pouco enriquecedor). 
O sintoma presente em todos os pacientes é a dor difusa e crônica, envolvendo 
o esqueleto axial e/ou periférico. Em geral, os pacientes têm dificuldade para 
localizar a dor, sem especificar se a origem é muscular, óssea ou articular. O 
caráter da dor é bastante variável, podendo ser em queimação, pontada, peso, 
"tipo cansaço" ou como em uma contusão. Além disso, é comum a referência de 
agravamento pelo frio, umidade, mudança climática, tensão emocional ou por 
esforço físico. 
 A melhor maneira de abordar a fibromialgia é através da integração de 
tratamentos farmacológicos (antidepressivos tricíclicos, inibidores seletivos da 
recaptação da serotonina, benzodiazepínicos, analgésicos) e não 
farmacológicos (acupuntura, apoio psicológico e hipnoterapia, acompanhamento 
clínico, alterações do estilo de vida), ao mesmo tempo em que envolve pacientes 
como participantes ativos do processo. Além disso, todas as diretrizes recentes 
enfatizam a importância das terapias não farmacológicas no tratamento. Seu 
tratamento tem como objetivos o alívio da dor, a melhora da qualidade do sono, 
a manutenção ou restabelecimento do equilíbrio emocional, a melhora do 
condicionamento físico e da fadiga e o tratamento específico de desordens 
associadas. 
REFERÊNCIAS 
PROVENZA, José Roberto et al. Fibromialgia. Revista brasileira de 
reumatologia, v. 44, n. 6, p. 443-449, 2004. 
JUNIOR, Milton Helfenstein; GOLDENFUM, Marco Aurélio; SIENA, César 
Augusto Fávaro. Fibromialgia: aspectos clínicos e ocupacionais. Revista da 
Associação Médica Brasileira, v. 58, n. 3, p. 358-365, 2012. 
HEYMANN, Roberto E. et al. Novas diretrizes para o diagnóstico da 
fibromialgia. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 57, p. s467-s476, 2017.

Outros materiais