Buscar

Modelo Relatório Física do Movimento_ Prática II Lei de Hooke - Eugenios

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 3, do total de 12 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 6, do total de 12 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes
Você viu 9, do total de 12 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você também pode ser Premium ajudando estudantes

Prévia do material em texto

(
Materiais
 e 
Métodos
Materiais
 
utilizados
 no 
experimento
:
• 
Peso 
inicial
;
• 
Pesos;
• 
Suporte
 
indicador
;
• 
Gancho
;
• 
Molas.
Métodos
 para o
 
experimento
:
Neste 
experimento
 
foi
 
explorada
 a Lei de Hooke e a 
deformação
 
sofrida
 
por
 
corpos
 
elásticos
 
submetidos
 a 
uma
 
força
.
Fase 1 – Lei de Hooke:
1. MONTAGEM DO EXPERIMENTO
Posicione
 a mola 1 
na
 base de 
ensaio
. Mova o 
suporte
 
indicador
 para a mola que se 
encontra
 
na
 base. 
Posicione
 o 
ganho
 no 
suporte
 
indicador
. Insira o peso de 23 
gramas
 no 
gancho
 e 
verifique
 a 
deformação
 
inicial
.
2. GERANDO DEFORMAÇÃO “
Xn
” NA MOLA
Posicione
 
os
 pesos de 50 
gramas
 no 
ganho
 e 
verifique
 a 
deformação
 que o peso 
gerou
 
na
 mola. Insira 
cada
 um dos outros pesos 
simultaneamente
, 
anotando
 
na
 
tabela
 1 a 
deformação
 da mola 
gerada
 
pelo
 
acréscimo
 de 
cada
 peso.
3. DESMONTANDO O EXPERIMENTO
Retire 
cada
 um dos pesos no 
ganho
 e 
posicionando-os
 
na
 
bancada
. Retire o 
gancho
 e o 
suporte
 
indicador
. Retire a mola da base de 
ensaio
.
4. CALCULANDO A CONSTANTE ELÁSTICA DA MOLA
Siga para a 
seção
 de “
Avaliação
 dos 
Resultados
” e 
encontre
 a 
constante
 
elástica
 da mola M1.
.
) (
Nome da 
Prática
:
 
Prática
 II – Lei de Hooke
Nome do 
Aluno
:
 
Eugenio dos Santos 
Domingues
 Júnior
Data de 
Execução
:
 03/04/2024
)
 (
5. REPETINDO O EXPERIMENTO COM AS MOLAS RESTANTES
Repita
 
os
 
passos
 de 1 a 4 para as molas 
restantes
 M2 e M3. Siga para a 
seção
 “
Avaliação
 de 
Resultados
”, 
neste
 
roteiro
, e 
responda
 de 
acordo
 com o que 
foi
 
observado
 
neste
 
experimento
.
FASE 2 – ASSOCIAÇÃO DE MOLAS EM SÉRIE
6. MONTAGEM DO EXPERIMENTO
Posicione
 a mola 1 
na
 base de 
ensaio
. Em 
seguida
, 
posicione
 a mola 2 
na
 mola 
previamente
 
posicionada
 
na
 base. Mova o 
suporte
 
indicador
 para a mola 2. 
Posicione
 o 
ganho
 no 
suporte
 
indicador
. Insira o peso de 23 
gramas
 no 
gancho
 e 
verifique
 a 
deformação
 
inicial
.
7. GERANDO DEFORMAÇÃO NAS MOLAS “
Xn
”
Posicione
 
os
 pesos de 50 
gramas
 no 
ganho
 e 
verifique
 a 
deformação
 que o peso 
gerou
 
na
 mola. Insira 
cada
 um dos outros pesos 
simultaneamente
, 
anotando
 
na
 
tabela
 2 a 
deformação
 da mola 
gerada
 
pelo
 
acréscimo
 de 
cada
 peso.
8. DESMONTANDO O EXPERIMENTO
Retire 
cada
 um dos pesos no 
ganho
 e 
posicionando-os
 
na
 
bancada
. Retire o 
gancho
 e o 
suporte
 
indicador
. Retire as molas da base de 
ensaio
.
9. CALCULANDO A CONSTANTE ELÁSTICA DE MOLAS ASSOCIADAS EM SÉRIE
Siga para a 
seção
 de “
Avaliação
 dos 
Resultados
” e 
encontre
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas (M1 e M2) 
associadas
 
em
 
série
.
10. REPETINDO O EXPERIMENTO COM AS MOLAS RESTANTES
Repita
 
os
 
passos
 de 6 a 9 para as 
seguintes
 
associações
 (M2 e M1); (M1 e M3); (M3 e M1); (M2 e M3) e (M3 e M2). Siga para a 
seção
 “
Avaliação
 de 
Resultados
”, 
neste
 
roteiro
, e 
responda
 de 
acordo
 com o que 
foi
 
observado
 
neste
 
experimento
.
FASE 3 – ASSOCIAÇÃO DE MOLAS EM PARALELO
11. MONTAGEM DO EXPERIMENTO
Posicione
 a mola 1 
na
 base de 
ensaio
. Em 
seguida
, 
posicione
 a mola 2 
na
 base de 
ensaio
. Mova o 
suporte
 
indicador
 para o conjunto de molas. 
Posicione
 o 
ganho
 no 
suporte
 
indicador
. Insira o peso de 23 
gramas
 no 
gancho
 e 
verifique
 a 
deformação
 
inicial
.
12. GERANDO DEFORMAÇÃO NAS MOLAS “
Xn
”
Posicione
 
os
 pesos de 50 
gramas
 no 
ganho
 e 
verifique
 a 
deformação
 que o peso 
gerou
 
na
 mola. Insira 
cada
 um dos outros pesos 
simultaneamente
, 
anotando
 
na
 
tabela
 3 a 
deformação
 da mola 
gerada
 
pelo
 
acréscimo
 de 
cada
 peso.
)
 (
13. DESMONTANDO O EXPERIMENTO
Retire 
cada
 um dos pesos no 
ganho
 e 
posicionando-os
 
na
 
bancada
. Retire o 
gancho
 e o 
suporte
 
indicador
. Retire as molas da base de 
ensaio
.
14. CALCULANDO A CONSTANTE ELÁSTICA DE MOLAS ASSOCIADAS EM PARALELO
Siga para a 
seção
 de “
Avaliação
 dos 
Resultados
” e 
encontre
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas (M1 e M2) 
associadas
 
em
 
paralelo
.
15. REPETINDO O EXPERIMENTO COM AS MOLAS RESTANTES
Repita
 
os
 
passos
 de 6 a 9 para as 
seguintes
 
associações
 (M2 e M1); (M1 e M3); (M3 e M1); (M2 e M3) e (M3 e M2). Siga para a 
seção
 “
Avaliação
 de 
Resultados
”, 
neste
 
roteiro
, e 
responda
 de 
acordo
 com o que 
foi
 
observado
 
neste
 
experimento
.
16. MONTAGEM DO EXPERIMENTO
Posicione
 a mola 1 
na
 base de 
ensaio
. Em 
seguida
, 
posicione
 as molas 2 e 3 
na
 base de 
ensaio
. Mova o 
suporte
 
indicador
 para o conjunto de molas. 
Posicione
 o 
ganho
 no 
suporte
 
indicador
. Insira o peso de 23 
gramas
 no 
gancho
 e 
verifique
 a 
deformação
 
inicial
.
17. GERANDO DEFORMAÇÃO NAS MOLAS “
Xn
”
Posicione
 
os
 pesos de 50 
gramas
 no 
ganho
 e 
verifique
 a 
deformação
 que o peso 
gerou
 
na
 mola. Insira 
cada
 um dos outros pesos 
simultaneamente
, 
anotando
 
na
 
tabela
 4 a 
deformação
 da mola 
gerada
 
pelo
 
acréscimo
 de 
cada
 peso.
18. DESMONTANDO O EXPERIMENTO
Retire 
cada
 um dos pesos no 
ganho
 e 
posicionando-os
 
na
 
bancada
. Retire o 
gancho
 e o 
suporte
 
indicador
. Retire as molas da base de 
ensaio
.
19. CALCULANDO A CONSTANTE ELÁSTICA DE MOLAS ASSOCIADAS EM PARALELO
Siga para a 
seção
 “
Avaliação
 de 
Resultados
”, 
neste
 
roteiro
, e 
responda
 de 
acordo
 com o que 
foi
 
observado
 
neste
 
experimento
. 
Encontre
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas (M1, M2 e M3) 
associadas
 
em
 
paralelo
.
20. ANALISANDO OS RESULTADOS
Siga para a 
seção
 “
Avaliação
 de 
Resultados
”, 
neste
 
roteiro
, e 
responda
 de 
acordo
 com o que 
foi
 
observado
 
neste
 
experimento
. 
Encontre
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas (M1, M2 e M3) 
associadas
 
em
 
paralelo
.
)
 (
AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS
FASE 1 – LEI DE HOOKE
Preencha
 a 
tabela
 1 
abaixo
 com 
os
 dados 
encontrados
 
durante
 
esta
 
fase
 do 
experimento
.
A
 
equação
 da Lei de Hooke é 
utilizada
 para 
calcular
 a 
constante
 
elástica
 da mola: 
𝐹
=
𝑘
 Δ
𝑥
Onde:
F = 
Força
 
aplicada
 (N)
K = Constante 
elástica
 da mola (N/m)
ΔX = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
A 
força
 
aplicada
 
neste
 
experimento
 é a 
força
 peso, que é o 
produto
 da 
massa
 dos discos que 
estão
 
na
 mola pela 
aceleração
 da 
gravidade
 (9,81 m/s²).
 
𝐹
=
𝑚
 
𝑔
Diante dos 
resultados
 
obtidos
, 
calcule
 a 
constante
 
elástica
 da mola M1
 - 
𝑘𝑀
1=
)
 (
2. 
Esboce
 o 
gráfico
 da 
força
 
aplicada
 (F) versus 
deformação
 da mola (ΔX) para 
cada
 
uma
 das molas 
utilizadas
 no 
experimento
. Qual a 
função
 
matemática
 
representada
 no 
gráfico
?
R: 
O 
gráfico
 é 
representada
 
por
 
uma
 
função
 linear (
função
 
matemática
 do 
primeiro
 
grau
).
3. O que 
representa
 o 
coeficiente
 angular (
ou
 
declividade
) do 
gráfico
 F versus ΔX?
R:
 O 
coeficiente
 angular do 
gráfico
 F x ∆X 
representa
 a Constante 
elástica
 da Mola.
4. 
Com base 
em
 
suas
 
medições
 e 
observações
, 
verifique
 a 
validade
 da 
seguinte
 
afirmação
: “As 
forças
 
deformantes
 
são
 
proporcionais
 
às
 
deformações
 
produzidas
, 
ou
 
seja
, F é 
proporcional
 a 
Δx
.”.
R: Nota-se que a 
força
 
produzida
 pela mola é 
diretamente
 
proporcional
 
ao
 
seu
 
deslocamento
 do 
estado
 
inicial
. O 
equilíbrio
 
na
 mola 
ocorre
 
quando
 
ela
 
está
 
em
 
seu
 
estado
 natural, 
ou
 
seja
, 
sem
 
estar
 
comprimida
 
ou
 
esticada
. 
Após
 
comprimi
-la 
ou
 
estica
-la, a mola sempre 
faz
 
uma
 
força
 
contrária
 
ao
 
movimento
, 
portanto
 F é 
proporcional
 a ∆x.
5. 
Qual mola 
possui
 a 
maior
 
constante
 
elástica
? Compare 
seus
 
resultados
!
R: A mola que 
possui
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 é a Mola 2
FASE 2 – ASSOCIAÇÃO DE MOLAS EM SÉRIE
1. 
Preencha
 a 
tabela
 
abaixo
 com 
os
 dados 
encontrados
 
durante
 
esta
 
fase
 do 
experimento
.
)
 (
A 
equação
 da Lei de Hooke é 
utilizada
 para 
calcular
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas: 
𝐹= 
𝑘𝑟
 ∆
𝑥𝑟
Onde: 
F = 
Força
 
aplicada
 (N) 
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
série
 (N/m) 
∆
Xr
 =
 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
A 
força
 
aplicada
 
neste
 
experimento
 é a 
força
 peso, que é o 
produto
 da 
massa
 dos discos que 
estão
 no conjunto de molas pela 
aceleração
 da 
gravidade
 (9,81 m/s²). 
𝐹
 = 
𝑚
 
𝑔
Diante dos
 
resultados
 
obtidos
, 
calcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas M1 e M2.
É 
possível
 
também
 
relacionar
 as 
constantes
 de 
cada
 
uma
 das molas do conjunto 
em
 
série
: 
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
1 
∴
 
𝐹
1 = 
𝑘
1 ∆
𝑥
1 
∴
 
∆
𝑥
1 = 
𝐹
1
/
𝑘
1
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
2 
∴
 
𝐹
2 =
 
𝑘
2 ∆
𝑥
2 
∴
 ∆
𝑥
2 = 
𝐹
2
/
𝑘
2 
Como a 
mesma
 
força
 atua 
em
 
cada
 mola e as 
deformações
 
estão
 
relacionadas
 
por
:
∆
𝑥𝑟
 =
 ∆
𝑥
1 + ∆
𝑥
2
)
 (
Então
: 
Onde: 
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
série
 (N/m)
K1 = Constante 
elástica
 da mola M1 (N/m) 
K2 = Constante 
elástica
 da mola M2 (N/m)
Utilize as
 
constantes
 
elásticas
 das molas 
obtidas
 da 
parte
 I do 
experimento
, 
recalcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
série
 M1 e M2
2. 
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
série
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
?
R: 
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
série
 
não
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
, 
embora
 as 
diferenças
 
não
 
foram
 
muito
 
significativas
.
3
. 
Esboce
 o 
gráfico
 da 
força
 
aplicada
 (F) versus 
deformação
 da mola (∆X) para 
cada
 conjunto de molas 
em
 
série
. Qual a 
função
 
matemática
 
representada
 no 
gráfico
?
R: O 
gráfico
 é 
representada
 
por
 
uma
 
função
 linear (
função
 
matemática
 do 
primeiro
 
grau
)
)
 (
4. A 
constante
 k é a 
mesma
 para 
qualquer
 conjunto 
em
 
série
? Em 
caso
 
negativo
, qual conjunto 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
?
R: A 
constante
 k 
não
 é a 
mesma
 para 
qualquer
 conjunto 
em
 
série
, 
embora
 
sejam
 
os
 
mesmos
 para o 
consjunto
 de molas 
iguais
. O conjunto que 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
 
foi
 o conjunto de molas M2 e M3.
5. 
Comente
 
sobre
 a 
relação
 entre as 
constantes
 das molas 
obtidas
 
na
 
parte
 I 
deste
 
roteiro
 e 
os
 
resultados
 das 
configurações
 
em
 
série
.
R: 
As 
constantes
 das Molas 
em
 
série
 
são
 
iguais
 à soma dos 
inversos
 das 
constantes
 
elásticas
 das duas molas 
avaliadas
 no 
experimento
.
FASE 3 – ASSOCIAÇÃO DE MOLAS EM PARALELA
Preencha
 a 
tabela
 
abaixo
 com 
os
 dados 
encontrados
 
durante
 
esta
 
fase
 do 
experimento
.
A
 
equação
 da Lei de Hooke é 
utilizada
 para 
calcular
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas: 
𝐹
=
𝑘𝑟
 Δ
𝑥𝑟
Onde:
F = 
Força
 
aplicada
 (N)
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 (N/m)
ΔXr
 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
)
 (
A 
força
 
aplicada
 
neste
 
experimento
 é a 
força
 peso, que é o 
produto
 da 
massa
 dos discos que 
estão
 no conjunto de molas pela 
aceleração
 da 
gravidade
 (9,81 m/s²). 
𝐹
 = 
𝑚
 
𝑔
Diante dos 
resultados
 
obtidos
, 
calcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas M1 e M2.
É 
possível
 
também
 
relacionar
 as 
constantes
 de 
cada
 
uma
 das molas do conjunto 
em
 
paralelo
: 
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
1 
∴
 
𝐹
1 = 
𝑘
1 ∆
𝑥
1 
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
2 
∴
 
𝐹
2 = 
𝑘
2 ∆
𝑥
2
Pela 
resultante
 de 
forças
, é 
possível
 
inferir
 que: 
𝐹𝑟
 = 
𝐹
1 + 
𝐹
2 
Então
: 
𝑘𝑟
∆
𝑥𝑟
 
= 
𝑘
1∆
𝑥
1 + 
𝑘
2∆
𝑥
2 
Onde: 
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 (N/m) 
K1 = Constante 
elástica
 da mola M1 (N/m) 
K2 = Constante 
elástica
 da mola M2 (N/m) ∆
Xr
 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
∆
Xr
 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
∆X1 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola M1 (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
∆X2 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola M2 (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
Como as 
deformações
 das molas e do conjunto 
são
 as 
mesmas
, 
pode
-se 
inferir
 que:
𝑘𝑟
 
= 
𝑘
1 + 
𝑘
2
Utilize as
 
constantes
 
elásticas
 das molas 
obtidas
 da 
parte
 I do 
experimento
, 
recalcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 M1 e M2.
)
 (
2. 
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
paralelo
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
?
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
paralelo
 
não
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
.
3. 
Esboce
 o 
gráfico
 da 
força
 
aplicada
 (F) versus 
deformação
 da mola (ΔX) para 
cada
 conjunto de molas 
em
 
paralelo
. Qual a 
função
 
matemática
 
representada
 no 
gráfico
?
R: O 
gráfico
 é 
representada
 
por
 
uma
 
função
 linear (
função
 
matemática
 do 
primeiro
 
grau
).
4. A 
constante
 k é a 
mesma
 para 
qualquer
 conjunto 
em
 
paralelo
? Em 
caso
 
negativo
, qual conjunto 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
?
R: A 
constante
 k 
não
 é a 
mesma
 para 
qualquer
 conjunto 
em
 
paralelo
, o 
conjunto 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
 
foram
 as molas M2 e M3.
5. 
Comente
 
sobre
 a 
relação
 entre as 
constantes
 das molas 
obtidas
 
na
 
parte
 I 
deste
 
roteiro
 e 
os
 
resultados
 das 
configurações
 
em
 
paralelo
. 
R: A 
constante
 das 
respectivas
 molas 
em
 
paralelo
 
estudadas
 
neste
 
experimento
 
são
 
iguais
 à soma das 
constantes
 
elásticas
 das duas molas 
em
 
questão
.
6. 
Preencha
 a 
tabela
 
abaixo
 com 
os
 dados 
encontrados
 
durante
 
esta
 
fase
 do 
experimento
.
)
 (
 
A
 
equação
 da
 Lei de Hooke é 
utilizada
 para 
calcular
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas: 
𝐹
 = 
𝑘𝑟
 ∆
𝑥𝑟
Onde: 
F = 
Força
 
aplicada
 (N) 
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 (N/m) 
∆
Xr
 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
A 
força
 
aplicada
 
neste
 
experimento
 é a 
força
 peso, que é o 
produto
 da 
massa
 dos discos que 
estão
 no conjunto de molas pela 
aceleração
 da 
gravidade
 (9,81 m/s²).
𝐹
 = 
𝑚
 
𝑔
Diante dos 
resultados
 
obtidos
, 
calcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas M
1 ,
 M2 e M3
É 
possível
 
também
 
relacionar
 as 
constantes
 de 
cada
 
uma
 das molas do conjunto 
em
 
paralelo
:
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
1 
∴
 
𝐹
1 = 
𝑘
1 ∆
𝑥
1 
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
2 
∴
 
𝐹
2 = 
𝑘
2 ∆
𝑥
2 
𝑀𝑜𝑙𝑎
 
𝑀
3 
∴
 
𝐹
3 = 
𝑘
3 ∆
𝑥
3 
Pela 
resultante
 de 
forças
, é 
possível
 
inferir
 que: 
𝐹𝑟
 = 
𝐹
1 + 
𝐹
2 + 
𝐹
3 
Então
: 
𝑘𝑟
∆
𝑥𝑟
 = 
𝑘
1∆
𝑥
1 + 
𝑘
2∆
𝑥
2 + 
𝑘
3∆
𝑥
3 
Onde:
Kr = Constante 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 (N/m) 
K1 = Constante 
elástica
 da mola M1 (N/m) 
K2 = Constante 
elástica
 da mola M2 (N/m) 
K3 = Constante 
elástica
 da mola M3 (N/m) 
∆
Xr
 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 do conjunto de molas (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
∆X1 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola M1 (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
∆X2 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola M2 (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos 
∆X3 = 
Alongamento
 
ou
 
deformação
 da mola M3 (m) 
quando
 
submetida
 a 
ação
 dos pesos
)
 (
Como as 
deformações
 das molas e do conjunto 
são
 as 
mesmas
, 
pode
-se 
inferir
 que: 
𝑘𝑟
 =
 
𝑘
1 + 
𝑘
2 + 
𝑘
3 
Utilize as
 
constantes
 
elásticas
 das molas 
obtidas
 da 
parte
 I do 
experimento
, 
recalcule
 a 
constante
 
elástica
 do conjunto de molas 
em
 
paralelo
 M1, M2 e M3.
𝑘𝑟
(
𝑀
1→
𝑀
2→
𝑀
3) = 
𝑘
r = k1+k2+k3→ 
𝑘
r = 100,66N/m
7. 
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
paralelo
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
?
R: 
Os
 
resultados
 
obtidos
 para a 
constante
 
elástica
 do conjunto 
em
 
paralelo
 M1, M2 e M3 
não
 
foram
 
os
 
mesmos
 para as duas 
formas
 de 
cálculo
.
8. 
Esboce
 o 
gráfico
 da 
força
 
aplicada
 (F) versus 
deformação
 da mola (ΔX) para o conjunto de molas 
em
 
paralelo
. Qual a 
função
 
matemática
 
representada
 no 
gráfico
?
R: O 
gráfico
 é 
representada
 
por
 
uma
 
função
 linear (
função
 
matemática
 do 
primeiro
 
grau
).
9. A 
constante
 k é a 
mesma
 para o conjunto 
em
 
paralelo
 com duas molas e o conjunto 
em
 
paralelo
 com 
três
 molas? Em 
caso
 
negativo
, qual conjunto 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
? O que é 
possível
 
concluir
?
R: A 
constante
 k 
não
 é a 
mesma
 para o conjunto 
em
 
paralelo
 com duas molas e o conjunto 
em
 
paralelo
 com 
três
 molas, o conjunto que 
obteve
 a 
maior
 
constante
 
elástica
 
resultante
 
foi
 o 
em
 
paralelo
 com 
três
 molas, 
quanto
 
mais
 molas 
em
 
paralelo
 
maior
 
será
 a 
constante
 
elástica
, 
ou
 
seja
 
maior
 a 
dureza
 e 
menor
 a 
deformação
 da mola (∆X)
)
 (
ReferenciaBiliográfica
https://www.infoescola.com/
https://todamateria.com.br
https://brasilescola.com.br
) (
Conclus
ão
A 
força
 
exercida
 
por
 
uma
 mola é 
proporcional
 
ao
 
seu
 
deslocamento
 do 
estado
 de 
equilíbrio
. O 
equilíbrio
 
ocorre
 
quando
 a mola 
está
 
em
 
seu
 
estado
 natural, 
sem
 
compressão
 
ou
 
expansão
. Quando 
comprimida
 
ou
 
esticada
, a mola sempre 
exerce
 
uma
 
força
 
contrária
 
ao
 
movimento
.
A 
rigidez
 de 
uma
 mola é 
medida
 pela 
sua
 
constante
 
elástica
. Quanto 
maior
 a 
constante
 
elástica
, 
menor
 
será
 a 
deformação
 da mola.
Em 
uma
 
configuração
 de molas 
em
 
série
, a 
constante
 
elástica
 
resultante
 é 
menor
, o que 
implica
 
em
 
uma
 
menor
 
deformação
. 
Já
 as molas M2 e M3, 
em
 
paralelo
, 
sofrem
 a 
metade
 da 
deformação
 da mola M1.
)
image1.png
image2.png
image3.png
image4.png
image5.png
image6.png
image7.png
image8.png
image9.png
image10.png
image11.png
image12.png
image13.png
image14.png
image15.png

Mais conteúdos dessa disciplina